Seguir o O MINHO

Ave

Fafe: Novo PDM aumenta 40% a área de construção e alarga zonas industriais

em

A nova versão do Plano Diretor Municipal de Fafe (PDM), já em vigor, dota o concelho de mais 40% de área urbana e aposta no alargamento das duas zonas industriais e criação de uma terceira, de nova geração.


Na consulta do documento, destaca-se que várias das maiores freguesias viram a sua área de construção alargada de forma significativa, destacando-se Moreira de Rei, Travassós e Arões, entre outras.

Para o vereador Eugénio Marinho, procurou-se dar resposta aos anseios das populações, que muitas vezes não conseguiam terrenos para poderem construir as suas habitações “devido aos desfasamentos do PDM anterior”.

As novas zonas urbanizáveis levam em conta as redes de comunicações, ambiente e acessibilidades já existentes.

“Estão reunidas as condições para o concelho poder crescer de forma mais ordenada e acelerar o seu desenvolvimento económico”, explicou hoje.

O autarca responsável pela revisão sublinhou que o novo instrumento de planeamento, cujo processo de atualização foi precedido por dezenas de reuniões, envolvendo várias entidades locais, regionais e nacionais, aponta para uma organização e ordenamento do território mais atual, mais centrada no desenvolvimento económico e emprego.

Por isso, assinalou, a aposta no crescimento das duas áreas industriais existentes, destacando o alargamento, “praticamente para o dobro”, da Zona Industrial do Socorro, junto à cidade, para poder aportar a procura crescente dos empresários.

A zona industrial de Arões também vai crescer, mas uma das grandes novidades do novo PDM é a de prever uma zona industrial em Regadas, com cerca de 45 hectares, muito próxima da partilha com o concelho de Felgueiras.

Eugénio Marinho disse haver uma grande expetativa sobre o sucesso daquela zona industrial, recordando o interesse de vários empresários de Felgueiras em investir numa zona industrial, de nova geração, como a que está perspetivada para Regadas.

O vereador destacou que já estão a ser realizados contactos com os proprietários de terrenos para se proceder à sua avaliação e posterior aquisição, pretendendo a câmara candidatar o projeto aos fundos da União Europeia.

Na conceção da nova zona industrial vão ser envolvidas as universidades e politécnicos da região, para potenciar a capacidade de atratividade.

Por outro lado, previu, a perspetiva da criação de centenas de novos postos de trabalho permitirá ajudar a desenvolver a zona sul do concelho, uma das que, chamou à atenção, tem perdido mais residentes, tendência que urge inverter.

O novo PDM também acautela um aumento das zonas de reserva agrícola e ecológica, sobretudo na zona norte do concelho, mais montanhosa e rural.

Para essa zona, aponta-se para uma aposta no desenvolvimento rural, com projetos de agroindústria, produção florestal e turismo de natureza e religioso que gerem emprego e fixem a população.

O processo de revisão do PDM de Fafe era a principal prioridade política do atual executivo, uma vez que a matéria estava a ser debatida há cerca de 18 anos, concluiu Eugénio Marinho, para destacar a importância do que “agora foi conseguido”.

Anúncio

Ave

Nove infetados em lar para jovens com deficiência em Vizela

Covid-19

em

Foto: DR

A Câmara de Vizela revelou hoje a existência de nove casos positivos do novo coronavírus na Associação para a Integração e Reabilitação Social de Crianças e Jovens Deficientes de Vizela (AIREV).

Em comunicado, a autarquia do distrito de Braga acrescentou que a situação está “a ser monitorizada pela Delegada de Saúde” a que a autarquia “encontra-se também a acompanhar a situação”.

“Entretanto, foram já desenvolvidos todos os procedimentos para acautelar a saúde e segurança de todos os utentes daquele lar, tendo sido criados dois espaços distintos para a separação dos utentes, minimizando a propagação do vírus e assegurando as boas condições de funcionamento daquela instituição”, refere ainda a nota de imprensa.

O concelho de Vizela, “atendendo à escalada do número de infetados por aquela doença” é “um dos concelhos mais afetados do país”, relembra a comunicação do município.

“A Câmara Municipal, para além das determinações emanadas pelo Governo, tem vindo a adotar novas medidas e reforçado grande parte das medidas adotadas no âmbito do Programa de Apoio Municipal – VIZELA COVID-19”.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.263.890 mortos em mais de 50,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.021 pessoas dos 187.237 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Guimarães

Hospital de Guimarães aumenta capacidade em UCI para responder a doentes covid

Covid-19

em

Foto: DR

O Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães, tem, neste momento, dez doentes com covid-19 internados em cuidados intensivos. Com a capacidade instalada, a esta altura, restam duas camas vagas em cuidados intensivos, para doentes covid.

A Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente, para doentes covid do Hospital de Guimarães tinha uma capacidade máxima de seis camas. Esta lotação foi alargada até às doze camas com a recente adaptação de duas salas do bloco operatório para este efeito. Com mais três camas em cada uma destas salas, o hospital ficou com capacidade para receber doze doentes infetados com covid-19 a necessitarem de cuidados intensivos.

Estas capacidade alargada, porém, já está quase esgotada, só restando duas camas livres. O Hospital pondera agora adaptar, nos próximos dias, outra sala de operações para receber mais três doentes covid-19 em cuidados intensivos. Nessa altura o hospital ficará com uma capacidade total de 15 doentes covid em cuidados intensivos. Esta utilização das salas do bloco operatório só foi tornada possível devido à possibilidade, aberta pelo Governo, de os hospitais interromperem todas as atividades não urgentes, nomeadamente as cirurgias programadas.

A Unidade de Cuidados Intensivos, não covid, continua nesta altura a funcionar, com doentes com outros quadros clínicos que acorrem ao hospital diariamente. Esta unidade tem seis camas, das quais duas estão ocupadas. O hospital não prevê, nesta fase, aumentar a capacidade nesta unidade.

O Hospital de Guimarães viu-se obrigado a transferir alguns doentes, entre o final de setembro o inicio de outubro, mas com a lotação atual e com alguma disponibilidade para aumentar a capacidade, essa opção não está ser tomada.

Continuar a ler

Ave

35 infetados num lar de Joane, em Famalicão

Covid-19

em

Foto: DR

O lar Casa de Giestais, em Joane, Famalicão, tem 35 infetados com o novo coronavírus por entre utentes e funcionários da instituição, foi hoje anunciado.

Em declarações à rádio Cidade Hoje, o diretor-geral da Associação Teatro Construção, que gere aquela ERPI, admite que há 22 utentes e 13 funcionários contagiados com covid-19.

O MINHO tentou chegar à falar com Francisco Melo mas tal não foi possível até à edição desta notícia.

Em declarações ao órgão de comunicação de Famalicão, o responsável explica que os primeiros resultados conheceram-se na quinta-feira, depois de alguns utentes apresentarem sintomas compatíveis com a doença.

Foram testados todos os utentes e funcionários descobrindo-se um total de 35 casos positivos.

Os doentes encontram-se “bem”, refere o diretor-geral.

O caso está a ser acompanhado pela autoridade de saúde local.

Continuar a ler

Populares