Seguir o O MINHO

Guimarães

Ex-Procuradora Geral da República Joana Marques Vidal fala, em Guimarães, sobre poder e corrupção

IV edição da Nova Ágora

em

Foto: DR

Os “Olhares sobre o Poder e Corrupção” é o tema da conferência que conta com a participação de Joana Marques Vidal, Procuradora-Geral Adjunta no Tribunal Constitucional, no Paço dos Duques.


Marcada para as 21:30, participam, ainda, na IV edição da Nova Ágora, Luís de Sousa, Subdirector e Investigador Auxiliar no Instituto de Ciências Sociais (ICS-ULisboa), e Paulo de Morais, Professor Universitário e Presidente da “Frente Cívica”. A moderação fica a cargo do jornalista António Mateus.

Na sexta-feira seguinte, dia 29 de Março, é a vez dos “Populismos” serem debatidos, desta vez na Casa das Artes, em Famalicão.

A terceira e última conferência deste ano acontece novamente no dia 05 de abril, em Braga, no Espaço Vita. “Migrações” é o tema que encerra o ciclo de conferências desta Nova Ágora.

Anúncio

Guimarães

Programa da Farfetch para graduados arranca com 37 estagiários

Plataforma tecnológica líder global para a indústria da moda de luxo

em

Cipriano Sousa, CTO Farfetch. Foto: Divulgação / Farfetch

A Farfetch, a plataforma tecnológica líder global para a indústria da moda de luxo, começa esta semana mais uma edição do Plug-In para graduados, um programa de estágios remunerados que vai já na 5ª edição e arranca com 37 estagiários nas áreas de Tecnologia, Produto e Data, selecionados de um lote de mais de 2500 candidatos, anunciou a empresa, que tem filiais em Guimarães, Porto, Lisboa, Nova Iorque, Los Angeles, Tóquio, Xangai e São Paulo.

Cipriano Sousa, CTO da Farfetch, afirma que “o Plug-In oferece inúmeras vantagens para os recém-graduados e os números desta edição, com mais de 2500 candidaturas, são a prova do valor do programa”.

“Tenho a certeza que estes 37 estagiários que agora se juntam a nós vão encontrar um ambiente desafiante mas, ao mesmo tempo, terão todo o apoio dos mentores da Farfetch para começarem as suas carreiras da melhor forma e aprenderem com os melhores, numa empresa global, na qual, todos os dias, terão oportunidades de desenvolvimento”.

Ana Sousa, VP People da Farfetch, afirma realça que, “num contexto em que o mercado se ressente por alguma incerteza, é com muita satisfação que damos oportunidade a mais 37 talentos para se desenvolverem na Farfetch”.

Ana Sousa, VP People Farfetch. Foto: Divulgação / Farfetch

“Nas 4 edições anteriores, tivemos 142 a iniciarem as suas carreiras connosco e, desses, hoje mais de 90% continuam a fazer parte das nossas equipas. São números que comprovam a robustez do programa, que procura as melhores competências técnicas, mas também o fit com a cultura e forma de trabalhar da Farfetch”.

Na edição deste ano, quase 40% dos estágios são ocupados por mulheres, num grupo de perfis diversos, que integrará essencialmente áreas de Engenharia e Data Science.

Os estagiários vão trabalhar durante 6 meses em equipas internacionais, com um acompanhamento muito próximo de mentores de diversas áreas da Farfetch, dedicando-se a criar soluções disruptivas para a indústria da moda e para o futuro do comércio online.

Pela primeira vez, o programa vai decorrer de forma remota. Ana Sousa, VP People da Farfetch, nota que, “numa empresa internacional, estar remoto não é algo totalmente novo”.

“Naturalmente tivemos que nos adaptar por causa da pandemia, mas queremos continuar a reforçar a nossa aposta no talento. Estamos perfeitamente preparados para receber este grupo de forma remota, e tenho a certeza que vamos ser capazes de proporcionar uma experiência única e enriquecedora, tal como aconteceu nas edições anteriores.

Neste momento, o importante é, sobretudo, garantir o bem-estar e a segurança física e psicológica de todos”, considera.

A Farfetch encara o Plug-In como um meio privilegiado para os recém-graduados darem o salto entre o mundo de ensino e o profissional, num ambiente que os desafia a serem revolucionários e lhes dá uma perspetiva de negócio verdadeiramente global.

Continuar a ler

Guimarães

Rampa da Penha, em Guimarães, cancelada por causa da pandemia

Automobilismo

em

Foto: DR

A Rampa da Penha, em Guimarães, prova de automobilismo do Campeonato de Portugal de Montanha, prevista para o próximo fim de semana, foi hoje anulada pelas autoridades sanitárias devido à atual situação pandémica.

“Por razões de saúde pública, tendo em conta a situação epidemiológica que se verifica na região Norte e em particular no concelho de Guimarães, em resultado da pandemia da doença covid-19 e acatando principio da precaução em saúde, é impreterível que sejam adotadas a título preventivo medidas mais restritivas, sendo assim o nosso parecer para a realização da “Rampa da Penha” nos próximo dias 17 e 18 de Outubro de 2020, é desfavorável (…).”, justificaram as autoridades competentes.

A DEMOPORTO e a Confraria de Nossa Senhora da Penha, organizadores da competição, assumiram a “surpresa” com a decisão, contudo também revelam “compreensão”.

Paralelamente, realçaram que tinham previsto “um plano de prevenção e contenção da doença, de acordo com as regras estabelecidas pela FPAK, juntamente com a DGS”.

“Estamos cientes dos riscos e da necessidade de implementar medidas de segurança e procedimentos de acordo com a atual situação pandémica. Na Penha pretendíamos implementar uma serie de procedimentos de segurança que iam de encontro às medidas de contenção necessárias, de acordo com a nossa experiência de provas prévias”, declarou Carlos Cruz, presidente da DEMOPORTO.

Há duas semanas esta empresa organizou o Rally Montelongo, pontuável para o Campeonato da Europa, “prova que se pautou pelo sucesso, tendo decorrido sem quaisquer incidentes sanitários”.

“Para a Rampa da Penha, o mesmo clube pretendia implementar um plano de contingência semelhante”, completou Carlos Cruz.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e setenta e sete mil mortos e mais de 37,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.094 pessoas dos 87.913 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Guimarães

Enfermeira e médico do Hospital de Guimarães em missão na Guiné Bissau

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Hospital de Guimarães

Uma equipa do serviço de pneumologia do Hospital de Guimarães, a enfermeira Idalina Gomes e o médico Hans Dabó, integrou uma missão da Organização Mundial de Saúde, na Guiné Bissau, entre 9 de junho e 12 de julho deste ano.

O objetivo desta missão compreendia, sobretudo, apoiar as autoridades sanitárias daquele país na gestão de casos de covid-19, através da implementação de estratégias de controlo de infeções e da formação nesta área aos profissionais de saúde locais, refere o hospital em comunicado.

Esta equipa realizou as suas ações nas três unidades de saúde locais, nomeadamente o Hospital Nacional Simão Mendes, a Clínica S. José em Bôr e o Hospital de Cumura.

Entre as várias ações que levaram a cabo destacam-se a oxigenoterapia e ventilação mecânica não invasiva, a gasometria arterial e a ecografia torácica.

Os profissionais consideram que se tratou de um desafio claramente exigente, intenso, mas muito compensador e gratificante. Em nota, o Hospital refere que a simpatia e hospitalidade do povo da Guiné-Bissau marcaram muito positivamente estes profissionais, que contaram com apoio do Conselho de Administração.

Continuar a ler

Populares