Seguir o O MINHO

Futebol

Famalicão esteve a perder por dois mas conseguiu empate nos descontos

I Liga

em

Famalicão e Boavista empataram hoje 2-2, num jogo da quinta jornada da I Liga portuguesa de futebol, que foi disputado até ao último segundo, com a equipa da casa a igualar já nos descontos.


Os ‘axadrezados’, que ainda não conseguiram vencer na prova, colocaram-se na frente do marcador já na segunda parte, mas, e a jogar com menos um, após a expulsão de Javi García, não conseguiram segurar a vantagem e permitiram aos famalicenses, em 10 minutos, chegarem ao empate.

Numa retrospetiva, o Estádio Municipal de Famalicão assistiu a uma primeira parte de domínio da equipa da casa perante um Boavista recheado de ‘craques’, mas que ainda procura a primeira vitória no campeonato. Um remate de Cannon, aos 23 minutos, foi o melhor que a equipa treinada por Vasco Seabra conseguiu fazer nos primeiros 45 minutos, o que é manifestamente pouco para quem procura, com justificada ambição, a primeira vitória na I Liga.

O Famalicão, bem mais solto e entrosado, fez seis remates na primeira parte, contra três do Boavista, mas ora encontrou oposição em Léo Jardim, ora errou o alvo. Muitas dessas situações de golo tiveram origem em lances de bola parada.

Os minhotos beneficiaram, nessa altura, de sete pontapés de canto – não consentiram nenhum – e, num deles, aos 26 minutos, Jordão cabeceou para boa defesa do guarda-redes boavisteiro.

A primeira parte também ficou marcada pelo ritmo lento, devido às constantes faltas que interrompem o jogo, com o Boavista a ‘golear’ nesse tipo de lances, com 13 infrações contra quatro do Famalicão.

A formação teve a primeira oportunidade logo aos quatro minutos, quando Riccieli cabeceou à baliza, mas a bola foi desviada por um defesa e saiu por cima.

Mas, toda a ação digna de registo ocorreu no segundo tempo, com o Boavista a chegar ao 2-0, beneficiando de dois erros do guarda-redes Zlobin.

Os golos de Hamache, primeiro, e Javi García, depois, deixaram as ‘panteras’ a sonhar com a estreia a vencer, mas um penálti cometido pelo médio espanhol, que lhe valeu o segundo amarelo e a correspondente expulsão, devolveu o Famalicão ao jogo, com Rúben Lameiras a reduzir da linha de 11 metros, aos 85.

Antes, aos 68 minutos, o mesmo jogador tinha beneficiado de um penálti, mas falhou em dose dupla: no primeiro remate, permitiu a defesa a Léo Jardim e, na recarga, atirou à barra.

O guarda-redes do Boavista prometeu, aí, ser uma das figuras da partida e a verdade é que acabou por ser, mas pela negativa, sendo muito mal batido no lance que permitiu o empate aos famalicenses, no quarto minuto de compensação, num livre direto lateral de Jhonata Robert.

Com o empate, o Famalicão fica na nona posição, com seis pontos, enquanto o Boavista mantém-se abaixo da ‘linha de água’, somando apenas três.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio Municipal de Famalicão.

Famalicão – Boavista, 2-2.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

0-1, Hamache, 69 minutos.

0-2, Javi García, 75.

1-2, Rúben Lameiras, 85 (grande penalidade).

2-2, Jhonata Robert, 90+4.

Equipas:

– Famalicão: Zlobin, Babic, Lameiras, Gustavo Assunção, Riccieli, Joaquín Pereyra, Valenzuela (Jhonata Robert, 85), Gil Dias, Jordão (Ivan Jaime, 71), Patrick (Morer, 85) e Dyego Sousa (Trotta, 70).

(Suplentes: Vaná, Morer, Henrique Trevisan, Guga, Jhonata Robert, Leonardo Campana, Iván Jaime, Lukovic e Trotta).

Treinador: João Pedro Sousa.

– Boavista: Léo Jardim, Cannon, Devenish, Chidozie, Hamache, Reisinho, Javi García, Sauer (Show, 79), Paulinho, Elis (Yusupha, 88) e Nuno Santos (Mangas, 90+1).

(Suplentes: Bracali, Gomez, Benguche, Yusupha, Juwara, Mangas, Nathan, Show e Sebastien Perez).

Treinador: Vasco Seabra.

Árbitro: Tiago Martins (AF Lisboa)

Ação disciplinar: cartão amarelo para Valenzuela (20), Javi Garcia (37 e 83), Babic (49), Chidozie (65), Gustavo Assunção (78), Paulinho (90+3), Cannon (90+6). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Javi García (83).

Assistência: jogo disputado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 20h18)

Anúncio

Futebol

Rui Jorge diz que só “um grande jogo” permite a Portugal vencer os Países Baixos

Futebol

em

Foto: DR

O selecionador português de futebol sub-21, Rui Jorge, disse hoje que a equipa terá de fazer na quarta-feira “um grande jogo” para vencer os Países Baixos, no encerramento da qualificação para o Europeu da categoria.

Com as duas equipas já apuradas, o jogo no Estádio Municipal de Portimão, distrito de Faro, pelas 19:30 de quarta-feira, servirá para definir o primeiro classificado, com os holandeses em vantagem.

Para lá chegar, os lusos terão de vencer por dois golos de diferença perante uma formação que marcou 45 golos até aqui e que, segundo Rui Jorge explicou em conferência de imprensa, “tem sido até ao momento a melhor seleção do grupo”.

“Tem números impressionantes para o apuramento. Ofensivamente, [são] muito fortes, com grande capacidade de concretização, tendo muitos golos marcados. Teremos de estar ao nosso melhor nível se queremos passar para a frente do grupo”, atirou.

Perante um adversário que está “ao nível da fase final” do Europeu, o selecionador espera que os Países Baixos apresentem “problemas” que até agora só viu “com a Noruega” e no primeiro jogo entre os dois, a única derrota lusa, em solo holandês, por 4-2.

“Somos uma equipa dominadora, e eles também. Alguma das equipas terá que, em vários momentos, fazer aquilo a que não está habituada. Será [preciso] saber lidar com esse momento”, avisou.

Rui Jorge sofreu hoje um revés, com a dispensa por problemas físicos do lateral-esquerdo Nuno Mendes, e escusou-se a nomear o seu substituto na quarta-feira, dizendo que qualquer um dos laterais direitos convocados pode fazer o papel, com a escolha a recair sobre Tomás Tavares, Diogo Dalot, Thierry Correia ou Pedro Pereira.

Ao contrário de Nuno Mendes, que “abrirá a vaga para outro jogador” poder mostrar-se neste nível, Jota está apto para o jogo, com o selecionador a elogiar o leque de escolhas à sua disposição.

“A riqueza do espaço dos sub-21 é ter jogadores de grande qualidade, e há outros que nem aqui estiveram ainda, como o Tomás Ribeiro ou o David Carmo, por exemplo”, referiu.

Continuar a ler

Futebol

João Afonso espera que Gil Vicente corrija erros após a troca de treinador

I Liga

em

Foto: DR

O médio João Afonso disse hoje que o Gil Vicente deve aproveitar a entrada do treinador Ricardo Soares e a interrupção competitiva para “corrigir” os erros que custaram pontos na I Liga portuguesa de futebol.

Depois de cinco pontos nos três primeiros jogos do campeonato, a equipa de Barcelos averbou quatro derrotas seguidas, caiu para o 17.º e penúltimo lugar antes da paragem em curso e contratou Ricardo Soares para o lugar do técnico que iniciou a época, Rui Almeida, com o jogador a admitir que os ?’alos’ cometeram “erros que não poderiam cometer”

“Tivemos uma troca no comando [técnico] recente. Estamos a aproveitar a paragem para corrigir o que estávamos a errar, para termos mais acertos do que erros. Precisamos de ganhar e de voltar a ter confiança para retomarmos o caminho certo”, disse, num vídeo publicado nas paginais oficiais do clube minhoto nas redes sociais.

O médio brasileiro, de 25 anos, realçou, porém, que o plantel gilista tem “muita qualidade” e precisa de “assimilar bem” as ideias do novo ‘timoneiro’, oficializado na sexta-feira, para inverter o ciclo de derrotas, consumado diante de FC Porto (1-0), Sporting (3-1), Vitória de Guimarães (2-1) e Nacional (2-1).

“Ainda estamos num processo de assimilar as ideias e a questão da intensidade. Estamos a conhecer o ‘mister’ cada vez mais e ele a nós”, afirmou João Afonso, futebolista utilizado nos sete encontros do campeonato.

O Gil Vicente volta a jogar para a I Liga às 15:00 de 29 de novembro, um domingo, quando receber o Rio Ave, mas, antes, visita o Oleiros, do Campeonato de Portugal, em partida que abre a terceira eliminatória da Taça de Portugal, agendada para as 14:30 de sexta-feira, na qual João Afonso espera “conseguir a vitória”, mas “respeitando o adversário”.

Continuar a ler

Futebol

FIFA adia Mundial de clubes para fevereiro de 2021

Mundial de Clubes

em

Foto: fifa.com / DR

O Campeonato do Mundo de clubes de futebol, que estava agendado para dezembro, foi adiado para fevereiro de 2021, no Qatar, devido à indefinição provocada pela pandemia de covid-19 em algumas competições continentais, anunciou hoje a FIFA.

Entre as sete equipas que vão participar na prova, agendada para decorrer de 01 a 11 de fevereiro do próximo ano, apenas o campeão e representante europeu, Bayern de Munique, e o anfitrião Al-Duhail estão garantidos.

O quadro completo da prova só será conhecido no final de janeiro de 2021, uma vez que, por exemplo, o campeão sul-americano (CONMEBOL) só ficará decidido no final desse mês, com a decisão da Taça dos Libertadores, enquanto os representantes da CONCACAF (América do Norte, Central e Caraíbas) e da AFC (Ásia) serão conhecidos no final de dezembro deste ano.

Por outro lado, o Comité Executivo da FIFA decidiu adiar para 2022 os campeonatos do mundo de futebol feminino de sub-17 e sub-20, que estavam previstos para este ano. O Mundial de sub-17 vai decorrer na Índia, enquanto o de sub-20 será na Costa Rica.

Continuar a ler

Populares