Seguir o O MINHO

Futebol

Famalicão elimina Lourosa no desempate por grandes penalidades

3.ª eliminatória da Taça de Portugal

em

Foto: Facebook de FC Famalicão

O Famalicão venceu hoje o Lourosa por 6-5 no desempate por grandes penalidades, em jogo da 3ª eliminatória da Taça de Portugal, disputado no Estádio do Lusitânia, após um empate sem golos no tempo regulamentar e no prolongamento.

Anderson, aos 69 minutos, colocou o Famalicão em vantagem, mas Goba Zakpa aproveitou uma falha do guarda-redes Vaná (90+1)para assegurar a igualdade para a equipa do Campeonato de Portugal, levando o jogo para prolongamento, período em que se registou uma igualdade sem golos.

No desempate por grandes penalidades, o Famalicão foi mais forte, vencendo por 6-5 e garantindo a presença na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal.

Depois de um início prometedor do Famalicão, exercendo pressão na frente de ataque, foi o Lourosa quem dispôs da primeira oportunidade perigosa, com uma remate potente de Serginho que parou nas mãos de Vaná, aos 12 minutos.

O Famalicão manteve o seu caudal ofensivo e aos 27 minutos Guga rematou colocado dentro da área para uma boa defesa de Wilson Soares (27), com a resposta do Lourosa a surgir dos pés de Léo, que rematou por cima da barra entre os centrais do Familicão (36).

A fechar a primeira parte, o Famalicão desperdiçou uma grande oportunidade para se colocar em vantagem, quando Toni Martinez, já dentro da pequena área e com a baliza à sua mercê, rematou ao lado (45).

A equipa de João Pedro Silva teve uma entrada forte na segunda parte e esteve perto de inaugurar o marcador quando Diogo Gonçalves aproveitou um ressalto para surgir isolado na área, com Wilson Soares a defender por instinto o cabeceamento do avançado, aos 54 minutos.

O Famalicão acabou por chegar à vantagem aos 69 minutos, depois de a bola ter sofrido um desvio num livre apontado por Patrick William, e com Anderson a surgir isolado à entrada da pequena área para bater Wilson Soares.

A perder, o Lourosa apostou tudo no ataque e esteve perto de empatar aos 80 minutos, quando Jaime Poulson rematou ao lado do poste da baliza de Vaná.

Já em período de compensação, o Lourosa chegou à igualdade quando Goba Zakpa aproveitou uma saída em falso do guarda-redes Vaná, que dominou mal o esférico (90+1).

No prolongamento, o equilíbrio foi a nota dominante, mas o Famalicão foi mais audaz na fase inicial, com Fábio Martins a dispor de uma oportunidade para marcar, ao rematar contra um adversário à entrada da pequena área, com a bola a sair ao lado da baliza de Wilson Soares (95).

Perto do final do prolongamento, Anderson falhou o remate quando surgiu isolado na área após uma desatenção da defesa do Lourosa (117), com o Lourosa a ficar reduzido a dez unidades pouco depois, após expulsão de Carvalho (102+1).

No desempate por grandes penalidades o Famalicão foi mais forte, com Lionn a confirmar o triunfo por 6-5.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Lusitânia, em Lourosa.

Feirense – Lusitânia de Lourosa: 1-1.

Ao intervalo: 0-0.

Final tempo regulamentar: 1-1.

Pimeira parte prolongamento: 1-1.

Prolongamento: 0-0.

Marcadores:

0-1, Anderson, 69 minutos.

1-1, Goba Zakpa, 90+1.

Marcadores no desempate por grandes penalidades:

1-0, Ministro.

1-0, Fábio Martins (defesa do guarda-redes).

2-0, Gil Dias.

2-1, Anderson.

3-1, Paulo Tavares.

3-2, Pedro Gonçalves.

4-2, Jaime Poulson.

4-3, Patrick William.

4-3, Hélder Castro (defesa do guarda-redes).

4-4, Ruben Lameiras.

5-4, Goba Zakpa.

5-5, Guga.

5-5, Paulo Grilo (ao lado).

6-5, Lionn.

Equipas:

– Lusitânia de Lourosa: Wilson Soares, Vitinha, Gil Dias, Carvalho, Serginho (Hélder Castro, 86), Ministro, Paulo Grilo, Diogo Cunha (Paulo Tavares, 69), Júlio Alves (Jaime Poulson, 63), Léo (Dinis, 112) e Goba Zakpa.

(Suplentes: Leonardo, Paulo Tavares, Hélder Castro, Dinis, Jaime Poulson, Fellipe Andrade e João).

Treinador: Rui Quinta.

– Famalicão: Vaná, Lionn, Nehuen, Riccieli (Patrick William, 46), Tymon, Gustavo Assunção, Racic (Pedro Gonçalves, 83), Guga, Diogo Gonçalves (Ruben Lameiras, 91), Fábio Martins e Toni Martinez (Anderson, 67).

(Suplentes: Defendi, Walterson, Ruben Lameiras, Pedro Gonçalves, Alex Centelles, Anderson e Patrick William).

Treinador: João Pedro Silva.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Riccieli (02), Júlio Alves (09), Diogo Cunha (21), Gil Dias (48), Fábio Martins (48), Diogo Gonçalves (76), Patrick William (80), Vitinha (90+3), Dinis (115) e Carvalho (118 e 120+1). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Carvalho (120+1).

Assistência: Cerca de 3.500 espetadores.

Anúncio

Futebol

Vitória procura manter-se na perseguição ao rival minhoto

17.ª jornada da I Liga

em

Foto: Twitter

O Vitória SC procura, este sábado, na receção ao Santa Clara, manter-se na perseguição ao Sporting de Braga, quinto classificado da I Liga portuguesa de futebol, em jogo da 17.ª jornada.

Na ronda que encerra a primeira volta do campeonato, o Vitória, sexto colocado da prova, com 22 pontos, recebe a formação açoriana, 13.ª com 17, a partir das 15:30.

Em caso de triunfo, os vimaranenses repõem a diferença de dois pontos para os rivais minhotos, agora com 27, depois de na sexta-feira terem batido o FC Porto, por 2-1, no Estádio do Dragão.

À mesma hora, a Vila das Aves será o palco do embate entre os dois últimos, Desportivo das Aves e Portimonense, equipas que não vencem há três e quatro jogos, respetivamente.

Em caso de triunfo, os algarvios, com 14 pontos, deixam, provisoriamente, a zona de despromoção, algo que os avenses, com apenas seis, não podem almejar.

Nos outros dois jogos do dia, o Tondela recebe o Moreirense, a partir das 18:00, enquanto o Belenenses SAD será anfitrião do Vitória de Setúbal, numa partida que marca a estreia de Petit no comando técnico dos lisboetas.

Na sexta-feira, o Benfica reforçou a liderança da I Liga, ao vencer por 2-0 o dérbi com o Sporting, tendo agora sete pontos de vantagem sobre o FC Porto, que perdeu na receção ao SC Braga, por 2-1.

Programa da 17.ª jornada:

– Sexta-feira, 17 janeiro:

FC Porto – SC Braga, 1-2.

Sporting – Benfica, 0-2.

– Sábado, 18 janeiro:

Desportivo das Aves – Portimonense, 15:30.

Vitória SC – Santa Clara, 15:30.

Tondela – Moreirense, 18:00.

Belenenses SAD – Vitória de Setúbal, 20:30.

– Domingo, 19 janeiro:

Paços de Ferreira – Gil Vicente, 15:00.

Famalicão – Marítimo, 17:30.

Rio Ave – Boavista, 20:00.

Continuar a ler

Futebol

Bis de Rafa (Benfica) deixa Braga a dois pontos do Sporting

I Liga

em

Foto: DR

Dois golos de Rafa garantiram, esta sexta-feira, a vitória do Benfica no terreno do Sporting, por 2-0, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com os ‘encarnados’ a aumentarem a vantagem na liderança do campeonato.

O internacional português, que tinha entrado em campo no decorrer da segunda parte, marcou o primeiro golo do jogo aos 80 minutos e aumentou a vantagem aos 90+9, garantindo os três pontos para o Benfica, que termina a primeira volta com 19 pontos de vantagem sobre o Sporting.

O Benfica, que somou a 14.ª vitória consecutiva na prova, lidera o campeonato com 48 pontos, aumentando para sete a vantagem sobre o FC Porto, que perdeu hoje com o SC Braga, enquanto o Sporting mantém o quarto lugar, com 29 pontos, mais dois que os bracarenses.

Continuar a ler

Futebol

“Foi um resultado histórico, mas não é mais importante que o jogo com o Moreirense”

Braga vence no Dragão 15 anos depois

em

Imavem via PressNet

Declarações no final do encontro FC Porto-SC Braga (1-2), da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol:

Rúben Amorim (treinador do SC Braga): “Entrámos com a nossa forma de ser, sabíamos que o FC Porto era muito forte. O mais importante foi que os jogadores perceberam quando tinham de pressionar na frente, quando tinham de baixar. Perceberem esses momentos em tão pouco tempo de treino, revela muita qualidade e muita inteligência dos nossos jogadores.

A equipa teve a ‘estrelinha’, eu tive a ‘estrelinha’. Jogou bem, mereceu vencer, adaptou-se muito bem a todas as situações, mas, depois, é preciso a ‘estrelinha’. Felizmente, tivemos nos dois penáltis. Foi um dia bom e uma vitória muito importante.

Não está a nascer um novo paradigma. Não nos estamos a desviar da nossa forma de ser consoante as equipas. Agora, os jogadores têm de entender que são três vitórias.

Depois, temos o Moreirense. E se correr mal? O que eles têm de ter na cabeça é que se corre mal, volta tudo ao mesmo patamar. O futebol hoje é verdade, amanhã é mentira. Sim, foi um resultado histórico, mas não é mais importante do que o Moreirense, porque se não ganharmos ao Moreirense, volta tudo à estava zero.

Todos os adeptos do Braga têm de estar felizes.

Eu sei que é histórico e sou o primeiro a estar feliz. Mas não é uma prenda. O Braga já teve outros jogos importantes. É levar isto com naturalidade”.

– Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “O primeiro lance em que o Braga chega à baliza foi num canto, que surgiu do nada, e faz o golo. Até aos 20 minutos, demorámos a encaixar o espaço e a condicionar o Braga, depois disso conseguimos fazê-lo. Merecíamos ir para o intervalo com outro resultado.

Na segunda parte, entrámos muito fortes. Até aos 75 minutos, penso que fomos o melhor FC Porto deste ano aqui no Dragão. Muito intenso. Conseguimos fazer o golo do empate e, noutro canto, o Braga castigou-nos mais uma vez.

Assumo na totalidade a responsabilidade desta derrota. O futebol é isso, foi um jogo muito ingrato, infeliz da nossa parte e muita ‘estrelinha’ para o Braga.

Cada jogo que passa, e perdendo pontos, começa naturalmente a ser mais difícil de chegar ao título. Acabou a primeira volta, ainda há muito para jogar, estão muitos pontos em disputa, e tenho um grupo que me faz acreditar que é possível. Ninguém atira a toalha ao chão.

Estamos desiludidos, tristes. Se calhar, igual ao que estavam nas bancadas. Mas, isto é futebol e amanhã estamos a treinar novamente.

Quando as coisas correm bem, toda a gente é amigo, toda a gente aplaude. Os adeptos querem resultados, vitórias, querem ganhar, como nós”.

Continuar a ler

Populares