Estiveram mais de 2 horas na fila de ‘Mega Fim d’Ano’ em Braga. Organização não reembolsa

Foto cedida a O MINHO

Prometia ser uma festa de passagem de ano “mega”, ao melhor estilo de Las Vegas, mas para muitos foi uma gigante desilusão. Houve quem esperasse mais de duas horas ao frio e, sem ver a fila a andar, desistisse de entrar no “Mega Fim D’Ano”, evento privado realizado na Alameda do Estádio Municipal, em Braga. Agora, pedem reembolso, mas a organização, justificando que a demorar se deveu a problemas com a rede ‘wi-fi’, rejeita devolver o valor dos bilhetes a quem desistiu de esperar.

Um jovem de 25 anos, de Braga, que pediu para não ser identificado, conta que chegou com um grupo de cerca de 15 amigos à Alameda do Estádio Municipal cerca das 02:00. Tinham comprado dos bilhetes mais baratos, no valor de 20 euros, para o “Mega Fim d’Ano” em Braga, esperando entrar em 2024 em grande.

O evento era anunciado como “a melhor festa de fim de ano do norte do país, levando todos os seus clientes de Braga a Las Vegas em poucos minutos”. No cartaz estavam Loner Jonhy, Força Suprema, MC Mano ou DJ Pette, entre outros.

Prometia ser um fim de ano “único e inesquecível”. Mas os planos deste grupo de amigos seriam gorados. “Quando chegámos já estava uma fila imensa, saímos por volta das 04:30 sem sequer ter entrado. Nós e outras centenas de pessoas”, conta a O MINHO. “Nós ao frio e uma fila imensa que simplesmente não andava, era impossível entrar”, acrescenta o jovem de 25 anos, que exige ser reembolsado.

Vídeo mostra centenas de pessoas à espera de entrar. Vídeo cedido a O MINHO

Terá sido cerca das 04:00, respondendo às críticas que começavam a surgir na página de Instagram do evento, que a organização escreveu um comentário: “Amanhã quem não teve acesso será reembolsado, pedimos desculpa pelas esperas”.

O comentário, a cujo ‘print’ O MINHO teve acesso, terá sido, entretanto, apagado, e os comentários de utilizadores foram desativados em todas as publicações da conta do evento no Instagram.

Reprodução Instagram

Posto isto, e como a fila não andava, o jovem conta que o seu grupo de amigos e outras “centenas” de pessoas desistiram de entrar, abandonando o local cerca das 04:30.

Quem “abandonou a fila por impaciência” não será reembolsado

Porém, no dia seguinte, a organização publica uma ‘story’ no Instagram, justificando ter-se tratado de uma falha na rede ‘wi-fi’ devido à grande afluência de pessoas ao evento e que, afinal, não iria reembolsar quem “abandonou a fila por impaciência ou opção própria”.

“Devido ao enorme fluxo de pessoas aglomeradas o evento este aspeto condicionou o nosso acesso à rede ‘wi-fi’ disponível e que acaba por derrubar o nosso sistema informático, inclusive os nossos multibancos de serviço durante alguns minutos. Vivemos alguns momentos difíceis para repormos a normalidade do serviço. Esta ‘anomalia’ foi algo que não conseguimos controlar e está na origem da fila que se causou”, começa a organização por explicar na ‘instastory’.

Reprodução Instagram

“No entanto a nossa organização, preocupada com o cliente, foi célere na resolução do problema sendo que às 04:30 já não existia qualquer fila no exterior para o acesso ao referido evento. No que tange ao processo de devolução a nossa equipa não se responsabilizará perante o cliente que ‘abandonou’ a fila por impaciência ou opção própria”, acrescenta a publicação, terminando com um “sincero pedido de desculpa pelo incómodo causado”.

Lesados criam grupo de WhatsApp

 A indignação de quem não entrou ao fim de duas horas de espera levou à criação de um grupo de WhatsApp juntado algumas dezenas de lesados a reivindicar o reembolso.

A convicção dos lesados é que a organização vendeu mais bilhetes do que teria condições para o fazer, tese que é rejeitada pela organização.

O grupo de lesados criado no WhatsApp tem como objetivo conseguir que o valor dos bilhetes seja devolvido de uma forma “amigável”. Se tal não acontecer, ponderam avançar, de forma organizada, para a justiça.

Evento juntou mais de 700 pessoas

Questionado por O MINHO, um dos organizadores, Bernardo Pires, reitera que “a demora na entrada deveu-se única e exclusivamente à sobrecarga na rede dada a afluência do evento”.

“Com as pessoas todas a sobrecarregar a rede, tornou-se bastante complicado o serviço de registo de bilhetes e os multibancos acabaram por ir abaixo apresentando um erro que nada poderíamos ter feito para corrigir”, salienta.

A organização garante que “o evento estava mais que preparado para receber as poucas mais de 700 pessoas, mas realmente a rede dificultou-nos o nosso trabalho e preparação”.

“Face a este problema e de forma a não prejudicar os nossos clientes, adiamos todas as atuações e ainda, de forma que ninguém saísse lesado, abrimos a porta para que todas as pessoas pudessem entrar de forma mais fluida apenas apresentando o bilhete que tinham comprado, sem o registar na plataforma”, acrescenta o organizador.

“Aqueles que quiseram esperar tiveram a oportunidade de entrar e se divertir”

“Após o evento, alguns dos nossos clientes pediram então o reembolso, mas na nossa opinião este reembolso não é justificável, pois dadas as circunstâncias todos aqueles que quiseram esperar tiveram a oportunidade de entrar e de se divertir tal como planeado”, defende Bernardo Pires.

O organizador diz ainda que “há muitos clientes que se estão a tentar aproveitar do nosso gesto para pedir um reembolso, clientes esses que na maior parte temos provas de que estiveram no interior do recinto”.

E prossegue: “Todos aqueles que estão habituados a este tipo de evento sabem que as filas de espera são por norma habituais, custa-nos muito ver todo o nosso trabalho e dedicação ser posto em causa, trabalho esse que para além de nos beneficiar a nós beneficia tanto esta cidade que merece mais este tipo de iniciativas”.

“A maior parte dos elementos do grupo que referi estão a tentar denegrir a nossa imagem tanto profissional como pessoal, imagem essa que tanto tempo e trabalho nos custou a construir. Este não foi o primeiro evento que organizamos e não será certamente o último”, vinca.

E conclui: “Como organização, não podemos deixar estes menos de 5% questionarem o sucesso que foi este evento e toda a sua organização. Deixo apenas a nota de que, tal como em todos os eventos e iniciativas, há sempre aspetos que podem ser e serão certamente melhorados”.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

PSD e CDS aprovam hoje em Conselho Nacional coligação Aliança Democrática

Próximo Artigo

Marcelo espera "mais ou melhor" crescimento, justiça e coesão social em 2024

Artigos Relacionados
x