Seguir o O MINHO

Braga

Esta casa em Amares tem 1.500 metros de luzes e já lhe chamam “Casa do Pai Natal”

Natal

em

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

António Gonçalves, há 19 anos, criou um verdadeiro fenómeno natalício quando estreou a habitação no número 48 da rua Castelo de Pombal, em Amares. Primeiro, iluminou telhado e varandas. Depois, com o passar dos anos, foi aumentado. Aumentou tanto que, em pleno ano de 2020, a moradia está totalmente coberta por luzes natalícias proporcionando um espetáculo noturno fenomenal para quem lá passa. E são todas LED, para ‘proteger’ o ambiente, assegura ‘Cavenco’, alcunha pela qual é conhecido na ‘terra’.

O MINHO visitou a moradia e comprova a dedicação e a paixão que este amarense tem pela iluminação natalícia. Como contou a filha, Adriana Gonçalves, o pai faz isto porque “gosta mesmo”. “Vira uma criança autêntica quando chega a altura do Natal”.

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

António começa a instalar a iluminação no início de dezembro. Como manda a tradição religiosa, acende as luzes apenas a partir do dia 08 de dezembro, quando se celebra a Imaculada Conceição. E depois é ver as visitas que se juntam, maravilhadas, perante tal cenário. As crianças também adoram (há uma escola primária a poucos metros), e já chamam à casa de António a “Casa do Pai Natal”. Este ano, a iluminação aumentou em 68 metros relativamente a 2019. No total, a moradia comporta cerca de 1.500 metros de iluminação de Natal.

“Faço isto por mim, é do que eu mais gosto, é iluminar no Natal. É isso e o presépio. Temos dois, um dentro de casa e outro de fora de casa com figuras grandes”, explicou António, profissional na área da construção civil, que lhe vale alguma economia para suportar os gastos com esta aventura natalina.

Família Gonçalves. Foto cedida a O MINHO

No entanto, fica bastante barato para os bolsos da família. Conta António que gasta menos do que se fumasse um maço de tabaco por dia, como muitos outros fazem. Por dia, gasta dois euros em eletricidade, uma vez que tem todas as iluminações ligadas à mesma ficha. Quanto aos gastos para comprar as iluminações, António aproveita a profissão para recolher alguma sucata e depois vender. O dinheiro que arrecada nessas vendas serve para cobrir as despesas na iluminação.

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Quem quiser visitar o local, “está à vontade”. “O meu pai está sempre por lá, ou no jardim ou dentro de casa. Quem quiser fazer uma visita e perguntar alguma coisa é só chamar que ele recebe”, conta a filha Adriana, revelando que, para o próximo ano, o pai deverá instalar uma rena e um Pai Natal gigante no telhado.

Para visitar a ‘Casa do Pai Natal’ deve dirigir-se até ao quarteirão do ISAVE, em Amares, seguindo depois para um cruzamento em paralelo, onde deve virar à esquerda. Após andar uns poucos de metros, deve novamente virar à esquerda e seguir numa rua sem saída. A habitação é a última dessa rua.

Mas tenha atenção aos ‘buracos’ na estrada, algo que a família já reclamou e a Junta de Freguesia assegurou que, para o ano, a estrada estará em melhores condições para receber os visitantes.

Populares