Seguir o O MINHO

Região

Fala francês? Randstad está a contratar para call centers de Viana, Fafe e Vieira do Minho

em

Foto: DR / Arquivo

A Randstad está a desenvolver um processo de recrutamento para o reforço da área de serviço de apoio ao cliente da Altice. No total, são mais de 100 vagas que estão em aberto, dirigidas a candidatos fluentes em francês disponíveis para iniciar funções no arranque de 2019. O objetivo é reforçar as equipas dos centros de atendimento de de Viana do Castelo, Fafe e Vieira do Minho, na região do Minho, e também de Amarante, Castelo Branco, Covilhã, Guarda, Lamego, Macedo de Cavaleiros, Oliveira do Hospital, Penafiel, Vila Real e Viseu, no resto do país, anunciou hoje a empresa de recursos.

“Estimular a diminuição da taxa de desemprego local, atrair população tecnicamente qualificada, criar postos de trabalho e revitalizar o tecido económico e social na zona interior do país são os objetivos centrais deste projeto desenvolvido em parceria pela Randstad para a Altice”, pode ler-se numa nota enviada a O MINHO.

Para além da criação de emprego fora dos grandes centros urbanos, um fator cada vez mais valorizado no atual contexto económico, este projeto tem uma componente social e formativa muito relevante, que cria oportunidades há muito desejadas para quem pretende viver e trabalhar na sua terra de origem bem como por quem pretende regressar, seja de outros pontos do país seja do estrangeiro.

“Esta parceria conta com uma forte vertente formativa na língua francesa: a Randstad, em conjunto com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), disponibiliza formação em francês aos candidatos com conhecimentos básicos no idioma que pretendam integrar o centro de atendimento”, é assinalado.

Os interessados em concorrer a estas vagas podem candidatar-se através do site da Randstad (https://www.randstad.pt/empregos-em-destaque/parlez-vous-francais/ ).

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Barcelos

Incêndios: 102 bombeiros e quatro meios aéreos a combater chamas em Barcelos – atualização

Fogo deflagrou cerca das 13:30

em

Foto: O MINHO

O incêndio que deflagrou hoje à tarde numa zona de mato no concelho de Barcelos está a ser combatido por 102 bombeiros e quatro meios aéreos, segundo informação na página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Às 15:30 fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga adiantou à Lusa que o incêndio tinha três frentes ativas, não estando próximo de habitações.

Foto: Facebook de Bruno Leiras

A mesma fonte indicou ainda que no combate às chamas estavam operacionais das corporações de bombeiros da zona oeste do distrito de Braga, da Força Especial de Bombeiro e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR, apoiados por 25 veículos e quatro meios aéreos.

De acordo com a página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), este incêndio em mato teve início às 13:26.

A ANPC registava às 16:42 um total de 20 incêndios rurais, que mobilizavam um total de 287 operacionais, 82 viaturas e sete meios aéreos.

Dos 20 fogos, sete estavam ativos e os restantes em resolução e em conclusão.

Continuar a ler

Braga

Picoto Park abriu portas em Braga

Receita do primeiro dia vai ser revertida para sete instituições de solidariedade

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Inaugurou está sábado o Picoto Park, em Braga. A receita do primeiro dia vai ser revertida para sete instituições de solidariedade da cidade.

Localizado na encosta Norte do Monte do Picoto, numa área total de 14.000 m2 e integrado numa vasta e requalificada mancha florestal autóctone, o Picoto Park dispõe de actividades para idades a partir dos 3 anos e para vários tipos de públicos (privado, escolar e empresarial).

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Uma das principais atracções do Picoto Park é um circuito de arborismo panorâmico. Trata-se de um circuito suspenso, com 14 plataformas construídas em árvores, a alturas que variam entre os 8 e os 16 metros. O circuito termina com um slide de 150 metros, igualmente panorâmico.

O parque tem também uma zona de salto em queda livre, a 18 metros de altura e com vista para a cidade. Dispõe ainda de um espaço de diversões infantis, com aparelhos totalmente construídos em madeira e sem recurso a energia eléctrica.

Continuar a ler

Ponte de Lima

Obra parada no centro de Ponte de Lima causa insatisfação de comerciantes

No Largo de Camões

em

Foto: Porto Canal

Alguns comerciantes de Ponte de Lima estão insatisfeitos com uma obra parada no Largo de Camões, no centro da vila, por tirar a visibilidade e atrapalhar os negócios.

Na origem do descontentamento está a estrutura de contenção de um prédio que está em obras, mas a requalificação está interrompida. A vistoria de cerca de um ano atrás verificou que há risco de derrocada do edifício, segundo explica o Porto Canal em reportagem publicada esta sexta-feira.

Segundo os comerciantes, os visitantes não passam pela rua, nem passam pelo local, e as quedas de faturamento chegam aos 20%.

Um dos inquilinos do prédio moveu uma acção judicial contra o empreiteiro e proprietário do imóvel.

A autarquia diz que está atenta à situação dentro do que são as suas competências, e que está a fazer uma abordagem do ponto de vista jurídico de como o Município poderá intervir na situação.

Continuar a ler
Anúncio

ÚLTIMAS

Reportagens da Semana

EM FOCO

Populares