Seguir o O MINHO

Desporto

Fafe: Diana Durães na final dos 800 metros dos Europeus com recorde nacional

Em Glasgow

em

Foto: Divulgação / FP Natação (Arquivo)

A nadadora portuguesa Diana Durães apurou-se hoje para a final da prova dos 800 metros dos Europeus de piscina curta, batendo o recorde nacional na distância.

Em Glasgow, na Escócia, a atleta do Benfica foi sétima classificada na terceira e última eliminatória, com um tempo de 8.20,97 minutos, e garantiu a presença na final, igualmente com a sétima melhor marca das oito finalistas.

O novo recorde português retira mais de dois segundos ao anterior máximo, de 8.23,23 minutos, que tinha sido estabelecido pela nadadora natural de Fafe em dezembro de 2018, nos Campeonatos Nacionais Juniores e Seniores, em Felgueiras.

“Senti-me bem e confirma-se o meu bom momento de forma com os recordes nacionais hoje, nos 800, e nos 1.500, no dia 23 de novembro, em Felgueiras. O objetivo de hoje era passar à final e isso foi conseguido. Não estava a ligar ao tempo, apenas focada na classificação. Sabia que a prova de eliminatórias seria forte, mas tinha de seguir com elas”, disse.

Citada pela Federação Portuguesa de Natação, Diana Durães lembrou que há dois anos chegou à final com um tempo superior em cerca de nove segundos, o que “mostra bem o nível deste ano”.

“Tenho mínimos para Jogos [Olímpicos Tóquio2020] nos 1.500 livres, mas gostava de fazer aos 400 e 800 metros. Na final já conheço as adversarias e vou dar o meu melhor”, referiu.

Na mesma prova, Tamila Holub terminou na 12.ª posição, com um tempo de 8.25,00 minutos, uma nova melhor marca pessoal, ficando a 3,01 segundos da oitava classificada para a final, que se realiza na quinta-feira.

“Bati o recorde pessoal o que é bastante positivo para mim. Revela que estou no bom caminho em termos de progressão e dá-me mais confiança nos treinos e nas competições”, disse a atleta do Sporting de Braga.

Nos 50 metros bruços, Alexandre Amorim e Francisco Quintas falharam a qualificação para as meias-finais. Quintas foi 36.º nas eliminatórias, em 27,72 segundos, e Amorim terminou em 41.º, em 28,22.

José Lopes também não conseguiu a qualificação para a final dos 400 metros livres, ao ser 19.ª nas eliminatórias, com uma marca de 3.45,03 minutos.

Anúncio

Futebol

Bis de Rafa (Benfica) deixa Braga a dois pontos do Sporting

I Liga

em

Foto: DR

Dois golos de Rafa garantiram, esta sexta-feira, a vitória do Benfica no terreno do Sporting, por 2-0, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com os ‘encarnados’ a aumentarem a vantagem na liderança do campeonato.

O internacional português, que tinha entrado em campo no decorrer da segunda parte, marcou o primeiro golo do jogo aos 80 minutos e aumentou a vantagem aos 90+9, garantindo os três pontos para o Benfica, que termina a primeira volta com 19 pontos de vantagem sobre o Sporting.

O Benfica, que somou a 14.ª vitória consecutiva na prova, lidera o campeonato com 48 pontos, aumentando para sete a vantagem sobre o FC Porto, que perdeu hoje com o SC Braga, enquanto o Sporting mantém o quarto lugar, com 29 pontos, mais dois que os bracarenses.

Continuar a ler

Futebol

“Foi um resultado histórico, mas não é mais importante que o jogo com o Moreirense”

Braga vence no Dragão 15 anos depois

em

Imavem via PressNet

Declarações no final do encontro FC Porto-SC Braga (1-2), da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol:

Rúben Amorim (treinador do SC Braga): “Entrámos com a nossa forma de ser, sabíamos que o FC Porto era muito forte. O mais importante foi que os jogadores perceberam quando tinham de pressionar na frente, quando tinham de baixar. Perceberem esses momentos em tão pouco tempo de treino, revela muita qualidade e muita inteligência dos nossos jogadores.

A equipa teve a ‘estrelinha’, eu tive a ‘estrelinha’. Jogou bem, mereceu vencer, adaptou-se muito bem a todas as situações, mas, depois, é preciso a ‘estrelinha’. Felizmente, tivemos nos dois penáltis. Foi um dia bom e uma vitória muito importante.

Não está a nascer um novo paradigma. Não nos estamos a desviar da nossa forma de ser consoante as equipas. Agora, os jogadores têm de entender que são três vitórias.

Depois, temos o Moreirense. E se correr mal? O que eles têm de ter na cabeça é que se corre mal, volta tudo ao mesmo patamar. O futebol hoje é verdade, amanhã é mentira. Sim, foi um resultado histórico, mas não é mais importante do que o Moreirense, porque se não ganharmos ao Moreirense, volta tudo à estava zero.

Todos os adeptos do Braga têm de estar felizes.

Eu sei que é histórico e sou o primeiro a estar feliz. Mas não é uma prenda. O Braga já teve outros jogos importantes. É levar isto com naturalidade”.

– Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “O primeiro lance em que o Braga chega à baliza foi num canto, que surgiu do nada, e faz o golo. Até aos 20 minutos, demorámos a encaixar o espaço e a condicionar o Braga, depois disso conseguimos fazê-lo. Merecíamos ir para o intervalo com outro resultado.

Na segunda parte, entrámos muito fortes. Até aos 75 minutos, penso que fomos o melhor FC Porto deste ano aqui no Dragão. Muito intenso. Conseguimos fazer o golo do empate e, noutro canto, o Braga castigou-nos mais uma vez.

Assumo na totalidade a responsabilidade desta derrota. O futebol é isso, foi um jogo muito ingrato, infeliz da nossa parte e muita ‘estrelinha’ para o Braga.

Cada jogo que passa, e perdendo pontos, começa naturalmente a ser mais difícil de chegar ao título. Acabou a primeira volta, ainda há muito para jogar, estão muitos pontos em disputa, e tenho um grupo que me faz acreditar que é possível. Ninguém atira a toalha ao chão.

Estamos desiludidos, tristes. Se calhar, igual ao que estavam nas bancadas. Mas, isto é futebol e amanhã estamos a treinar novamente.

Quando as coisas correm bem, toda a gente é amigo, toda a gente aplaude. Os adeptos querem resultados, vitórias, querem ganhar, como nós”.

Continuar a ler

Desporto

Portugal vence Suécia no Euro2020 de andebol (por 10 golos de diferença)

35-25

em

Foto: EFH

A seleção portuguesa de andebol venceu hoje a Suécia, vice-campeã europeia, por 35-25, na estreia na ronda principal do Euro2020, segunda fase do torneio, somando os primeiros pontos.

A equipa das quinas entrou bem no jogo, que decorreu em Malmo, e ao intervalo já vencia por 15-12, aproveitando a segunda parte para dilatar a vantagem, com o resultado final a assinalar uma vantagem folgada de 10 golos.

Portugal, tal como os suecos, entraram em desvantagem na fase decisiva da prova, uma vez que perderam os jogos com a Noruega (34-28) e a Eslovénia (21-19), respetivamente, as outras equipas qualificadas dos respetivos grupos da fase preliminar, que transportam os resultados entre si.

A seleção portuguesa soma assim os primeiros dois pontos no Grupo II, que é liderado pelo Noruega e Eslovénia, ambas com quatro pontos. Integram ainda o grupo a Hungria (dois pontos), Islândia e Suécia (ambas com zero).

Continuar a ler

Populares