Seguir o O MINHO

Região

Eugénio Campos Ferreira tomou posse como vice-reitor da UMinho

Para a Investigação e Inovação

em

Eugénio Campos Ferreira. Foto: Divulgação / UMinho

Eugénio Campos Ferreira, professor catedrático da Escola de Engenharia da Universidade do Minho (UMinho), acaba de tomar posse como vice-reitor para a Investigação e Inovação.


Eugénio Campos Ferreira nasceu em 1962, em Esposende. Licenciou-se e doutorou-se em Engenharia Química pela Universidade do Porto. Fez ainda trabalhos de doutoramento na Universidade Católica da Lovaina (Bélgica), de pós-doutoramento na Universidade Autónoma de Barcelona (Espanha) e de sabática na Universidade da Califórnia em San Diego (EUA).

Ingressou na UMinho em 1991, na qual é professor catedrático do Departamento de Engenharia Biológica (DEB), diretor do Centro de Engenharia Biológica (onde lidera o grupo de investigação Biosystems – Engenharia de Bioprocessos e Computação em Biossistemas), além de membro do Conselho Geral e diretor do doutoramento em Bioengenharia no âmbito do Programa MIT Portugal. Na UMinho foi também vice-presidente da Escola de Engenharia com o pelouro da Investigação, diretor-adjunto do DEB e diretor de vários cursos.

Ordem dos Engenheiros

É membro conselheiro da Ordem dos Engenheiros e delegado nacional no Comité Técnico em Biossistemas e Bioprocessos da Federação Internacional de Controlo Automático.

Coordena também o painel de avaliação de bolsas de doutoramento em Bioengenharia e Biotecnologia da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e é avaliador habitual da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior, da Agência Nacional de Inovação, da European Science Foundation e da Comissão Europeia.

Foi ainda presidente do Conselho Nacional do Colégio de Engenharia Química e Biológica, secretário-geral da Sociedade Portuguesa de Biotecnologia e diretor editorial da revista “Engenharia Química”.

Faz ainda parte do quadro editorial das revistas “Frontiers in Biotechnology and Bioengineering”, “Frontiers in Chemical Engineering”, “BioMed Research International”, “Brazilian Journal of Chemical Engineering”, “Chemical Product and Process Modeling” e “Environmental Engineering and Management Journal”.

Orientou 14 teses de doutoramento e é autor/editor de dez livros, além de 190 artigos e capítulos de livros e 330 artigos e comunicações em congressos.

Anúncio

Braga

Miguel Carvalho apresenta livro “Amália – Ditadura e Revolução” em Braga

Livraria Centésima Página

em

Foto: DR

O livro “Amália – Ditadura e Revolução”, de Miguel Carvalho, é apresentado no sábado, pelas 17:30, na livraria Centésima Página, em Braga, com a presença do autor e apresentação de José Manuel Mendes.

“Amália – Ditadura e Revolução (a história secreta)” é uma investigação jornalística que atravessa dois regimes, vários continentes e reúne perto de uma centena de entrevistas e depoimentos exclusivos, gravações inéditas da fadista e de personalidades que com ela conviveram, milhares de páginas de documentos nunca revelados, além de cartas e fotografias desconhecidas da cantora.

Miguel Carvalho, nascido em 1970, no Porto, é grande repórter da revista Visão desde dezembro de 1999. Em 1989, concluiu o Curso de Radiojornalismo do Centro de Formação de Jornalistas do Porto. Trabalhou ainda no Diário de Notícias e no semanário O Independente. Venceu o Prémio Orlando Gonçalves (Jornalismo), em 2008, e o Grande Prémio Gazeta, do Clube dos Jornalistas, em 2009.

Continuar a ler

Ave

Juiz manda prender mulher que vendia droga num café em Fafe

Crime

em

Foto: Ilustrativa / DR

Ficou em prisão preventiva a mulher de 59 anos detida por vender droga num café, em casa e na rua, em Fafe. Presente na quinta-feira a juiz, foi-lhe aplicada a medida de coação mais gravosa e encaminhada para o Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos, distrito do Porto.

A mulher foi detida por tráfico de estupefacientes, na quarta-feira, em Fafe.

Em comunicado, o Comando Territorial de Braga explicava que, no âmbito de uma investigação que decorria no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Famalicão, os militares do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Fafe “apuraram que a suspeita vendia droga num café, em casa e na via pública”.

Foram realizadas cinco buscas, das quais três domiciliárias, uma num estabelecimento comercial e outra em veículo, que resultaram na apreensão de 735 doses de cocaína, 93 doses de haxixe, 9.600 euros em numerário, dois telemóveis e uma balança digital.

Continuar a ler

Alto Minho

Carro abalroado por comboio em Caminha. Mãe e filhos escapam ilesos

Acidente

em

Foto: Jornal C - O Caminhense

Um carro foi abalroado por um comboio, ao início da manhã desta sexta-feira, na passagem de nível de Coura, em Seixas, Caminha, mas os ocupantes conseguiram escapar, confirmou O MINHO junto de fontes da GNR e dos bombeiros.

O carro ficou preso na passagem de nível e os ocupantes abandonaram a viatura antes do embate, pelo que não há feridos a registar.

Segundo a Rádio Vale do Minho, que avançou a notícia, no carro seguiam três pessoas.

Trata-se de uma mãe que ia levar os filhos à escola. “Ao atravessar a linha uma das rodas da viatura ficou presa e já não consegui tirar o carro. Eu e os meus filhos conseguimos sair do carro muito antes do comboio passar. Ainda tentei com a ajuda de uns amigos retirar o carro mas não conseguimos”, contou ao Jornal C a condutora, residente naquela freguesia.

Passagem de nível de Coura, Seixas. Foto: JF de Seixas

A passagem de nível não tem barreiras.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, explicou que a passagem nível “tem sinalização horizontal e vertical”, desconhecendo-se, até ao momento, as razões que levaram a condutora a não seguir pela via destinado ao atravessamento da linha férrea”.

“A condutora meteu o carro fora da via de atravessamento, e o veículo caiu dentro dos carris. Na altura não passava nenhum comboio. Como não conseguiu tirar o carro da linha, retirou as duas crianças que seguiam na viatura colocando-se a salvo. Entretanto, acabou mesmo por passar o comboio que levou o carro pela frente”, especificou.

O autarca explicou que a passagem de nível “está devidamente assinalada” e que, “no âmbito da empreitada de modernização da Linha do Minho, em curso, vai também ser dotada de barreiras”.

O alerta foi dado às 07:52.

Os Bombeiros de Caminha prestaram socorro com quatro operacionais e duas ambulâncias.

Além da GNR, também esteve no local um representante da REFER.

A circulação ferroviária foi retomada às 08:40, cerca de uma hora e meia depois do acidente, que aconteceu com uma composição que seguia no sentido norte/sul da Linha do Minho.

Notícia atualizada às 09h56 com mais informação.

Continuar a ler

Populares