Seguir o O MINHO

Braga

Escoceses sujaram (muito) o centro de Braga? “AGERE limpou tudo em meia hora”

Megaoperação de limpeza da AGERE

em

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Circularam, durante a tarde de ontem, nas redes sociais, várias imagens que mostravam o centro da cidade de Braga num verdadeiro pandemónio, com lixo por todo o lado, fruto da invasão de adeptos escoceses ao centro histórico. Alguns adeptos utilizavam mesmo o mobiliário urbano – pilaretes – para abrir caricas das garrafas de cerveja que compravam nos supermercados.


 

 

Foram várias as críticas, sobretudo depois de ter sido dado eco na imprensa a essas mesmas imagens captadas. O que ficou por dizer? O centro da cidade ficou limpo em pouco mais de meia hora.

Fonte oficial da AGERE disse a O MINHO que, cerca de meia hora depois dos adeptos terem partido para o Estádio Municipal, tanto a Praça da República como as ruas por onde passou o cortejo de cerca de seis mil adeptos, ficaram limpas.

Cidade ficou limpa em pouco tempo. Foto: Fernando André Silva / O MINHO

“Tínhamos as equipas normais de varredores, mas já sabíamos que iria ser necessário um reforço, então deslocámos várias brigadas de limpeza para que não restasse lixo”, garantiu a mesma fonte.

Maria Armanda, uma das funcionárias da AGERE, conta a O MINHO que “nunca tal se tinha visto”. “Nem no São João vi tanto lixo concentrado num só local”, assegura.

Habitualmente responsável pela descarga das papeleiras, desta vez teve de se amarrar à vassoura e limpar uma das ruas que desce do centro histórico até à zona Norte da cidade, rumo ao Estádio. “Fui a limpar até às bombas da BP, nas Parretas”, conta.

Seis mil escoceses “salvaram o inverno” à restauração do centro de Braga

A funcionária destaca o bom trabalho dos colegas da AGERE. “Estivemos todos muito bem, isto ficou limpo num instante, e tivemos de limpar duas vezes porque depois voltaram para cá no final do jogo e ainda fizeram mais lixo”, finaliza.

SC Braga e Rangers defrontaram-se, na quarta-feira, para a segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, com a vitória a sorrir aos escoceses, por 0-1. No agregado, também foram os escoceses mais felizes, com um total de 2-4 e consequente apuramento para os ‘oitavos’ da competição europeia.

Anúncio

Braga

Câmara de Braga e construtora pedem a tribunal para decidir dívida

Justiça

em

Foto: DR

O consórcio Assoc e a Câmara de Braga não chegaram a acordo sobre o pedido da empresa de dez milhões por causa da construção do Estádio Municipal e, por isso, irá recorrer ao Tribunal Administrativo para resolver a questão, avança o Jornal de Notícias (JN).

Entretanto, adianta o mesmo jornal, o município também recorreu de outra decisão judicial que o obriga a pagar 4,9 milhões ao arquiteto Souto Moura.

Em declarações ao JN, o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, confirmou que “não foi possível chegar a acordo já que a Assoc pedia dez milhões sem justificar esse valor” e, portanto, “o tribunal terá que chegar a um valor, não por estimativa, mas com dados confirmados”.

Câmara de Braga perde recurso e terá que pagar 4,9 milhões a Souto Moura

Em sentença confirmada pela segunda instância, o Tribunal Administrativo de Braga condenou a Câmara a pagar um valor não quantificado à Assoc (Soares da Costa, Grupo Rodrigues e Névoa, Casais, DTS, ABB e duas empresas que ficaram insolventes – Eusébios e J. Gomes), por prolongamento de custos de estaleiro para terminar a obra em finais de 2003.

Em 2018, a Câmara tinha já sido condenada a liquidar quatro milhões ao mesmo consórcio – no caso, por horas extraordinárias na execução da obra do estádio -, tendo recorrido para o Supremo Tribunal de Justiça no ano seguinte.

São 4,9 milhões de euros a pagar pela Câmara ao consórcio formado entre as empresas Souto Moura – Arquitetos, Lda e Associados – Projetos de Engenharia, SA, que fez, em 2000, o projeto do novo estádio da cidade para o Euro 2004.

Continuar a ler

Braga

Distrito de Braga sob aviso laranja por causa do calor

Meteorologia

em

Foto: DR / Arquivo

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sob aviso laranja o distrito de Braga devido às elevadas temperaturas, que hoje chegarão aos 38º.

O distrito de Viana do Castelo está com aviso amarelo, com previsão de máxima de 33º.

Cerca de 40 concelhos de oito distritos do interior norte e centro e Algarve apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o IPMA.

Em risco máximo de incêndio estão cerca de 40 concelhos de Faro, Portalegre, Santarém, Castelo Branco, Guarda, Viseu, Vila Real e Bragança.

O IPMA colocou também risco muito elevado e elevado de incêndio vários concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental.

Segundo o IPMA, pelo menos até ao final da semana vai manter-se o risco de incêndio máximo e muito elevado em vários concelhos do continente por causa do tempo quente.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou sob aviso laranja os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja até às 21:00 de hoje.

Os distritos de Viana do Castelo, Porto, Aveiro, Viseu, Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa, Setúbal e Faro vão estar sob aviso amarelo até às 21:00 de hoje também devido à persistência de valores elevados das temperaturas máximas.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

De acordo com o IPMA, a “situação de tempo seco e quente” deverá manter-se até meados da semana, prevendo-se “uma ligeira descida de temperatura na terça-feira”.

As temperaturas máximas durante este período podem variar entre os 34 e os 39 graus Celsius nas regiões do interior.

Em alguns locais, como por exemplo no nordeste transmontano, vale do Douro, vale do Tejo e no interior do Alentejo os valores da temperatura máxima podem aproximar-se de 40 e os 42 graus, segundo o IPMA.

Junto à faixa costeira, as temperaturas máximas terão valores ligeiramente inferiores, entre os 28 e 30.

De acordo com o instituto, esta subida de temperatura deve-se à deslocação “de uma massa de ar quente e seco proveniente do norte de África, associada a um fluxo de leste sobre a Península Ibérica na circulação do anticiclone localizado na região dos Açores, que se estende em crista até ao Golfo da Biscaia, e de uma depressão centrada a sul da península”.

Por causa das elevadas temperaturas, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) emitiu um aviso à população para o perigo de incêndio rural.

Em comunicado, a ANEPC sublinha que face a estas previsões, é proibido fazer queimadas extensivas sem autorização, fazer queima de amontoados, utilizar fogareiros ou grelhadores em todo o espaço rural, salvo se usados fora de zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito, e fumar ou fazer lume nos espaços florestais.

Continuar a ler

Braga

Jovem de 22 anos agredida e atirada de carro em andamento em Braga

Em Adaúfe

em

Imagem ilustrativa

Uma jovem de 22 anos foi agredida e atirada de um carro em andamento ontem à noite, na EN205-4, em Adaúfe, concelho de Braga.

O condutor agrediu a mulher, que seria amiga, com um soco num olho e fê-la sair do carro ao pontapé e ao empurrão, enquanto conduzia.

O homem, ao volante de um BMW, ainda voltou ao local e foi novamente embora, sem prestar auxílio.

Os Bombeiros Sapadores de Braga, acionados às 22:06, transportaram a vítima politraumatizada e em estado de choque para o Hospital de Braga.

A GNR ouviu testemunhas, que ainda foram no encalço do agressor, mas sem sucesso.

Continuar a ler

Populares