Seguir o O MINHO

Guimarães

Erro no teste à covid-19 fechou creche em Guimarães por engano

Covid-19

em

Foto: DR

Um erro das autoridades sanitárias levou a que uma creche em Guimarães fechasse portas quando o mesmo não era necessário, anunciou a instituição que gere o espaço educativo.


Em comunicado, o Centro Social da Paróquia de Fermentões, que tinha encerrado na terça-feira depois de um alegado caso positivo numa das crianças que frequentam a instituição, dá conta de que tudo terá sido um erro da DGS e que, afinal, o espaço pode estar aberto.

Segundo aquele centro, existiu um “erro na transcrição do resultado” e “afinal a criança não estava infetada”. A mesma instituição refere que, face ao plano de contingência, todas as pessoas que estiveram em contacto com a criança foram imediatamente colocadas em isolamento, tanto adultos como crianças.

“Felizmente tivemos hoje a notícia que se tratou de um erro, mas não estamos livres de que isto possa acontecer no futuro”, avisa a instituição.

Face a este volte-face, a cresce reabriu esta quinta-feira “no horário habitual”, para voltar “a funcionar dentro da normalidade possível”.

Anúncio

Guimarães

Funcionários dos lares de Guimarães voltam a ser testados

Covid-19

em

Foto: CM Guimarães

Os funcionários e colaboradores dos lares de idosos do concelho de Guimarães estão a ser testados preventivamente na segunda fase do programa de testagem preventiva à covid-19, anunciou esta quinta-feira a autarquia.

O Centro Distrital da Segurança Social assegura a realização dos testes para todos as instituições com mais de 49 utentes e, em complemento, o Município de Guimarães assume a realização de testes aos funcionários nos restantes lares/instituições.

“A Câmara Municipal mantém uma posição de total disponibilidade para ajudar e complementar o apoio necessário com as entidades de saúde e da área social a fim de proteger a população considerada de maior risco ao contágio do vírus. Nesse sentido, estamos a fazer todos os esforços para continuar este trabalho de enorme cooperação que desenvolvemos ao longo dos últimos meses”, afirma, citado em comunicado, o presidente da Câmara, Domingos Bragança.

Recorde-se que Guimarães é um dos concelhos mais afetados pela pandemia, nas últimas semanas. Segundo o último boletim da DGS com dados por concelho, registava 139 novas infeções na última semana, o que representa um acumulado de 1556 casos.

Continuar a ler

Guimarães

Greve deixa Misericórdia de Guimarães em serviços mínimos

Trabalhadores exigem aumento de salários

em

Foto: Guimarães Digital / Grupo Santiago

Trabalhadores da Misericórdia de Guimarães estão esta quinta-feira em greve, assegurando apenas os serviços mínimos, para forçar a sua equiparação salarial aos colegas de outras instituições particulares de solidariedade social (IPSS), disse à agência Lusa uma fonte sindical.

A greve foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) porque, segundo a sua dirigente Ana Rodrigues, “as diferenças salariais das misericórdias face às outras IPSS são significativas e na Misericórdia de Guimarães a situação é particularmente grave”.

De acordo com a sindicalista, uma ajudante de lar ganha salário mínimo [635 euros], sem qualquer adicional. Noutras IPSS o salário base é de 646, acrescendo 102 euros de diuturnidades mais pagamento de trabalho noturno.

“Ora, se já achamos que essas IPSS pagam pouco e estamos a exigir aumentos de 35 euros, muito mais teremos de reclamar às misericórdias e particularmente à de Guimarães”, acrescentou a sindicalista.

Ana Rodrigues disse que a Misericórdia de Guimarães emprega 200 ajudantes de lar, 60 das quais se concentraram, na manhã de hoje, em protesto frente a instalações da instituição.

Quanto à adesão à greve, a dirigente assegurou que “foi total, já que ficaram apenas as que cumprem os serviços mínimos, que neste caso são significativos”.

Em comunicado entretanto emitido, o CESP afirma não poder aceitar que os salários das ajudantes de lar, com cinco, 10, 15, 20, 25 e mais anos de antiguidade nas instituições, seja o Salário Mínimo Nacional. Não aceitamos que não nos paguem as diuturnidades, nem valorizem a nossa especialização”.

Sublinhando que “desde há pelo menos quatro anos que os salários da generalidade dos trabalhadores não são aumentados”, o CESP pede que “haja a coragem para valorizar as carreiras profissionais de quem, num momento particularmente difícil, não abandona utentes, trabalha no limite das suas forças e capacidades, dando o melhor de si para cuidar dos que mais necessitam”.

A agência Lusa pediu um comentário da Mesa Administrativa da Misericórdia, que não foi fornecido em tempo útil, até cerca das 12:30.

Continuar a ler

Guimarães

Dois feridos graves após acidente numa fábrica em Guimarães

Acidente de trabalho

em

Foto: DR

Dois homens sofreram ferimentos graves na sequência de um acidente de trabalho numa fábrica de Guimarães, ao início da madrugada desta quinta-feira, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Ao que apuramos, os trabalhadores estavam a manusear soda cáustica dentro de uma empresa situada na Rua 25 de Abril, em Ronfe, quando, por motivos desconhecidos, foram atingidos pelo produto altamente tóxico.

Uma das vítimas, de 63 anos, teve de ser entubada face às queimaduras graves que sofreu nas vias respiratórias. A outra vítima, em estado menos gravoso, sofreu queimaduras num ombro e na face.

Para o local foram acionados os Bombeiros de Guimarães com duas ambulâncias, transportando os feridos para o Hospital Senhora da Oliveira.

A vítima que ficou em estado mais grave foi acompanhada pela equipa médica da VMER de Guimarães.

A GNR esteve na empresa para apurar o que terá provocado o acidente.

O alerta foi dado às 00:10.

Continuar a ler

Populares