Seguir o O MINHO

Cávado

Esposende engalanou-se para celebrar o seu Dia

em

Esposende comemorou, esta quinta-feira, o Dia da Cidade e do Município.

No dia em que se cumpriram 22 anos da elevação de Esposende à categoria de cidade e 443 anos da fundação do concelho, o Município levou a efeito um programa comemorativo que incluiu, no período da manhã, o Hastear das Bandeiras, nos Paços do Município, a Missa Solene, na Igreja Matriz de Esposende, presidida pelo Bispo Auxiliar de Braga, D. Francisco Senra Coelho, e a habitual Sessão Solene, no Auditório Municipal de Esposende.

O programa prosseguiu com o Cortejo Etnográfico concelhio, à tarde, e, já à noite, o concerto de Pedro Abrunhosa & Comité Caviar, encerrando o dia festivo com um espetáculo piromusical, na Zona Ribeirinha de Esposende.

Na habitual Sessão Solene, o presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, aludiu à longa herança histórica e cultural de Esposende para fazer uma breve reflexão sobre o presente, sublinhando que “devemos valorizar cada vez mais aqueles que se distinguiram pelo seu percurso e pelos serviços prestados à comunidade, fazendo deles exemplos a seguir e transformando-os em referências para os nossos jovens”.

dia do municipio esposende1

O reconhecimento do Município coube, este ano, a quatro personalidades e a uma instituição. A Medalha de Honra, a mais alta distinção do Município foi entregue a Joaquim de Carvalho, que, entre outros importantes cargos, foi presidente do Supremo Tribunal de Justiça. O presidente da Câmara Municipal sublinhou o caráter humano e o excecional percurso profissional de Joaquim de Carvalho que dignifica Esposende, considerando, por isso, a atribuição da Medalha de Honra “um ato da mais elementar justiça”.

O homenageado fez questão de, publicamente, agradecer a distinção, lembrando que criou laços com Esposende inicialmente em termos profissionais e, posteriormente, por via do matrimónio. Joaquim de Carvalho deu nota do engrandecimento do concelho, destacando o desenvolvimento que se operou nos últimos anos, a níveis vários. Elogiou a enorme dinâmica municipal, dizendo que ao leme dos destinos do Município está “alguém capaz e que quer engrandecer o concelho”. Felicitou, por isso, o presidente Benjamim Pereira, e restante equipa, pelo “excelente trabalho”.

A Medalha de Mérito Municipal foi atribuída à Rio Neiva – Associação de Defesa do Ambiente, pelo trabalho que, ao longo de 25 anos, tem vindo a desenvolver tanto na defesa do ambiente como na promoção e dinamização desportiva. Benjamim Pereira lembrou que o Município esteve presente na ajuda à instituição, depois das suas instalações terem sido destruídas por um incêndio, num apoio que rondou os 100 mil euros.

A mesma distinção foi entregue a José Manuel Miranda Mota, “um esposendense que, para além do excecional percurso académico é hoje o maior especialista português em filatelia”, sublinhou o Autarca.

dia do municipio esposende3

O Padre Manuel da Costa Amorim, de Belinho, foi igualmente distinguido com a Medalha de Mérito Municipal, pelo seu “percurso religioso e militar único”. A título póstumo, foi atribuída a mesma distinção ao Cónego Manuel Rodrigues de Azevedo, “ilustre forjanense, portador de um percurso dedicado à Igreja, ao ensino e à criação poética e musical”.

Pela primeira vez na história do Dia do Município, a Câmara Municipal procedeu à entrega de votos de louvor dando, deste modo, visibilidade pública àqueles se evidenciaram e distinguiram por atos e realizações.

Foram agraciados com votos de louvor, que foram aprovados desde as últimas comemorações, Ana Madalena de Azeredo Ribeiro, pela conquista do Prémio Jovens Músicos na categoria A – Solista – Nível Superior de Violino, Maria Migueis Teixeira, atleta do Centro Hípico do Norte, pela conquista da Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude, Manuel Neiva Losa, pelo serviço prestado na Câmara Municipal de Esposende no Serviço de Proteção Civil, Jorge Miguel Campos Ribeiro, pela conquista do Prémio Europeu “Professor António Sousa Franco”, para a categoria de investigação, pelo seu trabalho “A mobilidade das sociedades no espaço europeu – a problemática da transparência transfronteiriça da sede”, a “Praxis Crew Praxistudio”, equipa de competição e alta performance em dança urbana da “PraxiStudio”, escola de dança de Esposende, pelo apuramento para o Campeonato do Mundo de Hip Hop 2015, e Adriano Ribeiro Silva, de Apúlia, pelo socorro prestado a sete banhistas na praia de Cedovém, em Apúlia, a 18 de agosto de 2012.

Com o intuito de “conferir dignidade ao reconhecimento do desempenho e carreira profissional dos trabalhadores do Município”, foram agraciados, na Sessão Solene do Dia do Município, 12 trabalhadores, designadamente Alexandre José Rodrigues, António Eduardo Viana, António Martinho Matos, Cristina Maria Ribeiro, Cristina Maria Cunha, José Maria Alves, José Maria Miquelino, José Miguel Sousa, Manuel Martins, Manuel Laranjeira, Ramiro Capitão e Vítor Manuel Menina.

dia do municipio esposende2

Em dia de festa, o presidente da Câmara Municipal aproveitou para fazer um curto balanço do trabalho desenvolvido na primeira metade do mandato, “dois anos de forte e intensa atividade”, a que se soma o esforço para “colocar Esposende no lugar que merece” por via do cargo que Benjamim Pereira ocupa no Comité das Regiões da Europa, da presidência da Agência de Energia do Cávado e da Assembleia da Resulima, para além da representação na Associação Nacional de Municípios Portugueses e na Águas do Norte. “Cargos não remunerados, mas que dignificam o concelho e permitem estar próximo e participar das decisões que afetam o nosso território”, notou o Autarca.

“Fizemos obra”, afirmou Benjamim Pereira, apontando alguns exemplos de intervenções, entre as quais a Requalificação da Praia da S. Bartolomeu do Mar e da Frente Ribeirinha de Fão e a 3.ª fase da Ciclovia da Marginal de Esposende. Às obras somam-se a conclusão do processo de revisão do PDM, a aquisição de mais um moinho da Abelheira e de terrenos para construção de equipamentos e para alargamento de cemitérios, o reforço da política social e educativa do município, a descida do IMI, a isenção do pagamento das ligações de água e saneamento e os descontos na ocupação por esplanadas. Benjamim Pereira referiu, também, o sucesso do conceito e da marca “Esposende Verão 2015”, traduzido na “enorme adesão de visitantes e com impacto direto sobre a economia local”, realçou a atividade desportiva e cultural do Município e a promoção turística no estrangeiro, a organização de eventos de escala nacional, a celebração de acordos “da maior importância” para o concelho, de quem é exemplo a parceria com a Universidade do Minho, referindo, ainda, a negociação do Pacto de Desenvolvimento e Coesão no âmbito da CIM para aceder ao quadro comunitário Portugal 2020.

“Fizemos tudo isto com um desempenho financeiro exemplar, ancorados numa rigorosa disciplina orçamental”, vincou o presidente da Câmara Municipal, lembrando que o Município conseguiu ainda recuperar valores significativos no encerramento do QREN, estando também em boa posição para abordar o novo quadro comunitário. Orgulhoso do trabalho feito, Benjamim Pereira fez questão, contudo, dar nota pública da cooperação que sempre encontrou por parte da Administração Central.

Com a segunda parte do mandato no horizonte, o presidente da Câmara Municipal perspetiva um reforço de atenção às freguesias, às instituições e aos munícipes. Focado no cumprimento do compromisso para com o povo de Esposende, afirmou que “continuaremos de forma abnegada o nosso trabalho, tentando dignificar a atividade política” e apontou as metas mais próximas. Terminou a sua intervenção, agradecendo à população do concelho pelo reconhecimento e apoio que vêm demonstrando ao executivo e ao seu trabalho.

dia do municipio esposende

O presidente da Assembleia Municipal, Agostinho Silva, aproveitou a sua intervenção para dar nota positiva do trabalho desenvolvido por este órgão, onde “apesar das naturais divergências políticas têm existido, não raras vezes, posições concertadas e comuns quando se trata de defender os interesses das populações”.

Pela importância de que se revestem, Agostinho Silva realçou a aprovação da revisão do Plano Diretor Municipal, pondo fim a um processo que durou 12 anos, e a aprovação das Contas do Município de 2014, com um saldo positivo superior a 3 milhões de euros. O presidente da Assembleia Municipal destacou a boa saúde financeira da Autarquia e o facto de Esposende estar no lote dos 10 municípios portugueses melhores pagadores.

Enumerou ainda “algum do muito trabalho que a Câmara Municipal realizou neste último ano” e notou que, “fruto da visão empreendedora e do dinamismo do presidente da Câmara, Esposende aproveitou verbas que outras entidades e municípios não conseguiram executar”, no âmbito do overbooking dos fundos comunitários.

Agostinho Silva reconheceu ainda o mérito de Benjamim Pereira na deslocação de vários ministros do Governo para apoiar diversas obras no concelho, assim como na visita dos mais altos representantes da Nação, o Presidente da República, Cavaco Silva, e o Primeiro-Ministro, Passos Coelho. Terminou felicitando a Câmara Municipal, na pessoa do Presidente Benjamim Pereira, Vereadores e colaboradores, pelo trabalho realizado, “desejando a sua continuação para o bem da população do concelho”.

A Sessão Solene foi abrilhantada por um momento musical, protagonizado por Tiago Rodrigues, que terminou o curso básico de música na Escola de Música de Esposende em 2013/2014, estudando agora no conservatório de Vila do Conde e que integra o projeto Ars Vocalis.

dia do municipio esposende5

O programa comemorativo do Dia da Cidade e do Município prosseguiu com a realização, durante a tarde, do Desfile “Esposende – Usos e Costumes”, onde estiveram representadas as artes e os ofícios de cada uma das freguesias concelhias, nomeadamente a produção do vinho, o cultivo e a moagem do milho, a cultura dos nabos, o ciclo do pão, a horticultura e a produção do linho, do mel e de citrinos, bem como o junco, o forno do carvão, o trabalho da pedra, o Banho Santo de S. Bartolomeu do Mar, o Rio Cávado e a pesca e os sargaceiros, entre outros motivos. Milhares de pessoas assistiram a este desfile que percorreu diversas ruas da cidade, mostrando os usos, costumes e tradições de outrora.

dia do municipio esposende8

O concerto com Pedro Abrunhosa & Comité Caviar, à noite, fechou o Dia da Cidade e do Município. Ao longo de duas horas e meia, milhares de pessoas vibraram com o cantor portuense que esteve, em concerto, pela segunda vez em Esposende. Pedro Abrunhosa afirmou mesmo que o “Sons de Verão” é uma aposta ganha e um dos festivais “mais consistentes” que se realizam no país.

A festa ficou completa com o espetáculo piromusical, na Zona Ribeirinha de Esposende.

Anúncio

Barcelos

PSD/Barcelos exige que autarca peça desculpa por críticas a propósito do concerto de Júlio Iglésias em 2004

Aos dirigentes da EMEC- Empresa Municipal de Cultura e Educação

em

Foto: DR / Arquivo

O PSD de Barcelos congratulou-se, hoje, em comunicado, com a vitória judicial no caso dos pagamentos ao cantor Júlio Iglésias, mas exigiu ao Presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes que faça um pedido desculpa aos dirigentes da EMEC- Empresa Municipal de Cultura e Educação, que a geriam em 2004, e ao PSD de Barcelos, em seu nome pessoal, em nome dos executivos e em nome do PS.

O Tribunal Central Administrativo do Norte (TCAN) acaba de confirmar que a Empresa Municipal já pagou tudo o que tinha a pagar pelo concerto de Júlio Iglésias em 2004. Por acórdão de 31 de Outubro – lembra o PSD – o tribunal decidiu que o contrato ficou saldado, quando estava em causa uma ação movida pela empresa representante de Júlio Iglésias, que exigia o pagamento de 130 mil euros, mais juros.

Já em Janeiro de 2019, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga tinha absolvido a EMEC do pagamento de 130 mil euros à empresa GOLDEN CONCERTS, referente ao concerto de Júlio Iglésias, aquando da inauguração do Estádio Cidade de Barcelos, em 2004.

Após esta reclamação da GOLDEN CONCERTS em 2012, os executivos PS e o Presidente da Câmara responsabilizaram publicamente os Dirigentes da EMEC à época, com todos os efeitos políticos que pretenderam e daí resultaram.

Tribunal confirma que Barcelos nada deve pelo concerto de Júlio Iglésias em 2004

Agora, sublinha o presidente da Concelhia José Novais, é caso para afirmar que “no único caso judicial que a Câmara não queria ganhar, ganhou”.

Continuar a ler

Barcelos

Jovem ferido com gravidade após despiste de mota em Barcelos

Em Fornelos

em

Foto: Vítor Vasconcelos

Um jovem, com 17 anos, sofreu ferimentos considerados graves, esta segunda-feira, na sequência do despiste da mota que conduzia, na freguesia de Fornelos, em Barcelos.

De acordo com dados da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o alerta foi recebido cerca das 16:03.

A vítima foi assistida no local e transportada para o Hospital de Braga, pelos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos.

A GNR tomou conta da ocorrência.

Continuar a ler

Barcelos

Médico e sócios de clínica de Barcelos condenados a pagar 140 mil euros por compra de quotas

Venderam a clínica, mas o negócio não se fez. E não devolveram o dinheiro

em

Foto: Ilustrativa / DR

Compraram as quotas da Clínica Particular de Barcelos por 140 mil euros, mas não as pagaram. O Tribunal Cível de Braga condenou-os. Os compradores, o médico barcelense Afonso Henriques Inácio e a CIEDA – “Carvalho, Inácio, Esteves, Duarte & Araújo, SA” – empresa sócia da Clínica -recorreram para a Relação de Guimarães, mas o recurso foi indeferido. Vão ter, ainda, de liquidar, juros de dez anos, a Moisés Barbosa Vieira e mulher e a Carlos Gonçalves, de Barcelos.

O Tribunal deu como provado que os queixosos assinaram, com aquele médico, um contrato-promessa de compra em 2003, por 75 mil euros, de uma quota com o valor nominal de 18 mil. O pedido de reembolso chega aos 140 mil dado que exigiram mais 65 mil, o dobro da verba dada inicialmente como sinal.

Os queixosos, defendidos por Maria Sequeira do escritório de João Magalhães, de Braga, diziam que o negócio nunca foi concretizado e que o dinheiro, pago em quatro cheques bancários, nunca lhes foi devolvido. E acusavam o médico de “enriquecimento sem causa”.

Em resposta, a CIEDA acusava os autores de “litigância de má-fé” já que – diziam – ficou demonstrado em duas outras ações – no Tribunal de Braga e no da Relação de Guimarães – que a firma não tinha assinado nenhum contrato e nenhum dos cheques entrou na sua conta bancária. Desconhecia, por isso, qualquer pagamento.

Litigância de má-fé

Considerava, portanto, que a ação “é infundada” e lamentava que os seus autores se queiram “locupletar à custa da empresa”.

Já Afonso Henriques Inácio negava ter ficado abusivamente com o dinheiro, dizendo que o negócio nunca se concretizou por desinteresse dos queixosos.

Tribunal da Relação confirma condenação de “médico das reformas” de Barcelos

O Tribunal não aceitou a tese de litigância de má-fé e rejeitou a argumentação do médico.

A Clínica Particular de Barcelos foi, depois, desta compra inacabada, vendida à CESPU (Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário), de Viana do Castelo, a qual a alienou, de seguida, ao Hospital Particular de Viana.

Continuar a ler

Populares