Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Estaleiros de Viana “voltaram a ser referência mundial” na indústria naval

Defende o presidente do grupo Martifer, que detém a West Sea

em

Foto: Divulgação / WestSea

O presidente do grupo Martifer, que detém a West Sea, subconcessionária dos extintos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), disse hoje que a construção naval que se faz naquela cidade “voltou a ser uma “referência mundial”.


Carlos Martins, que discursava durante a cerimónia de batismo do Navio Patrulha Oceânico (NPO) Setúbal, o segundo construído pela West Sea para a Marinha portuguesa, sublinhou que aquele contrato, assinado em 2015, dotou a empresa de “experiência e conhecimento necessários para já estar a apresentar propostas comerciais para a construção de navios semelhantes para outros países”.

“Queremos continuar a criar riqueza para quem aqui trabalha, para a região e para o país. Este estaleiro voltou a ser uma referência mundial nesta indústria”, referiu Carlos Martins durante a cerimónia presidida pelo ministro da Defesa, João Gomes Cravinho.

Novo navio da Marinha batizado em Viana

Carlos Martins adiantou que a construção dos dois NPO “ajudou a fazer nascer a capacidade de construir navios em Portugal”.

“Fomos competentes pela qualidade do projeto e da construção, pelo cumprimento de todos os prazos, do orçamento contratualizado e de todos os requisitos e especificações da Marinha. A construção naval aqui representada neste estaleiro está viva, forte e capaz. Por isso, estamos a trabalhar para podermos ser contemplados com mais contratos como este”, referiu.

Dirigindo-se ao ministro da Defesa, Carlos Martins disse que a West Sea “está pronta para aceitar novos desafios que entendam confiar-lhe”, referindo-se à nova Lei de Programação Militar, atualmente em discussão na Assembleia da República. Em novembro de 2018, o Conselho de Ministros aprovou a proposta de Lei de Programação Militar (LPM) para o período 2019/2030, que prevê um investimento de 4,74 mil milhões de euros.

“Este consórcio está preparado para assumir compromissos e estar à altura de tão grandes desafios”, apontou.

Carlos Martins realçou que desde 2014, ano em que o grupo Martifer assumiu a subconcessão daqueles estaleiros navais, “já foram reparados mais de 200 navios, construídos 16, estando outros seis em construção”.

“Mais importante que isso estes estaleiros têm hoje cerca de 1.200 trabalhadores”, frisou.

No final da cerimónia, questionado pelos jornalistas, o ministro da Defesa disse poder “adivinhar” que os seis novos Navio Patrulha Oceânico (NPO), previstos na Lei de Programação Militar, serão construídos nos estaleiros de Viana do Castelo, num investimento de 360 milhões de euros.

“Ainda não se sabe, mas podemos adivinhar. Ainda estamos, primeiro, no processo de aprovação da Lei de Programação Militar. Uma vez tendo essa aprovação na Assembleia da República, será o momento de falarmos com os estaleiros, mas é evidente que Viana do Castelo oferece condições excecionais. É evidente que queremos que sejam feitos em Portugal e, portanto, como digo, podemos adivinhar”, afirmou João Gomes Cravinho.

O ministro referiu que o Governo “não permitirá que esta oportunidade e este investimento saiam de Portugal”.

“Primeiro, haverá negociações com os estaleiros. Obviamente temos de acautelar seja os interesses da economia nacional, seja as disponibilidades financeiras da Marinha. Há sempre aqui um trabalho a fazer e, portanto, não me posso comprometer até termos contratos assinados. Agora não vamos permitir, espero bem, que esta oportunidade e este investimento saiam de Portugal. Será, com certeza, um investimento feito em Portugal, para Portugal”, reforçou.

Segundo João Gomes Cravinho o período temporal de construção dos navios será de seis anos, “a uma cadência de um por ano”, num investimento 360 milhões de euros.

O governante disse ainda esperar que o Navio Polivalente Logístico, também previsto na nova Lei de Programação Militar, também venha a ser construído pelos estaleiros da West Sea, em Viana do Castelo, apesar de considerar tratar-se de uma “matéria mais complexa”.

“É uma experiência que ainda não existe em Portugal e vai depender das especificações que foram feitas para o Navio Polivalente Logístico. Mas, a minha esperança é que toda a Lei de Programação Militar incluindo, obviamente, esse investimento tenha uma grande repercussão positiva para a economia nacional”, referiu.

O NPO Setúbal, hoje batizado, é o quarto da classe [do navio] Viana do Castelo, todos construídos em Portugal, juntando-se assim ao Viana do Castelo, Figueira da Foz e Sines. Estes navios vêm substituir as corvetas da Marinha com mais de 45 anos.

O navio é comandado pelo comandante Rui Zambujo Madeira, mergulhador de especialização, com 42 anos e natural de Lisboa, que ingressou na Marinha em 1994.

Anúncio

Viana do Castelo

Motociclista morre após cair de ponte em Viana

Acidente

em

Foto: DR

Um motociclista morreu depois de entrar em despiste numa ponte da EN 202, em Viana do Castelo, caindo para o quintal de uma casa.

Ao que apurou O MINHO, o homem, com cerca de 30 anos, entrou em despiste com uma mota de alta cilindrada em cima da Ponte de Portuzelo, na freguesia de Meadela, acabando por cair de vários metros no quintal de uma habitação.

Para o local foram acionados os Bombeiros Sapadores de Viana, de forma a efetuar o resgate da vítima, mas constataram que a mesma não resistiu aos ferimentos do acidente.

O óbito foi declarado no local pela equipa médica da VMER de Viana. Também a Ambulância de Emergência Médica esteve no teatro de operações.

O corpo da vítima foi transportado para o gabinete médico-legal de Viana do Castelo.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Mulher encontrada em estado de decomposição em casa em Viana

Óbito

em

Foto: DR

O corpo de uma mulher, com cerca de 80 anos, foi encontrado ao início da tarde deste domingo numa habitação no centro histórico de Viana do Castelo, em estado de decomposição.

Ao que apurou O MINHO junto de fonte dos bombeiros, a vítima estaria “há vários dias” morta em casa sem que ninguém desse por ela.

Uma vizinha, que estranhou já não a ver desde o início da semana, alertou os serviços de emergência por considerar que algo de estranho se passava.

Uma ambulância de socorro dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo deslocou-se ao local para dar assistência à vítima, mas já nada havia a fazer, pois apresentava já vários sinais de decomposição cadavérica.

Para remover o cadáver, foi necessária a utilização, por parte dos bombeiros, de equipamento de respiração adequada a incêndios, face ao intenso odor a cadáver que se fazia sentir dentro de casa.

O MINHO sabe que alguns familiares acorreram ao local, acompanhados por agentes da PSP daquela cidade.

Vizinhos indicaram que a mulher vivia sozinha naquela habitação.

A falecida foi transportada para o gabinete médico-legal de Viana do Castelo.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Nadadores salvaram 23 pessoas de afogamento nas praias de Viana durante o verão

Coordenada Decimal

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Centro de Mar, instalado a bordo do navio-museu Gil Eannes, acolheu hoje de manhã uma sessão de agradecimento aos 38 nadadores salvadores que asseguraram a vigilância de 13 praias do concelho ao longo de 96 dias de época balnear.

Na cerimónia, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, o comandante da Capitania e o vereador do Ambiente agradeceram aos nadadores salvadores e à direção da Coordenada Decimal o trabalho realizado nas praias de Viana do Castelo, destacando-se as 960 horas de vigilância e os 16 mil quilómetros percorridos pelas duas viaturas de apoio.

Ao longo da época balnear, foram registadas 229 ocorrências, não tendo sido assinalada qualquer vítima mortal. Foram registadas 125 ocorrências em praticantes de atividades náuticas e foram realizadas manobras de primeiros socorros em 113 ocorrências entre os veraneantes.

Houve necessidade de se proceder a evacuação hospitalar em 52 casos, tendo sido ainda promovidas 14 assistências na via pública. Os nadadores salvadores promoveram 23 salvamentos aquáticos ao longo destes mais de três meses. Os resultados obtidos revelaram da parte dos nadadores salvadores um trabalho importante de prevenção, treinos, dedicação e sensibilização da comunidade.

Os nadadores salvadores foram responsáveis pela vigilância de 24 quilómetros de costa, assegurando a segurança de 13 praias vigiadas e de 40 recantos.

Mais uma vez, o Município de Viana do Castelo ostentou 8 bandeiras azuis nas praias de Afife, Arda, Paçô, Carreço, Norte, Cabedelo, Amorosa e Castelo do Neiva

A vigilância, assistência e socorro balnear esteve a cargo da Associação de Nadadores Salvadores Coordenada Decimal, operando em conjunto com a Autoridade Marítima.

Continuar a ler

Populares