Seguir o O MINHO

Alto Minho

Faixa cortada na A27 após colisão com dois feridos em Ponte de Lima

Acidente

em

Foto: DR

Duas pessoas sofreram ferimentos na sequência de uma colisão entre duas viaturas ligeiras, ao final da noite desta sexta-feira, na autoestrada em Ponte de Lima.


Ao que apurámos, os dois veículos seguiam no sentido Arcozelo – Arcos de Valdevez quando terão colidido na faixa da direita, ainda em Arcozelo.

O trânsito segue na faixa mais à esquerda enquanto os Bombeiros de Ponte de Lima procedem a trabalhos na via.

Desconhece-se ainda a gravidade dos ferimentos.

A Brigada de Trânsito da GNR está no local.

O alerta foi dado às 23:24.

Anúncio

Alto Minho

Melgaço quer atrair residentes das cidades: “É como estar em férias de forma permanente”

Demografia

em

Castro Laboreiro é um dos pontos mais a norte de Portugal. Fica a 27 quilómetros da vila de Melgaço, sede do concelho. Foto: DR / Arquivo

O Município de Melgaço lançou um novo pacote para atrair residentes das grandes cidades, intitulado “Viver em Melgaço”, foi hoje anunciado.

Em comunicado enviado à nossa redação, a autarquia dá conta de novas medidas para esse efeito, como isenção de taxas para construir habitação própria, fundo de apoio à criação de micro-negócios ou novos apoios à natalidade e a famílias numerosas.

Manoel Batista, presidente da Câmara, conta um testemunho de um recém-habitante: “um novo habitante de Melgaço, confessou-me que aqui sente-se em férias permanentemente. Garantiu que o tempo que gastava no trânsito todos os dias se transformou em tempo de qualidade com a família e lhe permitiu voltar a uma antiga paixão: a prática de desporto”.

“Queremos convidar os portugueses a virem viver em Melgaço”, reforça o autarca, lembrando que a pandemia de covid-19 obrigou a novos hábitos e fez com que as pessoas “repensassem o seu modo de viver e onde viver”.

Explica que o trabalho à distância permite a que se viva longe das grandes cidades, enquanto se procura melhor qualidade de vida. E Melgaço, diz o autarca, proporciona o melhor desse mundo.

“Queremos convidar os portugueses a virem viver em Melgaço. Esta nova realidade demonstrou-nos novas formas de viver. O trabalho à distância está a levar os portugueses a procurarem maior qualidade de vida e a abandonar os grandes centros. Queremos mostrar que Melgaço é uma boa opção para viver. Queremos acolher mais habitantes”, refere o autarca,

Manoel Batista realça as “condições excelentes” do concelho: “Sabemos que quem optar por viver em Melgaço vai encontrar aqui os serviços básicos necessários. A tudo isto acresce uma qualidade de vida saudável, muito diferente da das grandes áreas metropolitanas e uma paisagem única. Estamos a criar um pacote ainda mais apetecível, para quem escolher Melgaço para Viver… e contamos com o Governo para nos apoiar neste desígnio”.

Entre as medidas estão: Isenção de taxas de urbanização e edificação para habitação própria e permanente para casais até aos 35 anos, para uma área bruta de construção de até 250 m2; intenção de derrama sobre o IRC das empresas; fundo de apoio a micro-negócios (até 45 mil euros), o Melgaço Finicia, com parte do capital sem juros; apoios ao investimento específicos para territórios do interior e medidas de apoio à natalidade, à primeira infância, às famílias numerosas e outros apoios inseridos no Plano de Desenvolvimento Sustentável e Solidário (PDSS).

Continuar a ler

Alto Minho

Sobe para 63 número de utentes infetados na Casa da Caridade, em Ponte de Lima

Covid-19

em

Foto: DR

Mais oito utentes da Casa da Caridade de Ponte de Lima estão infetados com o novo coronavírus, fazendo subir para 63 o número total de casos na instituição, disse hoje o diretor.

Contactado pela agência Lusa, Agostinho Freitas explicou que aumento surge na sequência dos testes realizados na quinta-feira aos 12 utentes que tinham testado negativo.

Os únicos quatro utentes que não estão infetados com o novo coronavírus Sars-Cov-2 vão ser transferidos durante a tarde de hoje para uma unidade hoteleira em Ponte de Lima.

Aquele serviço foi “contratualizado pela instituição, em parceria com a Câmara de Ponte de Lima”.

Do total de idosos que a instituição acolhe (67), 63 estão infetados.

“Os utentes permanecem na instituição. O seu estado de saúde é estável. Estão com alguns sintomas como problemas respiratórios, dores de garganta, e náuseas. Não houve necessidade de recorrer ao hospital, onde permanece apenas um idoso de 85 anos”, referiu Agostinho Freitas.

Além dos utentes, 11 dos 33 funcionários da instituição estão infetados.

O surto de covid-19 associado a esta estrutura residencial para pessoas idosas (ERPI) teve início na última sexta-feira, com a confirmação dos dois primeiros casos em utentes.

No sábado, a instituição acionou o plano de contingência e, no domingo, “foram testados todos os utentes e colaboradores da ERPI”, sendo que os resultados foram conhecidos na terça-feira e separados os utentes positivos dos negativos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 45,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Portugal registou hoje um novo máximo de novas infeções diárias de infeção com o novo coronavírus com o registo de 4.656 casos positivos nas últimas 24 horas, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Continuar a ler

Alto Minho

Caminha vai fazer minuto de silêncio pelas vítimas da covid-19

No dia 2 de novembro

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Caminha está a promover uma ação junto da população para ser feito um minuto de silêncio, às 12:00, da próxima segunda-feira, dia 2 de novembro, Dia de Finados e de Luto Nacional pelas vítimas da covid-19 decretado pelo Governo.

“A ideia é a de motivar as pessoas a, dentro de cada contexto e de cada possibilidade, pararem o que estão a fazer ao meio-dia da próxima segunda-feira, juntando-se a toda a comunidade num minuto de silêncio sentido que será acompanhado pelo toque das sirenes dos Bombeiros de Caminha e Vila Praia de Âncora e pelo som dos sinos das igrejas de todas as paróquias”, explica a autarquia em comunicado.

O presidente da Câmara, Miguel Alves, citado no comunicado, considera que se “trata de um momento simbólico e naturalmente voluntário”.

“Num singelo minuto de reflexão interior, pretendemos honrar as vítimas da doença e agradecer a todos os que a combatem, das diferentes formas. Pedimos às pessoas para pararem o que estão a fazer, se puderem, de modo a criarmos um cordão invisível de homenagem a quem tanto sofre. Sei que os trabalhadores do Município estão sensibilizados para o momento e quero referir a pronta colaboração dos Bombeiros e do Arciprestado de Caminha mas gostava, de uma forma ou de outra, que toda a população se juntasse a nós neste gesto tão emotivo”, acrescenta o autarca.

O concelho de Caminha regista 168 casos de infeção desde o início da pandemia – tendo 67 ativos – e quatro óbitos.
Além de restrições no acesso aos cemitérios, este fim de semana a Câmara suspendeu a travessia do ferryboat “para evitar deslocações desnecessárias entre os dois lados do rio Minho”.

Continuar a ler

Populares