Seguir o O MINHO

Esposende

Esposende investe 730 mil euros em transporte escolar no próximo ano letivo

Abrangidos mais de 2300 alunos

em

Foto: CM Esposende

O Município de Esposende vai investir cerca de 730 000 euros em transportes escolares, no ano letivo 2019/2020, abrangendo um universo previsível de 2 324 alunos. Os dados constam do Plano de Transporte Escolar que foi aprovado, por unanimidade, em reunião do executivo municipal.

Este é o instrumento de planeamento da oferta de serviço de transporte entre o local da residência e o local dos estabelecimentos de ensino da rede pública frequentados pelos alunos, desde a educação pré-escolar até ao ensino secundário.

A legislação em vigor determina a gratuitidade de transporte escolar para os alunos que residam a mais de três quilómetros do estabelecimento de ensino que frequentam, sendo que, no que se refere, ao concelho de Esposende, compete ao Município custear 50% desses encargos.

A restante verba é garantida através do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART), com financiamento proveniente do Fundo Ambiental e distribuído pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Cávado.

No cumprimento da lei, a Câmara Municipal de Esposende decidiu aplicar o financiamento correspondente do PART na comparticipação da totalidade do custo do transporte escolar para os alunos do ensino secundário, entre abril e dezembro do corrente ano, assumindo um esforço financeiro previsivelmente superior ao previsto no Programa.

Anúncio

Cávado

Canal para proteger cidade de Esposende de cheias começou hoje a ser construído

Intercetor de proteção de cheias e inundações irá custar mais de 5 milhões: “É uma obra essencial”

em

Foto: DR / Arquivo

A primeira pedra do canal intercetor de proteção e gestão de riscos, cheias e inundações da cidade de Esposende foi hoje lançada, um investimento de mais de cinco milhões de euros que deverá estar concluído na próxima primavera.

Para o presidente da Câmara Municipal de Esposende, esta é uma obra “essencial” que na medida em que baliza “a capacidade de construção urbana” para as próximas décadas.

“Esta é uma obra de coeficiente de dificuldade elevado, mas mais que necessária para resolver um problema estruturante da cidade, um território morfologicamente muito plano que rapidamente satura de água”, apontou o Benjamim Ferreira.

Este projeto decorre da decisão do Ministério do Ambiente, de 22 de fevereiro, de 2016, que classificou Esposende como zona crítica, no âmbito do Plano de Gestão de Riscos de Inundação, elaborado pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Em novembro de 2016, o Município de Esposende aprovou o projeto e, em janeiro de 2017, foi aprovado o financiamento pelo Fundo de Coesão, ao abrigo do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

O investimento é comparticipado por fundos comunitários em 3,9 milhões de euros, um valor que contempla projeto, aquisição de terrenos e a obra propriamente dita, adjudicada por 3,1 milhões de euros.

Em causa está a construção de um sistema intercetor de águas pluviais excedentes, para resolução de problemas de drenagem de terrenos agrícolas e das inundações na cidade de Esposende.

Problemas que, sublinha o município, “colocam em risco a população e causam elevados danos no património público e no privado”.

O canal intercetor irá desde a rotunda da empresa Solidal, na cidade, até à freguesia das Marinhas, numa extensão de 4,5 quilómetros.

Continuar a ler

Esposende

Canal para acabar com as cheias em Esposende pronto em 2021

Investimento de quase 4 milhões

em

Foto: DR

A Câmara de Esposende lança na segunda-feira a primeira pedra do canal destinado a acabar com as inundações na cidade, uma empreitada que deverá ficar concluída em 2021, anunciou hoje o município.

O investimento é comparticipado por fundos comunitários em 3,9 milhões de euros, um valor que contempla projeto, aquisição de terrenos e a obra propriamente dita, adjudicada por 3,1 milhões de euros.

A obra tem um prazo de execução de dois anos e quatro meses.

Em causa está a construção de um sistema intercetor de águas pluviais excedentes, para resolução de problemas de drenagem de terrenos agrícolas e das inundações na cidade de Esposende.

Problemas que, sublinha o município, “colocam em risco a população e causam elevados danos no património público e privado”.

O canal intercetor irá desde a rotunda da empresa Solidal, na cidade, até à freguesia das Marinhas, numa extensão de 4,5 quilómetros.

“Este projeto decorre da decisão do Ministério do Ambiente que classificou Esposende como zona crítica, no âmbito do Plano de Gestão de Riscos de Inundação, elaborado pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA)”, refere o comunicado.

Para o presidente da Câmara, Benjamim Pereira, “esta é uma oportunidade excecional para resolver um dos mais difíceis problemas da zona urbana de Esposende, mas também de Marinhas e Gandra”.

“A construção do canal intercetor afigura-se vital para a resolução dos problemas de drenagem dos terrenos agrícolas e das inundações na cidade de Esposende, que têm vindo a colocar em risco a população e a causar elevados danos no património público e privado, enfraquecendo a economia e fragilizando o ambiente”, enfatizou o autarca.

Continuar a ler

Esposende

Galaicofolia é recriação histórica que anima Castro de S. Lourenço em Esposende

Música e danças galaicas, peças de teatro, workshops temáticos de ofícios, demonstração de aves de rapina, teatro, fantoches ou combates de gladiadores são alguns dos destaques

em

Fotos: CM Esposende

O Castro de S. Lourenço, em Vila Chã, Esposende, acolhe, este fim-de-semana, mais uma edição da “Galaicofolia – 2000 anos de festa”. Promovido pelo Município de Esposende, em parceria com a Junta de Freguesia de Vila Chã, este projeto é uma aula de História para os mais novos e a descoberta de novas babordagens dos factos, para os mais velhos.

A edição de 2019 apresenta a gastronomia, enquanto temática principal e, dentro desta, a cerveja e o vinho, bebidas que marcavam os dias de festa destes povos – a cerveja mais conotada com o povo galaico e o vinho
mais ligado ao mundo romano.

Tendo como cenário o castro da Idade do Ferro sobranceiro à cidade de Esposende, este é um evento de concilia a animação musical à gastronomia de época, as encenações teatrais que revivem ambiências e recriações históricas que contribuem para divulgar a importância arqueológica do Castro de S. Lourenço.

No povoado, pode o visitante observar animais domésticos e aves de rapina, um mercado, participar nos desafios de destreza, ou deixar que os mais pequenos se divirtam no espaço Caturo, descobrindo a História local, através da dramatização de contos e lendas. Para concluir a visita, o espaço alimentar apresenta algumas iguarias da época, como pão e queimada galaica, feitos no momento.

O programa apresenta uma atividade constante, com muita música e danças galaicas, peças de teatro, workshops temáticos de ofícios (ferreiro, carpinteiro, tecelão e oleiro), demonstração de aves de rapina, teatro, fantoches ou combates de gladiadores, entre muitas outras atrações.

A organização disponibiliza transportes gratuitos, a partir da cidade de Esposende (na paragem junto ao Mercado Municipal) até ao local do evento e, nas imediações, estarão disponíveis parques de estacionamento, também eles gratuitos.

As portas do recinto abrem às 18:30 desta sexta-feira, dia 19 de julho, e encerram às 00:00 do dia 21.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares