Seguir o O MINHO

Fafe

Europeias: Fafe deu primeiro banho de multidão ao cabeça de lista do PS

Pedro Marques passou pela feira

em

Foto: Imagens PS

Ao quarto dia de campanha para as europeias, o socialista Pedro Marques teve o seu primeiro ‘banho de multidão’ na feira franca de Fafe, bastião socialista no Minho, onde distribuiu beijinhos e recebeu palavras de apoio.

Em dia de feriado municipal, numa feira repleta de pessoas, o “apoio” a Pedro Marques começou logo à entrada, com o vendedor de uma banca de fruta a “juntar-se” à comitiva, gritando ao microfone “PS” e “vamos ganhar e bem”.

Entre as bandeiras amarelas da Juventude Socialista, o cabeça de lista do PS percorreu a feira lado a lado com o líder da federação do PS/Braga, Joaquim Barreto, o presidente da Câmara de Fafe, Raul Cunha, e Isabel Estrada Carvalhais, número 10 da lista do PS para as europeias.

Entre cânticos como “Pedro, amigo, a Europa está contigo” e “Nós só queremos o Pedro em Bruxelas”, a comitiva foi cumprimentando as pessoas por quem ia passando, entre vendedores ambulantes e visitantes da feira, distribuindo blocos, lápis e panfletos.

“O algodão está doce ou não? Posso dar-lhe um beijinho?”, atira Pedro Marques a uma vendedora de algodão doce, para logo depois se cruzar com uma senhora que diz só conhecer o candidato “da televisão”, embora seja do PS “desde que nasceu”.

O cabeça de lista do PS demonstra uma um carinho especial para com as crianças com quem se vai cruzando: “dás-me um beijinho, meu amor?”, diz a uma menina, para logo perguntar “dás-me cinco?” a um rapaz a quem é oferecido um lápis.

“Ai, que medo! Nós não fazemos mal!”, diz Pedro Marques, tentando tranquilizar duas meninas de olhar assustado pela agitação que se forma à passagem da comitiva, na qual participou também o histórico do PS Parcídio Sumavielle.

Ao longo da feira, Pedro Marques vai apelando às pessoas para que votem no próximo dia 26: “escolham quem entenderem, mas votem”, vai lançando o candidato, recebendo muitas vezes a resposta “nós somos do PS”.

Quase na reta final da visita, um homem com um boné com a bandeira de Portugal atira que no PS “toda a gente é boa” porque “dá aos pobres o pão que os outros tiram”, dizendo que “António Costa é o pai dos pobres”.

A incursão terminou na zona da feira dedicada à pecuária, com exemplares de bois da raça Barrosã e Baronesa Barão, ovelhas e caprinos.

Anúncio

Ave

GNR apreende armas ilegais e munições em Fafe

Investigações

em

Foto: GNR

A GNR apreendeu a um homem de 76 anos, em Fafe, cinco armas de fogo e “mais de 2.000 munições,” informou hoje a autoridade.

No âmbito de uma investigação que durava há mês e meio, os militares apuraram que o suspeito teria armas e munições na sua posse, “sem que estivesse habilitado para tal”, segundo um comunicado da GNR.

A autoridade policial realizou uma busca domiciliária, tendo apreendido 2.157 munições de diversos calibres, três espingardas, uma espingarda de pressão de ar e uma pistola.

Noutra investigação, a GNR apurou que um homem, também de Fafe, de 55 anos, agredia a sua mulher e uma busca domiciliária permitiu apreender uma caçadeira.

Os suspeitos foram constituídos arguidos e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Fafe.

Continuar a ler

Fafe

Homem em prisão preventiva por violência doméstica em Fafe

Suspeito de 56 anos

em

Foto: DR/Arquivo

Um homem de 56 anos ficou em prisão preventiva pela prática do crime de violência doméstica sobre a companheira, de 44 anos, após ter sido detido pela GNR de Braga em Fafe, anunciou aquela força policial.

A GNR esclarece que o homem foi detido na sexta-feira, em Fafe, na sequência do cumprimento de um mandado de detenção e de outro de busca domiciliária que levou à apreensão de “munições de caçadeira e um chicote”.

“No âmbito de uma investigação de violência doméstica, foi possível apurar que o suspeito teria exercido violência física e ameaçado a sua companheira, de 44 anos, com uma arma de fogo”, refere o Comando Territorial de Braga da GNR.

“O detido foi presente a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal Judicial de Guimarães, tendo sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva”, acrescenta.

Continuar a ler

Ave

Fafe, capital do grafiti a céu aberto

Projecto ‘Page Café Cultural’ tem levado à cidade artistas de várias partes do mundo. Vicente Coda, curador, recebeu, esta semana, o prémio ‘Embaixadores 2019’, na Casa da América Latina, em Lisboa

em

Mural de 24 anos no Parque da Cidade de Fafe (parcial). Foto: Divulgação

O parque da cidade de Fafe está a sofrer uma verdadeira revolução artística. Várias propostas de arte têm vindo a ser implantadas no espaço e as suas paredes preenchidas com obras de arte em grafiti de grandes artistas mundiais. O projecto ‘Page Café Cultural’ tem levado à cidade artistas de várias partes do mundo, quatro vezes por ano e durante quinze dias, numa residência artística diferente do conceito habitual.

O curador Vicente Coda explica que durante a residência artística os convidados fazem um workshop com a população e trabalham em espaços públicos.

“A nossa residência é a cidade e não aquela ideia meio elitista, de circuito fechado e dirigida para um determinado público associada à noção de residência artística”.

No projecto, o artista convidado fica num hotel e todo o seu trabalho “é feito na cidade, em locais públicos, com escolas, em juntas de freguesias, com crianças em férias ou junto da Cerci Fafe”. Vicente Coda reconhece que “o projeto só poderia existir com o apoio da câmara que desde a primeira hora abraçou a ideia. Eles financiam os materiais necessários para a concretização da obra artística e a população está a aderir muito bem”.

Workshop

Outra das particularidades desta residência artística é a existência de um workshop, onde quem quiser pode ter contacto direto com o artista, participar e interagir com a obra que está a ser realizada: “o que fazemos é arte urbana e é preciso acabar com o preconceito que está associado à expressão. Para isso é preciso descentralizar e questionar que é um dos objectivos desta interacção com o artista”.

Foto: Divulgação

O projeto arrancou em 2017, e já abrangeu áreas como o teatro, a música, o vídeo e a performance mas ultimamente tem sido o grafiti o protagonista, com as residências de março, Junho e julho a ele dedicadas. “Já passaram por Fafe 25 artistas de países como o Brasil, México, Chile e Portugal”, refere ainda o curador.

Vicente Coda revela que a última residência de 2019, agora em setembro, será um sunset: “já tivemos música mas ficou confinada a um auditório e a adesão foi menor do que estávamos à espera. Agora vamos fazer uma sessão ao ar livre para que todos possam participar”.

2020

O projeto vai continuar no próximo ano com a mesma ambição. “Fafe não possui uma galeria de arte. As exposições são todas na biblioteca. Por isso, quisemos fazer complexo de arte a céu aberto, tornando Fafe a capital do grafiti”.

Foto: Facebook de Vicente Coda

Todo o trabalho desenvolvido por Vicente Coda, na área artística, num meio mais ‘pequeno’ foi agora reconhecido com a atribuição do prémio ‘Embaixadores 2019’, na vertente cultura.

“Não é um prémio só meu, é da câmara, é do vereador Pompeu Martins, é do motorista ou dos trabalhadores municipais”.

A entrega do prémio teve lugar na segunda-feira, dia 23 de setembro, na Casa da América Latina, em Lisboa.

Continuar a ler

Populares