Seguir o O MINHO

Braga

Estudantes da UMinho amontoados em corredor à entrada para testes

Universidade apela à responsabilidade da comunidade académica

em

Imagens a que O MINHO teve acesso mostram dezenas de estudantes da Universidade do Minho (UM) sem distanciamento no corredor do Complexo Pedagócio 2, no campus de Gualtar, em Braga . Ao que O MINHO apurou, são alunos de dois cursos que esperavam a entrada nas respetivas salas para a realização de testes. A UM nota que o espaço está marcado e apela à responsabilidade dos estudantes – e restante comunidade académica – para cumprir as regras.

A situação registou-se na terça-feira, pelas 18:00, e as imagens foram captadas cerca de dez minutos antes do início dos exames. Um estudante, devidamente identificado por O MINHO, mas que pediu para manter o anonimato, critica o facto de terem sido marcados dois testes, de cursos diferentes, em simultâneo “para o mesmo corredor”, sendo “impossível manter o distanciamento”.

A mesma fonte acrescenta que, àquela hora, a “universidade estava vazia” e, portanto, o ajuntamento era evitável, podendo os testes terem sido marcados para outras salas.

“O local tem sinalética visível e adequada”

O MINHO teve acesso a um primeiro vídeo com o qual confrontou a UM. Posteriormente, já depois da resposta da academia, o nosso jornal teve acesso a um outro vídeo da mesma situação publicado na rede social Instagram. Tendo em conta esse primeiro vídeo, a universidade respondeu que “as imagens não são claras”, mas aponta que “o local tem sinalética visível e adequada que lembra as regras e indica o distanciamento entre todos os utilizadores”.

Nesse sentido, a UM , inclusivamente, enviou a O MINHO imagens do CP2 em que mostra toda a sinalização colocada para garantir o distanciamento social com vista a conter a propagação da pandemia (as quais reproduzimos de seguida).

Foto: UMinho

Foto: UMinho

Foto: UMinho

Foto: UMinho

Foto: UMinho

A UM apela, ainda, à responsabilidade da comunidade académica: “Para fazer face a esta pandemia a UMinho conta com a colaboração de todos os seus agentes de Saúde Pública, os estudantes, os professores, os trabalhadores, solicitando a todos e cada um que sejam responsáveis e zeladores pelo cumprimento das regras”.

Populares