Seguir o O MINHO

Futebol

Ex-Flamengo vê Gil Vicente capaz de lutar além da manutenção na I Liga

Covid-19

em

Foto: Divulgação

O avançado brasileiro Samuel Lino manifestou hoje crença nas capacidades do Gil Vicente em suplantar a meta da permanência na I Liga de futebol, suspensa devido à pandemia de covid-19 e com reinício apontado para junho.


“Acredito que voltaremos fortes e com as grandes exibições que estávamos a fazer, mas não vamos alcançar os objetivos e parar. Queremos entrar em todos os jogos para ganhar e subir na tabela, mostrando que somos capazes de conseguir a melhor classificação possível”, apontou o extremo, numa nota publicada nas redes sociais do clube minhoto.

Após duas baterias de testes negativos ao novo coronavírus, intercaladas com outras tantas semanas de trabalho individualizado em três relvados do concelho de Barcelos, o plantel gilista avançou na segunda-feira para treinos coletivos, repartido em três grupos que já evoluíram nos tapetes dos estádios Cidade de Barcelos e Adelino Ribeiro Novo.

“O Gil Vicente tem proporcionado todas as condições de segurança e os jogadores sentem-se bem e até um pouco diferentes, porque ficámos muito tempo afastados dos relvados. Individualmente estou bem e o grupo está a voltar forte. Perdemos forma física e há algum cansaço, mas tudo está a correr da melhor forma”, vincou.

Samuel Lino, de 20 anos, tem pautado a primeira experiência no estrangeiro com um golo em 16 encontros, após uma formação dividida entre o São Bernardo e o Flamengo, sentindo-se em adaptação gradual à I Liga, “um dos grandes campeonatos europeus”, e ao emblema de Barcelos, onde foi “muito bem recebido e a vida corre bem”.

“O começo foi difícil, mas o ‘mister’ Vítor Oliveira ajudou-me bastante. Aprendi muito com ele e sinto que fez uma grande diferença no meu processo de evolução. Agora quero terminar bem a época, com golos e boas exibições. Futuro? Almejo assinar por um grande clube europeu, conquistar títulos e ganhar um Mundial pela seleção”, afiançou.

Numa temporada​​​​​​ assinalada pelo regresso ao principal escalão, após uma reintegração administrativa a partir do Campeonato de Portugal, na sequência do ‘caso Mateus’, o Gil Vicente ocupa a nona posição à entrada para as 10 jornadas finais, com os mesmos 30 pontos de Moreirense e Santa Clara, 14 acima da zona de descida.

“Fizemos pontos dentro e fora de casa e acredito que isso surpreendeu muitos, porque não correspondia à expectativa das pessoas. Nunca deixámos de acreditar e fizemos uma grande campanha antes de surgir a pandemia. Sinto carinho e energia positiva dos adeptos. Abraçaram-me muito bem e estou confortável com isso”, frisou.

No plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, o Governo autorizou a realização à porta fechada dos 90 jogos da I Liga, que deve ser reatada em 04 de junho e é liderada pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, e da final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, tendo excluído a continuidade da II Liga.

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional e a Federação Portuguesa de Futebol informaram na quarta-feira o resultado das visitas realizadas pelas autoridades regionais de saúde a 15 estádios candidatos a acolher o reinício da prova, suspensa desde 12 de março, indiciando “um conjunto de correções” a executar no Estádio Cidade de Barcelos.

Em causa estão o encerramento de uma porta de acesso a uma sala próxima da zona técnica e a identificação de medidas de segurança relacionadas com a marcação do trajeto e a indicação dos locais onde se encontra o gel desinfetante, tendo em vista a reavaliação dos requisitos do recinto minhoto, considerado de nível 1 pela Liga de clubes.

Em caso de aprovação, o Estádio Cidade de Barcelos também deverá acolher os jogos caseiros do Famalicão, cujo recinto está alocado no patamar 3, após a Direção-Geral da Saúde ter sugerido o regresso dos jogos “no menor número possível de estádios”.

O Gil Vicente recebe os famalicenses no segundo duelo após o reatamento da I Liga (26.ª jornada), defrontando ainda na condição de visitado o lanterna-vermelha Desportivo das Aves (28.ª), o Rio Ave (30.ª), o Tondela (32.ª) e o Paços de Ferreira (34.ª e última ronda).

Já o Famalicão começa por enfrentar em ‘casa emprestada’ o líder FC Porto (25.ª jornada), seguindo-se embates com o Sporting de Braga (27.ª), o Portimonense (29.ª), o campeão nacional Benfica (31.ª) e o Boavista (33.ª e penúltima ronda).

Os campeonatos de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição, como Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, depois de a Liga alemã ter sido retomada no sábado.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 328 mil mortos e infetou mais de cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.

Anúncio

Futebol

Oficial: Tomás Esteves renova com o FC Porto até 2024

Futebolista de Arcos de Valdevez

em

Foto: DR / Arquivo

Tomás Esteves, futebolista de Arcos de Valdevez, renovou com o FC Porto até 2024, foi hoje anunciado.


O clube comunicou a renovação do lateral de apenas 18 anos através das redes sociais, confirmando assim o que já havia dito Pinto da Costa, presidente do clube, numa entrevista publicada ontem no Portal dos Dragões.

No clube desde os 09 anos de idade, o craque de Aboim das Choças renova até 2024, confirmando-se como uma das maiores promessas do emblema azul-e-branco.

“Estou muito feliz por renovar com o meu clube do coração”, disse o futebolista através das redes sociais do clube. “Espero dar muitas alegrias ao clube”, acrescentou.

 

Tomás Esteves venceu a UEFA Youth League e foi campeão nacional sub-19. Estreou-se na equipa principal do clube em jogo da Taça da Liga, frente ao Casa Pia, a 05 de dezembro de 2019.

Continuar a ler

Futebol

“Faz falta o ambiente, faz falta o público”

Declarações após o Santa Clara-SC Braga (3-2), na 25.ª jornada

em

Declarações no final do encontro Santa Clara-SC Braga (3-2), da 25.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado na Cidade do Futebol:


Custódio Castro (treinador do SC Braga):

“Sabíamos que o Santa Clara é uma boa equipa, mas cometemos erros que nos penalizaram. Sabemos muito bem o que temos de melhorar, sobretudo a atitude competitiva e agressividade, mas temos confiança total. Sabíamos que a retoma ia ser difícil e continuamos a acreditar nestes jogadores, nesta equipa. Têm toda a nossa confiança.

Temos de melhorar a circulação da bola, o jogo posicional. A paragem deixou alguma incerteza, mas tenho confiança total na equipa e sei que nos vamos apresentar muito mais fortes nas jornadas que faltam.

Faz falta o ambiente, faz falta o público, mas sabemos o porquê desta situação. Esperemos que passe rápido e possamos ter novamente adeptos, sobretudo os nossos adeptos, no nosso estádio”.

João Henriques (treinador do Santa Clara):

“O Braga entrou por cima, esteve melhor, mas depois as grandes situações foram do Santa Clara. Ao intervalo o empate já era injusto. Fomos superiores na primeira parte e na segunda parte o Sporting de Braga voltou a fazer golo na primeira oportunidade. Mas, com todo o mérito, demos a volta e conseguimos três pontos justíssimos. Respiramos saúde, confiança e dinâmica. Estamos orgulhosos, tranquilos e estamos muito mais perto do primeiro objetivo, que é a manutenção, com o Santa Clara pelo terceiro ano na I Liga, algo inédito.

Sonhamos com o próximo jogo e mais três pontos. Se conseguirmos mais do que os 42 pontos da época passada ficamos satisfeitos, mas somos muito ambiciosos e vamos olhar jogo a jogo para encurtar distâncias.

Somos a equipa com mais coragem da liga. Fomos muito bem recebidos na Cidade do Futebol, com excelentes condições, mas mudar para aqui com todas as bagagens não é fácil. Viemos há seis dias e estamos aqui com todo o prazer a representar uma região. Quisemos ser parte da solução e não do problema, e por isso acedemos a vir para o continente, disputar dez jogos fora de casa”.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga, por duas vezes a vencer, perde frente ao Santa Clara

25.ª jornada

em

Foto: Twitter

O SC Braga perdeu, por 3-2, este sexta-feira em Lisboa, frente ao Santa Clara, em jogo a contar para a 25.ª jornada da I Liga.


A derrota dos arsenalistas na capital impede a equipa minhota de ganhar vantagem no terceiro lugar do campeonato, depois de o Sporting ter empatado frente ao Vitória SC, e confirma que nenhuma das equipas da frente conseguiu vencer no reatamento do campeonato, depois de quase três meses de paragem devido à pandemia de covid-19.

O Sporting de Braga entrou em campo determinado em chegar cedo à vantagem e nos primeiros minutos esteve bastante perto de o conseguir. Aproveitando o espaço entrelinhas na defesa açoriana, a equipa orientada por Custódio chegou por um par de vezes com perigo à baliza de Marco, mas nem Ricardo Horta nem Paulinho conseguiram inaugurar o marcador.

Mas aos 19 minutos o Braga chegou mesmo à vantagem depois de Artur Soares Dias ter sido alertado pelo VAR para uma falta dentro da área do Santa Clara. O árbitro portuense analisou as imagens e assinalou a infração que Fransérgio converteu com sucesso, enganando por completo o guarda redes Marco.

Talvez ‘espicaçado’ pelo golo, o Santa Clara tentou nos minutos seguintes aproximar-se da baliza de Matheus e em dois livres conseguiu pôr em sentido a defesa minhota.

Apesar de controlar territorialmente, o Braga baixou o ritmo e num lance de contra-ataque os insulares chegaram ao empate. O cruzamento do flanco esquerdo apanhou Raul Silva em contrapé e Thiago Santana foi implacável: dominou de pé esquerdo e fuzilou Matheus, com a bola ainda a embater com estrondo na trave, mas a aninhar-se na baliza bracarense.

O golo do Santa Clara claramente destabilizou o Braga e nos minutos seguintes a equipa de João Henriques podia ter-se colocado em vantagem em três ocasiões, com a falta de pontaria a atraiçoar os avançados dos insulares ou a defesa dos minhotos a cortar no limite.

A segunda parte começou com as duas equipas a procurarem impor-se e muita luta a meio a campo. Aos 56 minutos, num lance de entendimento pela esquerda, Sequeira arrancou um cruzamento milimétrico para a entrada da área, onde apareceu Trincão a finalizar. De pé esquerdo, o avançado bracarense atirou rente ao poste e recolocou o Sporting de Braga na frente.

Aos 64 minutos o jogo voltou a mudar e novamente complicando-se para o SC Braga: Raul Silva voltou a ser batido pela rapidez Thiago Santana e empurrou-o na grande área. Artur Soares Dias não hesitou em expulsar o central arsenalista e assinalou a grande penalidade, que o avançado do Santa Clara aproveitou para ‘bisar’ no encontro.

Com o avançar do cronómetro os treinadores começaram a fazer as primeiras substituições e o ritmo de jogo ressentiu-se. As duas formações perderam discernimento na construção e, de um lado e de outro, era maior a facilidade em chegar à baliza adversária com a pressão frouxa de ambas as zonas intermediárias.

À beira do minuto 90 o Braga esteve perto de consumar a vitória, numa jogada em que a defesa do Santa Clara facilitou e foi Marco a resolver a aflição, primeiro a sair aos pés de Paulinho e depois de Wilson Eduardo.

Do outro lado, já em tempo de desconto, o Santa Clara não foi tão meigo e consumou a reviravolta, e o 3-2 final, por Carlos Júnior. Zaidu Sanussi recuperou uma bola na primeira fase de construção do Braga e, apanhando a defesa arsenalista em contrapé, assistiu o avançado no coração da área, que sem dificuldade encostou para o fundo da baliza.

Com este resultado, o Santa Clara soma agora 33 pontos, enquanto o SC Braga não consegue distanciar-se do Sporting no terceiro lugar e, com 46 pontos, tem três de vantagem sobre os ‘leões’.

Ficha de Jogo

Jogo realizado na Cidade do Futebol, em Lisboa.

Santa Clara – SC Braga, 3-2.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Fransérgio (grande penalidade), 20 minutos.

1-1, Thiago Santana, 34.

1-2, Trincão, 56.

2-2, Thiago Santana (grande penalidade), 66.

3-2, Carlos Júnior, 90 +2.

Equipas:

– Santa Clara: Marco, Pierre Sagna, João Afonso, Fábio Cardoso, Zaidu Sanussi (Salomão, 84), Francisco Ramos, Anderson Carvalho (Osama Rashid, 78), Mamadu Candé, Lincoln, Carlos Júnior e Thiago Santana (Cryzan, 75).

(Suplentes: André Ferreira, Osama Rashid, César Martins, Costinha, Cryzan, Salomão e Zé Manuel).

Treinador: João Henriques.

– SC Braga: Matheus, Ricardo Esgaio, Bruno Viana, Raul Silva, Sequeira, David Carmo, Palhinha (Rui Fonte, 83), Fransérgio, Trincão (Galeno, 72), Ricardo Horta (Wilson Eduardo, 84) e Paulinho.

(Suplentes: Eduardo, Rolando, Wilson Eduardo, André Horta, João Novais, Rui Fonte e Galeno).

Treinador: Custódio Castro.

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Fábio Cardoso (27), Raul Silva (45+1 e 64), Mamadu Candé (73) e João Afonso (87). Vermelho por acumulação de cartões amarelos para Raul Silva (64).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 21h29)

Continuar a ler

Populares