Seguir o O MINHO

Alto Minho

Ex-remador Rui Seixo estreia candidatura pela CDU à Câmara de Caminha

Eleições autárquicas

em

Foto: DR

Rui Seixo, ex-remador de 34 anos, vai candidatar-se, pela primeira vez, como cabeça de lista da CDU à Câmara de Caminha, e está confiante que o partido conseguirá representação no executivo daquele concelho do distrito de Viana do Castelo.

“Desde os meus 18 anos que sempre fiz parte das listas da CDU. Em 2017 integrei a lista à assembleia de freguesia de Moledo e Cristelo e, este ano, vou estrear-me como candidato à Câmara de Caminha. Estamos muito confiantes que vamos conseguir eleger pelo menos um mandato de vereador. Ganhar seria um ótimo resultado, mas não sendo possível queremos eleger o maior número de vereadores”, disse hoje à agência Lusa, Rui Seixo.

Técnico superior de diagnóstico e terapêutica na Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Rui Seixo foi atleta de remo e obteve vários títulos nacionais, integrando a seleção nacional em todos os escalões.

Já afastado da modalidade vai “remar” pela CDU para “desafiar a constituição dicotómica da Câmara de Caminha ao longo dos sucessivos mandatos, numa alternância política entre PS e PSD”.

“Chegamos a uma altura em que tem de haver um momento de rutura e a CDU representa uma proposta muito válida tendo em conta o trabalho que temos desenvolvido na Assembleia Municipal. Temos pessoas capazes de poderem fazer muito melhor pelo concelho”, garantiu.

Além de Rui Seixo, a CDU apresenta Celestino Ribeiro como candidato à Assembleia Municipal de Caminha.

“É uma aposta jovem, esclarecida e interventiva. É uma resposta de abril que oferece a pluralidade democrática necessária à gestão do município. É a garantia de futuro, de projeto, de equilíbrio que convida à participação de todos na construção de um município, a começar pela participação eleitoral. Caminha merece o trabalho, a honestidade e a competência da equipa da CDU”, adiantou.

Nas autárquicas de 2017, o PS garantiu a Câmara de Caminha com 53,15% dos votos e quatro mandatos. O PSD foi a segunda força política mais votada, com 39,14% e três mandatos autárquicos.

O PCP alcançou 2,78% dos votos e o CDS-PP 1,129%.

De acordo com a lei, as eleições autárquicas decorrem entre setembro e outubro, mas a data ainda não está marcada.

Populares