Seguir o O MINHO

Famalicão

Famalicão investe 250 mil euros no apoio a 250 famílias no pagamento da renda de casa

Paulo Cunha estevecom as famílias que vão receber apoio do programa “Casa Feliz – Apoio à Renda”

em

Foto: Divulgação/CM Famalicão

A Câmara de Vila Nova de Famalicão vai investir cerca de 250 mil euros no apoio a 250 famílias em despesas com a habitação, sendo o principal motivo apontado para requisitar apoio os baixos rendimentos, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado hoje à Lusa, a autarquia destaca que o programa “Casa Feliz – Apoio à Renda” apoia os famalicenses desdês 2013, tendo a autarquia já investido mais de 800 mil euros em apoios às rendas e que o número de beneficiários apresenta uma tendência crescente.

Segundo os números revelados, em 2013 a autarquia apoiou 51 candidatos, com o custo de 55.500 mil euros, em 2016 foram apoiadas 121 famílias (127 mil euros de investimento) e neste não 252 mil euros servirão para apoiar 248 agregados familiares.

A autarquia salienta que “os baixos rendimentos são a principal causa”que leva as famílias a procurarem apoio junto do município, havendo outros fatores: “Relacionado com esta problemática está o desemprego que afeta 20 % das famílias que pediram apoio. Por outro lado, quase 6 % das pessoas estavam em situação de doença e/ou deficiência. Entretanto, regista-se um conjunto de famílias (8%) que apresentaram problemas relacionados com as despesas elevadas”, enumera.

No que diz respeito ao tipo de agregado, refere o texto, a maior procura de apoio é feita por famílias monoparentais com filhos a seu cargo (36%), sendo de referir também as pessoas que vivem sozinhas (29%).

“O município está e estará sempre disponível para ajudar quem precisa. Eu só fico de consciência tranquila quando conseguimos ajudar quem precisa, quando conseguimos chegar a toda a gente”, afirmou hoje o presidente da autarquia, Paulo Cunha, durante um encontro com as famílias beneficiadas pelo programa Casa Feliz – Apoio à Renda”.

Anúncio

Famalicão

Ministro anuncia segundo ‘supercomputador’ do país a ser instalado em Famalicão

Potencia nas áreas de cura e prevenção do cancro, mobilidade, sustentabilidade e previsão climáticas

em

Foto: DR

O ministro da Ciência anunciou esta sexta-feira um segundo supercomputador para Portugal “já em 2020”, que ficará instalado em Vila Nova de Famalicão, onde está o BOB, a primeira máquina do género em Portugal.

Manuel Heitor fez o anúncio durante uma intervenção em Braga, na Universidade do Minho (UMinho), na conferência “Create Knowledge. Foster Change: Towards a New Decade of Joint Achievements”, na qual explicou as vantagens dos supercomputadores, apontando o aproveitamento daquelas máquinas em áreas como cura e prevenção do cancro, mobilidade, sustentabilidade e previsão climáticas.

À margem da conferência, coube ao representante da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Nuno Rodrigues, explicar o processo para instalar o novo supercomputador.

“Está-se a tratar do concurso público para o funcionamento da máquina, o Deucalion. O objetivo é termos a máquina instalada e a funcionar no final de 2020”, reafirmou.

Sobre a supercomputação, Manuel Heitor, apontou o BOB como um “exemplo da supercomputação verde”, explicando que o supercomputador pode ser útil para a busca da cura do cancro, identificação precoce de tumores, previsão do clima e alterações climáticas, ondas de calor ou de frio, entre outras funcionalidades.

O BOB, nomeado assim em honra do seu criador Robert A. Peterson, da Universidade do Texas em Austin (UT Austin), está instalado na freguesia de Riba de Ave, em fase de testes e vai “abrir ao público” em janeiro, adiantou ainda o governante.

A opção de instalar o BOB em Portugal serve ainda com “prova” da capacidade do país no uso de energias renováveis: “A supercomputação tem uma pegada ecológica muito grande, porque as máquinas têm que ser arrefecidas e por isso precisa de muita energia para o ar condicionado”, explicou Manuel Heitor.

“Portugal tem uma tradição importante na integração de energias renováveis e por isso mesmo é que este supercomputador foi instalado em Riba de Ave, num centro da REN, em colaboração com a EDP para novos sistemas e tecnologias para o que é chamado a supercomputação verde, ou seja a supercomputação alimentada a energias renováveis”, finalizou.

Continuar a ler

Famalicão

Bombeiros salvam jovem que se queria matar em Famalicão

Em Oliveira Santa Maria

em

Foto: O MINHO

Os Bombeiros de Riba de Ave conseguiram, esta sexta-feira, demover a intenção de um jovem de 29 de por termo à vida numa conhecida artéria rodoviária em Oliveira Santa Maria, concelho de Famalicão.

Segundo avança a rádio Cidade Hoje, a ocorrência deu-se ao início da tarde, depois do jovem ter alertado uma pessoa próxima de que estaria naquele local para cometer suicídio.

Os bombeiros deslocaram-se imediatamente ao local, conseguindo evitar que o mesmo procedesse com o plano.

Acabou por ser encaminhado para uma unidade de saúde pelos bombeiros.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Ave

Rede de transporte intermunicipal de Famalicão, Santo Tirso e Trofa arranca em 2020

Associação de Municípios MobiAve

em

Foto: Ilustrativa / O MINHO

Os municípios de Vila Nova de Famalicão, no Minho, Santo Tirso e Trofa vão arrancar com uma rede de transportes intermunicipal no segundo semestre de 2020, anunciou a autarquia tirsense, que aprovou hoje a sua criação por unanimidade.

Denominada Associação de Municípios MobiAve, vai gerir a rede de transportes públicos rodoviários dos concelhos de Santo Tirso, Vila Nova de Famalicão e Trofa, dando corpo a um projeto que começou a ganhar forma em 2017 e a quem o então presidente da autarquia tirsense, Joaquim Couto, manifestou a vontade de incluir também os municípios de Guimarães e de Vizela.

Depois de o concelho vizinho de Famalicão o ter aprovado na última reunião do executivo, hoje foi a vez de a câmara liderada pelo socialista Alberto Costa dar mais um passo rumo à consolidação de um projeto que, segundo o documento da autarquia do distrito do Porto, se traduzirá numa “parceria inédita no país”, aprovando-o por “unanimidade”.

Segundo a nota de imprensa, está “prevista para o segundo semestre de 2020” a entrada em funções do novo sistema de transportes públicos de passageiros que, segundo Alberto Costa, citado pelo documento, “vai melhorar a qualidade de vida da população e contribuir para o aumento da utilização dos transportes públicos em detrimento de viatura própria, com consequências positivas no combate que está a ser feito no que toca a alterações climáticas”.

“Em Santo Tirso, a criação da MobiAve vai permitir triplicar a oferta atualmente existente do serviço de transporte de passageiros, colmatando as lacunas há muitos anos sinalizadas e melhorando de forma significativa a rede já instalada”, acrescentou Alberto Costa que “valorizou” o entendimento alcançado com as entidades envolvidas no processo, as câmaras de Famalicão e da Trofa.

Ainda segundo aquele documento, a “nova rede de transportes públicos intermunicipal, que será gerida pela MobiAve, foi alvo de um estudo de planeamento sobre a mobilidade de passageiros na área territorial dos três concelhos, tendo em vista a organização de futuras concessões de serviço público de transporte à população”.

A nova rede de transportes que vai ligar e aproximar os municípios de Santo Tirso, Vila Nova de Famalicão e Trofa começou a ganhar forma em 2017. Em junho desse ano, os presidentes das respetivas autarquias assinaram um protocolo de colaboração para a realização do estudo de planeamento e sustentabilidade financeira do novo sistema.

“A criação da MobiAve é um passo decisivo na construção de uma autoridade de transportes intermunicipal” que irá “organizar, explorar, investir, financiar e fiscalizar o serviço público de transporte de passageiros, num esforço conjunto para melhorar o serviço prestado a uma população estimada em cerca de 250 mil habitantes”, acrescentou Alberto Costa.

A Câmara da Trofa não tem ainda agendada a votação do projeto, revelou à Lusa fonte da autarquia.

Continuar a ler

Populares