Seguir o O MINHO

Futebol

Euro2020: Luxemburgo quer “complicar ao máximo” a tarefa de Portugal e de Ronaldo

Futebol

em

Foto: Divulgação

O selecionador do Luxemburgo afirmou hoje que vai “tentar complicar ao máximo” a tarefa de Portugal no domingo, em jogo de apuramento para o Euro2020 de futebol, e também de Ronaldo, que pode chegar aos 100 golos internacionais.

“Se o Luxemburgo vencer Portugal, uma das melhores equipas do mundo, será um grande feito. Há pessoas no país que ficarão tristes, já que existe uma grande comunidade portuguesa. Sabemos da qualidade do nosso adversário, mas vamos tentar complicar ao máximo, como fizemos com a Ucrânia e Sérvia”, afirmou Luc Holtz.

O técnico luxemburguês falava aos jornalistas na conferência de imprensa de antecipação do último encontro do Grupo B, na unidade hoteleira em que a sua equipa está instalada, na pequena vila de Lipperscheid, no norte do país.

Holtz garantiu que o Luxemburgo não quer ficar na história como a equipa que sofreu o golo 100 de Ronaldo com a camisola de Portugal, mas lembrou que o avançado português, mesmo que esteja com problemas físicos, continua a ser “um jogador extraordinário”.

“Ele sente espaços como poucos jogadores e pode marcar quando quiser. Com a maturidade que tem, pode fazer a diferença a qualquer momento. Quando o seu treinador na Juventus o tira num jogo, provavelmente, terá os seus motivos, mas mesmo com 80% de suas capacidades Ronaldo ainda pode decidir sozinho uma partida”, disse o treinador, de 50 anos.

O selecionador do Luxemburgo, que comanda a equipa desde 2011, abordou ainda o estado do relvado do estádio Josy Barthel, palco do jogo de domingo, mostrando-se otimista que vai melhorar.

“Estive hoje a ver o campo e posso dizer que está em melhores condições do que nos últimos dias. Não posso garantir nada. Acho que não vai estar num ótimo estado, mas estará de certeza num estado aceitável”, considerou.

Com um encontro por disputar no Grupo B, a Ucrânia, já apurada, lidera com 19 pontos, mais cinco do que Portugal, segundo classificado, e seis do que a Sérvia, terceira. O Luxemburgo é quarto posicionado, com quatro pontos.

Na última jornada, Portugal joga no Luxemburgo, enquanto a Sérvia recebe a Ucrânia, com um triunfo da ‘equipa das quinas’ a proporcionar o apuramento direto para a fase final, independentemente do resultado obtido pelos sérvios.

O Luxemburgo-Portugal está agendado para as 15:00 (14:00 horas da Lisboa) e vai ter arbitragem do espanhol Jesús Gil Manzano.

Anúncio

Futebol

Dois golos em quatro minutos fizeram o ‘galo’ sonhar, mas Davidson ‘gelou’ Barcelos no final

14.ª jornada da Liga

em

Foto: DR

Gil Vicente e Vitória SC empataram hoje 2-2, num encontro em que os barcelenses venciam por 2-0 ao intervalo e os vimaranenses recuperaram na segunda parte, na 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Superiores em todos os aspetos durante a primeira parte, os ‘galos’ marcaram por Claude Gonçalves (28 minutos) e por Kraev (32), depois de terem falhado um penálti por Sandro Lima (nove), mas os vimaranenses melhoraram no segundo tempo e, mesmo algo desinspirados, empataram por Marcus Edwards (68) e Davidson (86).

O Gil Vicente apresentou-se com uma ‘novidade’ face ao ‘onze’ que alinhou na derrota com o Rio Ave (1-0), para a 13.ª jornada – Lourency rendeu o lesionado Arthur Henrique – e foi a melhor equipa ao longo de toda a primeira parte, com uma defesa compacta e um ataque que soube reunir velocidade e precisão no passe.

O vimaranense Marcus Edwards até criou a primeira situação de perigo num remate ao lado, aos sete minutos, mas a equipa treinada por Vítor Oliveira dispôs, de seguida, de um penálti cometido por Mikel sobre Sandro Lima, que o avançado brasileiro dos ‘galos’ falhou, ao permitir a defesa a Douglas (nove minutos).

Após Henrique Gomes ter obrigado Douglas a evitar o golo com uma palmada num cruzamento comprido, aos 11, a equipa vimaranense, que apareceu em Barcelos com Dénis Poha no lugar de Pepê face ao duelo da ronda anterior, com o Portimonense (triunfo por 2-0), começou a subir no terreno e esteve perto de marcar num remate de Léo Bonatini, aos 17, travado por Denis.

Rúben Ribeiro, reforço do Gil Vicente, assistiu ao jogo na bancada. Foto: O MINHO

O Gil Vicente, porém, continuou dinâmico no ataque, sobretudo graças às ações de Kraev pela ala direita, e chegou à vantagem num desses lances: na sequência de um cruzamento do internacional búlgaro aliviado por Tapsoba, Claude Gonçalves surgiu à entrada da área a rematar cruzado e certeiro, sem hipótese de defesa para Douglas.

Perante uma defesa vitoriana insegura e passiva, a formação de Barcelos precisou apenas de mais cinco minutos para voltar a marcar num lance muito bem ‘desenhado’: após um passe de Sandro Lima, Lourency tocou para Kraev e este contornou Douglas antes de atirar para o fundo da baliza.

Incapazes de reagir na primeira parte, apesar das entradas de Pepê e de Bruno Duarte para os lugares de Mikel Agu e de Ola John, os pupilos de Ivo Vieira instalaram-se no meio-campo contrário durante a segunda parte, mas só quebraram a defesa gilista aos 68 minutos, ainda por cima com um golo de Marcus Edwards, a concluir uma tabela com Léo Bonatini.

A partir daí, a pressão vimaranense sobre a retaguarda gilista intensificou-se e quase deu empate aos 80 minutos, quando Léo Bonatini acertou no poste, após remate de Bruno Duarte.

O empate acabou por surgir aos 86 minutos, quando Davidson concluiu, num disparo colocado à meia-volta, após lance de Sacko e Edwards, e poderia ter conseguido a reviravolta num remate de Pepê, aos 90+4, que Denis travou, para manter a invencibilidade caseira dos barcelenses, atualmente no 12.º lugar, com 17 pontos. Os vitorianos mantêm o quinto posto, com 21.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Cidade de Barcelos.

Gil Vicente – Vitória SC, 2-2.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Claude Gonçalves, 28 minutos.

2-0, Kraev, 32.

2-1, Marcus Edwards, 68.

2-2, Davidson, 86.

Equipas:

– Gil Vicente: Denis, Fernando Fonseca, Ygor Nogueira, Rúben Fernandes, Henrique Gomes, Soares, Claude Gonçalves (Romário Baldé, 65), Kraev (João Afonso, 90), Baraye, Lourency (Erick, 72) e Sandro Lima.

(Suplentes: Wellington, Edwin Banguera, João Afonso, Ahmed, Romário Baldé, Erick e Naidji).

Treinador: Vítor Oliveira.

– Vitória SC: Douglas, Sacko, Tapsoba, Pedro Henrique, Rafa Soares, Mikel Agu (Pepê, 41), Dénis Poha, João Carlos Teixeira (Davidson, 62), Marcus Edwards, Ola John (Bruno Duarte, 42) e Léo Bonatini.

(Suplentes: Miguel Silva, Frederico Venâncio, Al Musrati, Pepê, Rochinha, Davidson e Bruno Duarte).

Treinador: Ivo Vieira.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Léo Bonatini (39), Soares (55), Kraev (74), Sandro Lima (90+1) e Fernando Fonseca (90+1).

Assistência: 4.654 espetadores.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga perde em casa com o Benfica

Campeonato feminino

em

Foto: SC Braga

O SC Braga perdeu, este domingo, por 2-0, frente ao Benfica, na 11.ª jornada do campeonato nacional feminino.

Geyse, aos 66 minutos, e Darlene, de grande penalidade aos 78, deram os três pontos para as encarnadas.

As comandadas de Luís Andrade lideram com 33 pontos, alargando para oito a diferença para as bracarenses, que seguem em terceiro.

Continuar a ler

Futebol

“Temos 26 jogadores no plantel, nenhum assinou contrato para ser titular”

14.ª jornada da I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo entre Moreirense e Belenenses SAD, da 14.ª jornada da I Liga de futebol, disputado hoje em Moreira de Cónegos e que terminou com a vitória dos minhotos, por 2-1:

– Vítor Campelos (Treinador do Moreirense): “Observámos o Belenenses em vários jogos e sabíamos que eram muito verticais. Alertámos e treinámos situações dessas durante a semana, mas não podemos sofrer aquele golo.

Mesmo assim, creio que fomos uma equipa personalizada, que acreditou sempre que podia vencer o jogo. Na primeira parte sentimos alguma pressão em fazer as coisas muito rápido e podíamos ter maior discernimento. Ao intervalo retificámos algumas coisas e entrámos muito bem na segunda parte.

Depois de fazer o empate e com a expulsão, carregámos ainda mais na busca da vitória e acabámos por ser bafejados pela sorte. Foi uma vitória merecida por aquilo que aconteceu durante os 90 minutos.

Temos 26 jogadores no plantel. Nenhum assinou contrato para ser titular, mas para dar o seu máximo a cada treino. Uns começaram melhor a época, outros nem tanto. Quando um treinador sente que o jogador não está bem em determinado momento, de certa forma protege-o. O [Lazar] Rosic trabalhou muito bem nas últimas semanas, surgiu a oportunidade e fez um bom jogo. Fico muito feliz por ele.

Tivemos 900 adeptos bons. Mesmo quando a equipa estava com o resultado desfavorável, apoiaram a equipa e foram muito importantes para a reviravolta. Claro que gostávamos de jogar com estádios mais compostos, mas com esta intempérie e a altura do Natal muitas pessoas não puderam esta cá. Os que vieram representam um número grande do total da população de Moreira de Cónegos.

Como o presidente diz, o plantel do Moreirense está sempre em aberto. Estamos satisfeitos com os jogadores que temos e sabemos que pode haver entradas ou saídas a qualquer momento”.

– Pedro Ribeiro (Treinador do Belenenses SAD): “Os jogos nunca estão controlados. É sempre possível virar o resultado e tudo muda num lance. Foi o que aconteceu.

Até ao golo do Moreirense, o Belenenses SAD esteve claramente por cima do jogo. Depois disso, e com a expulsão, as coisas ficaram muito mais difíceis. Tentámos ir à procura da vitória e ter critério com bola, mas num campo com muita chuva fica difícil conseguir que a estratégia acabe por funcionar.

Do outro lado houve uma equipa competente que fez dois golos com mérito. Parabéns ao Moreirense. Demos tudo e não conseguimos ganhar. Mas quem joga e luta assim está mais perto de ganhar do que perder.

O André [Sousa] deve estar ainda mais frustrado do que eu. Temos tempo para falar sobre isso durante a semana. Ele sabe que uma expulsão condiciona a equipa. Não sei o que aconteceu para essa expulsão, mas não vou entrar por aí. Concentro-me no futebol e nos principais intervenientes. Estamos tristes, mas vamos continuar o nosso trabalho”.

Continuar a ler

Populares