Seguir o O MINHO

Cávado

Esposende: Militares de folga recuperam máquina avaliada em 6 mil euros

Máquina de fusão de fibra ótica furtada

em

Foto: Divulgação

Dois militares do posto territorial de Esposende da Guarda Nacional Republicana (GNR) recuperaram, na sexta-feira, uma máquina de fusão de fibra ótica avaliada em 6 mil euros, que havia sido furtada naquele concelho, anunciou este domingo aquela polícia.

Apesar de se encontrarem de folga, os dois guardas receberam uma denúncia sobre o furto desta máquina e deslocaram-se ao local, conseguindo ainda localizar o suspeito, de 48 anos, e recuperar a máquina, que estava na sua posse.

O suspeito foi constituído arguido, a máquina restituída ao seu legitimo proprietário e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Esposende.

Anúncio

Barcelos

Cerca de 20 bombeiros combatem incêndio num prédio em Barcelos

Covid-19

em

Foto: DR / Facebook

Os bombeiros estão a combater um incêndio num apartamento do último andar de um prédio na Rua Pedro Álvares Cabral, em Arcozelo, Barcelos.

O alerta foi dado às 18:25.

Vídeo: Tiago Loureiro / Facebook

No local estão 24 operacionais suportados por nove viaturas.

(em atualização)

Continuar a ler

Barcelos

Pároco de Barcelos percorreu a cidade a pé para levar o “Pão do Céu” a todas as casas

Covid-19

em

Foto: Paróquia de Barcelos / Facebook

A proibição de ‘compassos motorizados’ decretada pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, levou o Prior de Barcelos, Abílio Cardoso, ontem à noite, a percorrer as ruas da cidade a pé para levar o “Pão do Céu” a todos os paroquianos.

A Paróquia de Barcelos tinha programado levar a custódia com o Santíssimo Sacramento, exposta num carro dos bombeiros, pelas ruas da cidade, de forma a cumprir a tradição de quinta-feira Santa, mas as pessoas mantendo-se em casa, respeitando as regras de contenção da propagação da covid-19. E, à semelhança de outras paróquias, contava levar a cruz da mesma forma, no domingo.

Após a referida proibição, o pároco de Barcelos decidiu manter o percurso previsto, mas a pé. “Em dia solene da Eucaristia, Quinta-feira Santa, tendo em conta as condicionantes e as recomendações oficiais do COVID 19, o Pão do Céu visitou e abençoou os lares de Barcelos pelas mãos do seu pároco”, refere a Paróquia de Barcelos na sua página de Facebook.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos perde nova batalha judicial para travar linha de muito alta tensão

Covid-19

em

Foto: DR

O Tribunal Central Administrativo do Norte (TCAN) confirmou o indeferimento da providência cautelar interposta pela Câmara de Barcelos para travar a construção de uma linha de muito alta tensão no concelho.

Por acórdão datado de 13 de março, hoje consultado pela Lusa, o TCAN refere que a câmara não concretiza os riscos decorrentes da instalação da linha, tanto para o ambiente como para a saúde pública, fazendo apenas uma “alegação genérica”.

Assim, o TCAN considera que a câmara não alegou e provou, “como lhe competia, factos concretos que permitissem ao tribunal concluir que da instalação e funcionamento da linha elétrica resultará a produção de prejuízos de difícil reparação para os interesses da população da autarquia, traduzidos designadamente na lesão da sua saúde”.

Interposta em setembro de 2019, a providência cautelar pede o embargo de obra e a abstenção de qualquer conduta ou operação material que se relacione com a construção da linha, bem como a suspensão da eficácia da declaração de impacte ambiental e a suspensão da eficácia do despacho que concedeu a licença de construção.

A providência cautelar visa a Redes Energéticas Nacionais (REN), promotora da linha, mas também a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Em novembro de 2019, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga julgou improcedente a providência cautelar, mas a Câmara interpôs recurso para o TCAN, que também não lhe deu razão.

A Câmara alega que o traçado da linha vai penalizar nove freguesias do concelho, com particular incidência em Perelhal, Vila Seca e Macieira de Rates, onde passará por “zonas populacionais importantes”.

No recurso, a Câmara dizia ainda que não se lhe pode pedir que concretize os potenciais riscos decorrentes da instalação da linha, considerando que faltam estudos e regulamentação.

Acrescenta que, neste momento, o grande perigo da instalação da linha é colocar “toda uma população sob efeitos que se desconhecem da exposição aos campos elétricos e magnéticos derivados de linhas de muito alta tensão, pois inexistem estudos e normas sobre os níveis da exposição humana máxima admitidos a campos eletromagnéticos”.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Câmara de Barcelos disse que já foi interposto recurso para o Supremo Tribunal Administrativo.

Continuar a ler

Populares