Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Evento para ajudar jovem de Viana que só pensa em acabar com própria vida

Matilde sofre de transtorno de borderline

em

Foto: DR

A vida da família de Carla Farinhoto, residente em Perre, Viana do Castelo, mudou ao longo dos últimos anos depois de Matilde, uma das filhas, atualmente com 18 anos, ter sido diagnosticada com um síndrome borderline, que leva a tentar acabar com a própria vida.

Matilde já tentou por várias vezes o suicídio e, atualmente, encontra-se internada numa clinica privada, levando a que a família precise de ajuda para poder continuar a suportar os custos, ou até conseguir um internamento numa clínica especializada fora de Portugal (custará 4.000 euros).

Esta mãe é administrativa de profissão, mas vende roupa através das redes sociais para ajudar a pagar os tratamentos e a mediação de Matilde. Em 10 de dezembro, ocorre no Centro Cultural de Viana do Castelo um espectáculo cuja receita reverterá a favor desta família, e que contará com nomes conhecidos da música minhota, como os Sons do Minho ou a Joana d’Arc.

Carla descobriu que a filha tinha um transtorno de personalidade logo na entrada da adolescência. Matilde andava apática, triste e não se abria com ninguém. Começou a ignorar os hobbies, como o ballet ou o violino, mas a mãe julgou tratar-se de atitudes normais na adolescência. Mesmo assim, levou a filha ao médico de família que lhe recomendou consultas de psicologia, explicou Carla Farinhoto ao programa “Dois às 10”, da TVI.

Um dia, Matilde chegou ao pé da mãe e mostrou-lhe várias partes do corpo onde se tinha automutilado. “Mãe, eu faço isto porque estou com um sofrimento enorme dentro de mim”, terá dito a jovem. Depois disso, começaram as primeiras tentativas de suicídio, com a ingestão de “grandes quantidades de medicamentos”.  “Todos os dias tinha de mudar o esconderijo da medicação e deixei de comprar detergentes com medo”, salienta a mãe.

Carla conta que, recentemente, foi almoçar com a filha durante o trabalho. “Depois fui levá-la a casa e regressei ao trabalho, mas passado uma hora ligou-me a minha filha mais velha a dizer que a Matilde se tinha atirado do segundo andar”. “Estes últimos anos da minha vida têm sido de sofrimento e falta de apoio”, lamenta Carla, ao mesmo programa televisivo.

Sem outra solução plausível até que a filha esteja devidamente tratada, a clínica tem sido a única solução útil, mas, mesmo lá, Matilde já tentou acabar com a própria vida.

Perturbação borderline da personalidade

A perturbação borderline carateriza-se com uma dificuldade acrescida em manter relacionamentos com outras pessoas, provocando insegurança e instabilidade emocional aos portadores. Na maioria dos casos, é possível verificar que existe autolesão corporal e tentativas de suicídio. Cerca de 10% dos pacientes com este transtorno acabam com a própria vida. Geralment ocorre no início da idade adulta e pode ser causado por diferentes motivos, entre os quais depressão, embora as causas ainda não estejam totalmente esclarecidas.

Para ajudar 

IBAN: PT50 003508520006161960070

Fundraiser (ver aqui)

Linhas de apoio suicídio 

Linha SOS voz amiga. Linha de apoio emocional e prevenção ao suicídio: 213 544 545 / 912 802 669 / 963 524 660 (diariamente das 15:30 às 00:30).

Telefone da amizade – Apoio em situações de crise pessoal e suicídio das 16:00 às 23:00: 228 323 535.

Populares