Seguir o O MINHO

Cávado

Esposende recebe o 1.º FestiTeatro – Festival do Teatro de Rua

em

O 1.º FestiTeatro – Festival do Teatro de Rua decorrerá entre os dias 21, 22 e 23 de agosto, em Esposende.


Esta iniciativa, criada no âmbito do projeto CREARTE – Crescimento Arte Teatral de Esposende, irá centrar-se na Praça do Município, no Largo Dr. Fonseca Lima, na Rua 1.º de Dezembro e no centro da cidade de Esposende.

De acordo com comunicado da Câmara Municipal, este evento pretende realçar o papel potenciador da cidade.

“Para além do caráter lúdico e interativo, as várias atividades propostas pretendem atrair a atenção do público para aspetos da cidade, quer históricos, quer comerciais, realçando o seu papel de potenciador do desenvolvimento económico”, refere o mesmo comunicado.

Esta primeira edição do FestiTeatro conta com a presença de sete grupos, três espanhóis e quatro portugueses. Os grupos espanhóis, de Santiago de Compostela, chamam-se “7 Magníficos +1”, “Bandullo Azul” e “Evolution Rock&Roll”.

Alexandre Pring, de Viana do Castelo, a Companhia Marimbondo, de Lousã, Irmãos Esferovite, de Vila do Conde e Madame Nez Rouge, de Espinho, são os grupos nacionais que se vão apresentar.

No primeiro dia do festival, os espetáculos têm lugar na Praça do Município, com sessões às 21:30 e às 22:30. No dia 22, serão apresentadas três sessões, a primeira às 17h00, na Praça do Município, e as outras às 18h00, na Rua 1.º de Dezembro e no Largo Dr. Fonseca Lima. O evento encerra no dia 23, no palco da Praça do Município, às 17hoo, 18h30, 21h30 e 23h30.

Este Festival do Teatro de Rua enquadra-se no CREARTE, um projeto que está a ser dinamizado pelo Município, sob a orientação do encenador e formador Jorge Alonso.

Anúncio

Cávado

Quatro praias de Esposende já ostentam bandeira azul

Ambiente

em

Foto: Divulgação / CM Esposende

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) entregou hoje as Bandeiras Azuis para as praias de Apúlia, Ofir, Suave Mar e Cepães, em Esposende, as quais voltam a merecer a distinção da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) para a época balnear 2020, continuando a ostentar o galardão também obtido nos anos anteriores.

A Bandeira Azul é um símbolo de reconhecimento da qualidade e a atribuição do galardão às quatro praias de Esposende representa o cumprimento de um vasto conjunto de critérios de natureza ambiental, segurança e conforto dos utilizadores da praia.

O hastear da Bandeira Azul numa praia significa, desde logo, a garantia de qualidade da água balnear e o cumprimento de uma série de critérios ao nível das infraestruturas de apoio à praia, gestão de resíduos, limpeza do areal, assistência a banhistas, acessibilidades e informação pública.

Em comunicado, a autarquia refere que Esposende reúne novamente os requisitos que permitem “uma oferta turística e ambiental de qualidade, reforçando a condição de destino balnear de excelência”.

Refira-se que as praias de Apúlia e Cepães receberam também o galardão Praia Acessível, estando preparadas para receber pessoas com mobilidade condicionada.

Esposende garante, ainda, o cumprimento de um aspeto essencial na atribuição deste galardão: a promoção da educação ambiental.

“Em colaboração com a empresa municipal Esposende Ambiente, o Município de Esposende tem desenvolvido inúmeras atividades que alertam para a consciência ambiental dos mais novos, levando a mensagem até todos os utilizadores dos areais de Esposende”, destaca a mesma nota.

Este ano, devido ao cumprimento das regras de segurança e de distanciamento social, as atividades serão ajustadas e desenvolvidas maioritariamente em formato digital e expositivo.

A autarquia relembra as novas regras exigentes que obrigam a novos procedimentos, nomeadamente também por parte de quem frequenta as praias.

Para além de serem respeitadas as indicações das autoridades, nomeadamente no que concerne ao distanciamento social e à ocupação das praias, é importante que a ocupação das praias seja acompanhada para melhor decisão quanto ao local a escolher pelos banhistas, informação que pode ser consultada através da aplicação Infopraias.

Continuar a ler

Cávado

Associação de Esposende denuncia “falta de limpeza” em espaço cedido à Docapesca

Ambiente

em

Foto: Associação Cidadãos de Esposende

A Associação Cidadãos de Esposende denuncia um “possível atentado ambiental” na zona ribeirinha de Esposende, apontando o dedo à “falta de limpeza” e “à acumulação de objetos em áreas destinadas ao estacionamento, sendo alguns dos objetos arcas frigoríficas”.

Fonte da Câmara explicou a O MINHO que, devido à realização de obras, o espaço público em questão está temporariamente cedido à Docapesca, que ficou responsável pela gestão e limpeza do mesmo até ao final da intervenção.

Em comunicado, a Associação Cidadãos de Esposende expressa “preocupação com o estado de degradação da zona ribeirinha do concelho, falando mesmo de um possível atentado ambiental”, acrescentado que reportou a situação ao presidente da Câmara, Benjamim Pereira.

Considerando “lastimoso o estado em que se encontra um dos locais mais procurados por quem visita Esposende”, a Associação destaca “uma falta de limpeza generalizada em toda a zona sul, e a acumulação de objetos em áreas destinadas ao estacionamento, sendo alguns dos objetos arcas frigoríficas”.

A Associação diz não compreender “que em 2020 estejam frigoríficos em plena zona de passagem, mais ainda quando esses objetos são equipados com compressores ou sistema de circulação de gás que podem libertar contaminantes do ambiente como os CFC — químicos sintéticos denominados clorofluorocarbonetos”.

Acrescenta que “pretende entender se a zona sul, que em agosto de 2007 foi alvo de um arranjo urbanístico, é hoje um espaço para depósitos ou uma zona turística, não sendo possível coabitar ambas”.

Portanto, a Associação considera que é “urgente limpar toda a zona, retirar de imediato todos os objetos perigosos e estabelecer que espaços são usados pelos profissionais da pesca e que locais são para uso desportivo ou de lazer”.

Espaço público cedido temporariamente à Docapesca

Naquele local, há um espaço público, que consiste em parque de estacionamento e parque com aparelhos de desporto, que confronta com a zona onde está a doca e os armazéns dos pescadores, que é da Docapesca.

Fonte da Câmara de Esposende esclareceu que, “por força das obras que decorrem na doca de pesca de Esposende, o Município de Esposende cedeu, à Docapesca, temporariamente, o espaço público delimitado pelo parque de estacionamento, para aí serem colocados contentores, onde os pescadores guardariam os seus bens”.

“O parque de estacionamento foi vedado e instalados ali contentores que foram cedidos aos pescadores”, acrescenta a fonte, referindo que “foi definida uma data para os pescadores regressarem ao espaço intervencionado, libertando o parque de estacionamento”.

“Conforme ficou acordado desde o início, a Docapesca comprometeu-se a entregar o espaço devidamente limpo, processo que está a decorrer, até à conclusão da obra”, conclui a fonte.

Continuar a ler

Cávado

Covid-19: Esposende com 7 casos ativos, 69 recuperados e um óbito

Covid-19

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O concelho de Esposende registava, até ás 18:00 horas desta quarta-feira, 77 casos acumulados de infetados com covid-19 desde o início da pandemia, apurou O MINHO junto de fonte local da saúde.

Destes, 69 estão dados como recuperados, lamentando-se ainda um óbito, um homem de 90 anos, residente em Belinho, que faleceu no passado dia 29 de abril.

Existem, atualmente, sete casos ativos de covid-19 em todo o concelho, disse a mesma fonte.

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde, no qual Esposende regista o número de 50 doentes há várias semanas.

A DGS já veio a público admitir que os dados não têm sido atualizados, devendo essa atualização ocorrer em breve.

Portugal regista hoje mais 13 óbitos por covid-19, em relação a quarta-feira, e mais 418 casos de infeção confirmados, dos quais 328 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim epidemiológico diário, o total de óbitos por covid-19 desde o início da pandemia é agora de 1.644 e o total de casos confirmados é de 45.277.

Há 30.049 casos recuperados, mais 335.

Continuar a ler

Populares