Seguir o O MINHO

Cávado

Esposende volta a ser “o campeão da eficiência financeira” do distrito de Braga

em

Câmara Municipal de Esposende. DR

Esposende mantém a liderança na eficiência financeira, entre os municípios do distrito de Braga, tendo subido uma posição no ranking, relativamente ao ano passado, segundo o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, relativo a 2016, editado pela Ordem dos Contabilistas Certificados, em colaboração com o Tribunal de Contas, o Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) e a Universidade do Minho (UMinho), analisando pontos como índice de liquidez, passivo por habitante e impostos diretos por habitante.

De acordo com a autarquia, “na análise orçamental dos municípios, Esposende surge em primeiro lugar na listagem geral, como aquele que apresenta um menor volume da receita cobrada de passivos financeiros, revelando a saúde financeira da autarquia, decorrente de não ter recorrido a novos empréstimos”.

No ranking dos municípios do distrito de Braga com melhor pontuação global, Esposende apresenta uma pontuação de 1205, seguindo-se Guimarães com 1091 pontos, Barcelos em terceiro com 1077 pontos, Fafe com 882 e Vizela com 845 pontos, sublinha a Câmara Municipal, em nota enviada às redações.

“A fixação desta ordem obedece a um conjunto de indicadores financeiros, de acordo com a dimensão, no que concerne ao número de habitantes. Por isso, ao nível da região Norte, o Município de Esposende apenas é ultrapassado por Bragança que é capital de distrito”, sublinha.

“Ao contrário de outros municípios do distrito, Esposende não figura das listagens que elencam as autarquias com maiores receitas decorrentes da cobrança de IMI, IMT, IUC ou Derrama. Essa é uma das consequências da política encetada pelo atual Executivo Municipal que aposta em medidas que contribuam para a melhoria da qualidade de vida”, acrescenta.

O presidente daquela Câmara destaca os progressos feitos durante o seu mandato.

“Neste mandato encetamos uma política verdadeiramente amiga dos munícipes. Em 2013, quando assumi a presidência da Câmara, Esposende ocupava o 21.º lugar entre os municípios de média dimensão, ficando atrás de Fafe, no distrito de Braga e sendo ultrapassado por Bragança e Ponte de Lima, na região Norte. Temos registado melhorias significativas, desagravando a carga fiscal sobre os munícipes e as empresas”, vinca Benjamim Pereira.

O documento divulgado pela Ordem dos Contabilistas Certificados atesta o desempenho dos municípios no que se refere aos indicadores do índice de liquidez, resultado operacional, peso passivo exigível no ativo, passivo por habitante, taxa de cobertura financeira da despesa realizada no exercício, prazo médio de pagamentos, grau de execução do saldo efetivo, índice de dívida total, execução da despesa relativamente aos compromissos assumidos e impostos diretos por habitante.

Para Benjamim Pereira, a divulgação destes resultados “atesta a boa gestão do Município, abrindo portas aos grandes investimentos que se perspetivam para Esposende e revelando a diminuição da carga fiscal sobre os munícipes e empresas”.

A nível nacional, os municípios de Marinha Grande, Vila Velha de Ródão e Sintra ocupam as três primeiras posições.

Populares