Seguir o O MINHO

Região

Espetáculos de circo em Celorico de Basto, Cabeceiras de Basto e Arcos de Valdevez

Cultura

em

Foto: Ilustrativa / DR

“De volta à Praça”, um programa de espetáculos de circo que junta música, teatro e dança, vai decorrer de 09 de julho a 19 de setembro em nove Municípios do Norte do país, foi hoje anunciado.

O “programa saltimbanco”, como foi descrito na apresentação que decorreu esta manhã na Casa das Artes, no Porto, soma mais de 20 espetáculos e cerca de uma dezena de oficinas de circo e marionetas.

Promovido pelo Coliseu do Porto e pelo Teatro Nacional São João, o “De volta à Praça” vai “saltar” pelas praças e parques do Porto, Arcos de Valdevez, Cinfães, Celorico de Basto, Mondim de Basto, Santo Tirso, Cabeceiras de Basto, Paços de Ferreira e Marco de Canaveses.

Com entrada gratuita, os espetáculos estarão sujeitos às normas em vigor da Direção-Geral da Saúde, devido às contingências da pandemia da covid-19.

Nos palcos, ao ar livre e num formato 360 graus, serão exibidos três espetáculos, sendo que o promovido pelo Coliseu do Porto corresponde ao espetáculo de Natal 2020, conservando a banda sonora, mas com adaptações nos números, revelou a presidente da direção, Mónica Guerreiro.

“O espetáculo do Coliseu terá uma orquestra com 15 elementos que vai tocar em todos os concelhos”, acrescentou a diretora, enquanto o maestro Luís Lousada apontou como “principal desafio, a comunicação”, comparando este projeto nas praças e parques “a uma ópera”.

Soma-se o “Circlus” do grupo de teatro Palmilha Dentada que se apresentará com quatro atores e comediantes num espetáculo “divertido” que “faz o confronto entre uma família de circo antiga que recebe um artista do circo moderno”, como referiu Ricardo Alves, responsável pelo texto, encenação e direção plástica.

Já a companhia Erva Daninha apresentará “Rasto” que, substituindo por veículos agrícolas os materiais circenses mais clássicos como o trapézio por exemplo, tem como “missão mostrar o lado mais contemporâneo do circo, fazendo uma reflexão entre o urbano e o rural”, contou Julieta Guimarães que divide a direção artística e a conceção plástica do espetáculo com Vasco Gomes.

“A génese do circo é saltar de local em local e neste projeto também queremos envolver as crianças numa vivência artística, daí o programa não incluir espetáculos acabados. Mostramos, também, que o circo tradicional e o circo contemporâneo se podem encontrar”, descreveu a diretora do Coliseu do Porto, Mónica Guerreiro.

Esta opinião foi partilhada pelo diretor artístico do Teatro Nacional São João, Nuno Cardoso, que atribuiu ao “De volta à Praça” temas como o confronto geracional, a ruralidade e o citadino, a ética dos tempos e locais, “temas que oferecem ao público questionamentos”.

Ambos destacaram a parceria entre as várias estruturas culturais, Municípios e companhias de teatro, apontando que esta é também uma forma de viabilizar projetos num período difícil do setor e ocupar o espaço público com cultura.

O programa é cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte (NORTE 2020), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

À Fundação Consuelo Vieira da Costa, também representada na apresentação, caberá a promoção local e nacional do programa.

Uso de máscara, capacidade máxima limitada que varia de local para local e lugares sentados com distanciamento são algumas das regras para assistir aos espetáculos que, embora de entrada livre, obedecerá a um sistema de bilhética.

EM FOCO

Populares