Seguir o O MINHO

Guimarães

Eucalipto gigante em Guimarães classificado como arvoredo de interesse público pelo ICNF

Com cerca de 39 mettros de altura

em

Foto: Redes sociais

Um eucalipto com cerca de 39 metros de altura, situado no monte da Penha, em Guimarães, foi classificado como arvoredo de interesse público pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), foi hoje anunciado.

O despacho de classificação, pedido pela Câmara de Guimarães, foi esta quinta-feira publicado em Diário da República, com acordo datado de 29 de janeiro.

“O exemplar arbóreo identificado apresenta bom estado vegetativo e sanitário, não aparenta sinais de pouca resistência estrutural ou risco sério para a segurança de pessoas e de bens e não se encontra sujeito ao cumprimento de medidas fitossanitárias que recomendem a sua eliminação ou destruição obrigatórias”, começa por referir o despacho governativo.

Os parâmetros de apreciação passam pelo porte da árvore, de grande dimensão em todos os subparâmetros dendrométricos: “7,85 m de perímetro na base (PB); 7,05 m de perímetro à altura do peito (PAP); 39,00 m de altura total (AT) e 29,00 m de diâmetro médio da copa (DMC)”.

O despacho refere que este é  “um exemplar singular e admirado, face à sua majestosidade, pelos visitantes da Serra da Penha, cumprindo o parâmetro de apreciação monumentalidade”.

“A particular importância e atributos daquele exemplar são reveladores da necessidade de cuidadosa conservação e justificam o relevante interesse público da sua classificação, relativamente à qual não se verificam quaisquer causas legais impeditivas”, pode ler-se ainda no mesmo despacho.

A partir de agora, está em vigor uma proibição de remoção de terras ou outro tipo de escavações na zona geral de proteção, de forma a “evitar intervenções que prejudiquem a conservação do arvoredo classificado”.

Para esta decisão, e para além da autarquia, foram ainda ouvidos a Irmandade de Nossa Senhora do Carmo da Penha, proprietária do terreno onde se situa o eucalipto, e a Direção -Geral do Património Cultural, não havendo objeções para a classificação.

A partir de agora, “é estabelecida uma zona geral de proteção delimitada por um raio de 50 metros medidos a partir da base do exemplar”, “são proibidas quaisquer intervenções que possam destruir ou danificar o exemplar classificado, designadamente o corte do tronco, ramos ou raízes; a remoção de terras ou outro tipo de escavações, na zona geral de proteção; o depósito de materiais, seja qual for a sua natureza e a queima de detritos ou produtos combustíveis, bem como a utilização de produtos fitotóxicos na zona geral de proteção”.

“Qualquer operação que possa causar dano, mutile, deteriore ou prejudique o estado vegetativo do exemplar classificado”, é ainda referido.

Anúncio

Guimarães

Jovem em estado grave após queda de quatro metros em Guimarães

Em Prazins

em

Foto: DR / Arquivo

Um jovem de 28 anos sofreu ferimentos graves na sequência de uma queda, na manhã deste sábado, em Corvite, concelho de Guimarães.

A vítima terá caído de uma altura de quatro metros, numa habitação, estando ainda as causas da queda por apurar. Alegadamente, terá caído do telhado, mas essa informação não foi confirmada oficialmente.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários das Taipas e a VMER de Guimarães.

No resultado do impacto, terá fraturado a coluna em vários sítios, disse a O MINHO Rafael Silva, comandante dos Bombeiros das Taipas.

“Foi transportado para o Hospital de Braga com ferimentos graves”, acrescentou.

A GNR registou a ocorrência.

(notícia atualizada às 15h34)

Continuar a ler

Guimarães

Detido por agredir homem de 80 anos em Guimarães

Moreira de Cónegos

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem, com cerca de 40 anos, foi detido, esta sexta-feira, no seguimento de uma alegada agressão a um homem de 80, em Moreira de Cónegos, apurou O MINHO.

Tudo aconteceu num terreno adjacente à Rua da Doca, a poucos metros do rio Vizela, que divide os distritos de Braga e do Porto.

Ao que apuramos, os dois homens estiveram envolvidos numa situação de agressão resultando no transporte do octogenário para o Hospital de Guimarães e na detenção do alegado agressor.

A circunstancias em que ocorreu a agressão estão ainda por apurar.

Fonte dos Bombeiros de Vizela, que deu primeira assistência à vítima e procedeu ao transporte hospitalar, disse a O MINHO que os ferimentos da vítima foram considerados “ligeiros”. O alerta foi dado cerca das 15:00 horas.

Militares do posto da GNR em Lordelo deslocaram-se ao local, após contacto telefónico, e deteve o alegado responsável pela agressão.

O MINHO sabe que o agressor terá de se apresentar ao Tribunal de Guimarães, na próxima segunda-feira.

Continuar a ler

Guimarães

Cutelaria de Guimarães abre nova loja na baixa de Lisboa

Cutipol

em

Foto: DR / Arquivo

A empresa Cutipol, com sede em Caldas das Taipas, concelho de Guimarães, abriu na passada quarta-feira uma loja na baixa de Lisboa, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a cutelaria fundada por José Ribeiro, em abril de 1963, dá conta do novo espaço, localizado no prédio 105 da Rua do Alecrim, ao lado de outra loja que a marca já possuía desde 1998.

O espaço, com uma área de exposição de 140 metros quadrados, está localizado num edifício original datado do século XVIII que alberga o recém inaugurado Bairro Alto Hotel, projeto do arquiteto Eduardo Souto de Moura.

“O expositor propositadamente desenhado, revela-se nas suas linhas dinâmicas e imprevisíveis pondo à disposição do olhar a beleza e singularidade dos modelos da marca, formando um cânone no espaço”, explica a Cutipol.

“Destaca-se ainda a especial seleção de artigos de casa com um essencial foco na qualidade, trabalho manual e design. São peças com variadas origens, algumas de renome outras ainda não tão conhecidas que a Cutipol tem vindo a introduzir no mercado”, destaca.

Para além da nova loja, foi ainda lançado um novo site da marca na Internet, “para corresponder às atuais necessidades do seu público com o propósito de oferecer a melhor experiência de navegação possível, dando ênfase à otimização para dispositivos móveis, objetos que fazem cada vez mais parte do quotidiano das pessoas”.

Continuar a ler

Populares