Seguir o O MINHO

Ave

Fafe inaugurou canil com capacidade para 240 animais

Direitos dos animais

em

Foto: Divulgação / CM Fafe

As novas instalações do canil municipal de Fafe, já inauguradas no passado sábado, têm capacidade para 240 animais, numa área de implantação de 750 metros quadrados, informou hoje a autarquia.


Segundo o município, o novo equipamento custou cerca de 316 mil euros e disponibiliza 40 boxes.

O espaço conta com zonas interiores e exteriores cobertas e um pátio descoberto.

Citado num comunicado enviado à Lusa, o presidente da Câmara de Fafe, Raul Cunha, salientou a importância da obra e refere que a sua concretização se enquadrou nas “políticas de proteção animal que a autarquia tem vindo a desenvolver”.

O autarca apelou, também, “ao sentido de responsabilidade de cada cidadão para o flagelo do abandono animal”, recordando, por outro lado, que os trabalhos realizados decorreram do orçamento participativo de 2016.

“Perante aquele desafio, entendemos que era uma oportunidade para criar um espaço com maior dignidade e qualidade”, destacou.

Fonte municipal assinala que a localização do edificado foi articulada com as instalações que já existiam, tendo em conta a vegetação, a morfologia do terreno e a exposição solar, para “promover as melhores condições de funcionamento”.

Segundo explica a autarquia, a Associação de Defesa dos Direitos dos Animais e Floresta (ADDAF) é a entidade responsável pelo trabalho de voluntariado no canil municipal, com a qual o “município tem estabelecido vários protocolos para aumentar os índices de eficácia” do equipamento e “uma melhor qualidade de vida para os animais alojados”.

Viviane Ramos, presidente da ADDAF, também citada no comunicado, assinala que, no novo espaço, “os animais têm dignidade”, porque tem “todas as condições”.

“Os animais são bem tratados e saudáveis. Estamos muito felizes e agradecidos por este projeto se ter tornado realidade”, acrescentou.

Anúncio

Guimarães

Guimarães bate Braga e Viana como melhor destino citadino para férias em família

Votação da plataforma Vrbo

em

Foto: Divulgação / VRBO

A cidade de Guimarães foi a escolhida por entre as seis que figuravam na eleição de melhor destino citadino para férias em família, numa votação que encerrou esta quarta-feira. A cidade berço bateu, entre outras, Braga e Viana do Castelo.

A escolha e votação foi promovida pela Vrbo, plataforma especialista em arrendamentos de férias para famílias, e pretende “reconhecer o grande esforço desenvolvido pelos municípios portugueses para receber famílias e assegurar umas férias memoráveis e em segurança”.

No anuncio do prémio, a plataforma classifica o “conjunto patrimonial bem preservado e carregado de simbolismo” da cidade, destacando o Castelo de Guimarães, passando pelo Paço dos Duques, o Mosteiro de Nossa Senhora da Oliveira, os Museus e o Parque da Penha.

“Para além da vasta oferta cultural da cidade, toda a sua aura e arquitetura nos transportam para a época medieval – as ruas sinuosas, as sumptuosas casas senhoriais, os arcos e as edificações antigas, fazem da visita uma verdadeira viagem no tempo”, diz a Vrbo.

“Guimarães é uma das mais importantes cidades históricas do país, tendo o seu centro histórico sido reconhecido pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade. Não deixe de explorar os cantos e recantos de uma das cidades portuguesas que mais transborda história e cultura”, finaliza a mesma nota.

Os diferentes destinos foram identificados previamente, através de um inquérito realizado a mais de 200 famílias residentes em Portugal, com base em seis critérios específicos que as mesmas consideram fundamentais na hora de escolherem o seu destino de férias.

Para as famílias portuguesas entrevistadas, os aspetos mais importantes quando se escolhe um destino citadino são: segurança pública, limpeza e manutenção da cidade, serviços sanitários (hospitais, etc.), oferta destinada a crianças em espaços culturais/históricos (visitas adaptadas em museus/monumentos), oferta de restauração variada (restaurantes, cafés, gelatarias, etc.), zonas verdes (parques, jardins).

Os destinos nacionais sujeitos à escolha do público estão divididos em três categorias que representam a diversidade e a tipologia dos destinos nacionais: balneares, citadinos e campestres.

A praia da Apúlia, em Esposende, também venceu na categoria de destinos balneares. Já o Parque Nacional Peneda-Gerês e a vila de Ponte de Lima, que figuravam entre os seis destinos campestres, perderam a votação para Portalegre.

Continuar a ler

Ave

Mau cheiro causado por pecuária em Famalicão leva PAN a questionar o governo

Fradelos

em

Foto: DR

O PAN voltou a questionar o Ministério da Agricultura sobre exploração pecuária em Fradelos, no concelho de Famalicão.

O partido já tinha levado o caso ao governo em março, contudo, refere em comunicado, “perante a aparente inoperância das entidades, a falta de resposta da tutela e as contínuas denúncias por parte dos cidadãos”, insistiu no pedido de esclarecimento sobre a situação.

“Pretendemos que a ministra Maria do Céu Albuquerque venha dar resposta ao PAN e às populações que se têm queixado nomeadamente em face dos maus odores. Queremos perceber em que condições, e se dentro da legalidade, está a funcionar esta exploração pecuária e se, como consta, a tutela aprovou o aumento da capacidade de produção da mesma, não obstante as várias queixas e denúncias”, refere Sandra Pimenta, porta-voz da Concelhia do PAN Famalicão, citada em nota de imprensa.

O PAN quer saber se a empresa procedeu ou não a medidas de mitigação dos maus cheiros que lhe foram determinadas, bem como conhecer que outras medidas de reposição da legalidade foram exigidas pela tutela com vista a mitigar o impacte ambiental e a qualidade de vida da população.

Segundo o PAN, a empresa em questão poderá incorrer num crime de desobediência, face ao incumprimento de um mandato da Inspeção-Geral da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território (IGAMAOT), datado de 2018, no sentido de condenar a empresa a proceder a um conjunto de operações de limpeza, de que decorreu uma participação ao Ministério Público junto do Tribunal Judicial de Famalicão.

“Contudo e apesar do referido, a empresa continua alegadamente a operar de forma impune diariamente privando a população de abrir portas e janelas e de viver num ambiente sadio”, critica.

Segundo o PAN, para além do processo junto da IGAMAOT, têm “proliferado” as queixas junto das mais diversas entidades, como são os casos da Agência Portuguesa do Ambiente, da DRAP-N, da CCDR Norte, do SEPNA, da USP/delegado saúde pública e do presidente Câmara de Famalicão e respetivo vereador com o pelouro do Ambiente.

No caso da DRAP-N, que procedeu a uma avaliação da concentração de odores, acrescenta o partido que este organismo chegou a remeter a 4 março de 2019 uma informação ao delegado de saúde, confirmando “objetivamente a presença de odor intenso” na envolvente da pecuária, tendo, perante esta avaliação, a Autoridade de Saúde informado que “não iria dar parecer favorável à emissão da Licença de Exploração para a pecuária”.

Continuar a ler

Ave

Jovem ameaçava a namorada em Celorico de Basto e foi detido com arma ilegal

Violência doméstica

em

Foto: GNR

Um jovem de 25 anos foi detido, na terça-feira, por posse ilegal de arma, no âmbito de investigação por violência doméstica, em Ribas, no concelho de Celorico de Basto, anunciou a GNR.

Em comunicado, a força militar refere que a investigação “durava há dois meses”, tendo sido apurado “que o indivíduo ameaçava e coagia psicologicamente a sua ex-namorada de 22 anos.

No cumprimento de dois mandados de busca, um em residência e outro numa viatura, foram apreendidos uma arma de fogo, 11 cartuchos não deflagrados e 16 cartuchos deflagrados.

O suspeito foi constituído arguido.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Braga.

Continuar a ler

Populares