Seguir o O MINHO

Famalicão

Ensino Profissional de Famalicão apresenta “ideias com futuro”

em

Foto: Divulgação

Já são conhecidos os 12 finalistas do concurso “O Meu Projeto é Empreendedor”, que todos os anos destaca as Provas de Aptidão Profissional mais inovadoras apresentadas pelos alunos do ensino profissional de Vila Nova de Famalicão.

Os projetos finalistas podem ser apreciados a partir desta terça-feira, 7 de novembro, numa mostra que decorre no Centro Cívico de Famalicão e que será visitada pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, esta quarta-feira, dia 8 de novembro, pelas 14:30.

O concurso, promovido pela Rede Famalicão Empreende, pretende fomentar o empreendedorismo nos jovens estudantes e valorizar o ensino profissional no concelho.

No total foram apresentados 21 projetos a concurso relativos ao ano letivo 2016/2017. Os doze finalistas correspondem a ideias desenvolvidas na CIOR, FORAVE, INA – Instituto Nun’Alvares, ALFACOOP, Agrupamento de Escolas D. Sancho I, Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado e Didáxis de Riba de Ave.

Os projetos vencedores serão conhecidos esta sexta-feira, dia 10, pelas 20:30, e os três primeiros classificados serão premiados com 1000, 500 e 250 euros. O grau de inovação, a exequibilidade e o impacto social e/ou económico da ideia são os critérios tidos em conta pelo júri da iniciativa.

Anúncio

Famalicão

Famalicão: Família perde tudo em incêndio. Junta de freguesia deixa apelo

Fradelos

em

Foto: DR / Arquivo

A Junta de Freguesia de Fradelos, no concelho de Famalicão, lançou, esta sexta-feira, um apelo de solidariedade para com uma família daquela freguesia, que terá perdido todos os pertences num incêndio que deflagrou esta tarde, na sua habitação.

O casal, com duas filhas, uma de 3 anos e outra de 13, necessita, de acordo com a autarquia, de uma casa, na mesma freguesia, com uma renda acessível, para poderem habitar durante os próximos tempos.

Necessitam também de vestuário, roupa de cama, mobílias e eletrodomésticos.

A autarquia informa que os objetos serão recolhidos, este sábado, entre as 14:00 e as 17:00, na sede da junta de Fradelos.

Continuar a ler

Famalicão

Advogado quer anular acórdão “sexista” que absolve juiz de Famalicão de violência doméstica

Advogado refere que o acórdão é nulo

em

Foto: O MINHO/Arquivo

O advogado de uma mulher que acusa o ex-companheiro, um juiz de Famalicão, de violência doméstica classificou hoje de “absolutamente sexista” o acórdão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) que o absolveu e já pediu a nulidade da decisão.

Para Pedro Mendes Ferreira, o acórdão do STJ, que absolve o juiz, é ainda “pouco dignificante para a mulher”.

Em reclamação para a conferência do STJ, Pedro Mendes Ferreira refere que o acórdão é nulo, por “manifesta oposição” entre a decisão e os respetivos fundamentos, e inconstitucional, por alegada violação dos direitos à proteção da saúde e à dignidade de pessoa humana, desenvolvimento da personalidade, bom nome e reputação.

Diz ainda que o acórdão viola a Convenção Europeia dos Direitos do Homem.

Por isso, quer que o acórdão do STJ seja anulado, mantendo-se a decisão da Relação de Guimarães, que condenou Vítor Vale a um ano e meio de prisão, com pena suspensa, pelo crime de violência doméstica.

O processo está relacionado com o teor das mensagens que o arguido enviou à ex-companheira, alegadamente inconformado pelo facto de esta ter posto termo à relação.

Em setembro de 2018, o Tribunal da Relação de Guimarães condenou Vítor Vale a um ano e meio de prisão, com pena suspensa, e ao pagamento de uma indemnização de 7.500 euros à ex-companheira.

A Relação considerou que o arguido, com as mensagens de telemóvel e e-mail, revelou “desprezo e desconsideração” pela ex-companheira, com “provocações de cariz sexual, insultos e ameaças veladas”.

O tribunal deu ainda como provado que o juiz sabia que a ex-companheira estava “particularmente vulnerável” pela morte do pai e que as mensagens lhe provocaram “insegurança, intranquilidade e medo”.

Considerou também que os factos “merecem um juízo de censura acrescido pelo facto de o arguido ser juiz”.

Vítor Vale recorreu para o STJ, acabando por ser absolvido, por acórdão de 30 de outubro.

O STJ considerou que a relação entre o arguido e a assistente era pautada por troca de e-mails, remetidos por um e por outro, similares aos e-mails do arguido objeto dos presentes autos.

“O tipo de linguagem era recíproco”, frisa o acórdão do STJ.

O STJ sublinha ainda que das mensagens enviadas pelo juiz arguido não resultam “lesões” que integrem a figura jurídica de maus tratos, que é essencial no crime de violência doméstica.

“O conceito de maus tratos, essencial ao crime de violência doméstica, tem na sua base lesões graves, intoleráveis, brutais, pesadas”, refere.

Estes argumentos são refutados por Pedro Mendes Ferreira, que defende que as mensagens enviadas pela ex-companheira a Vítor Vale não têm “absolutamente nada a ver” com as que estão em causa neste processo.

Continuar a ler

Ave

Homem disparou sobre montra de loja desativada em Famalicão e abandonou o local

Na vila de Joane

em

Um homem alvejou hoje a montra de uma loja em Joane, Vila Nova de Famalicão, que está fechada há alguns meses, disse à Lusa fonte policial.

Segundo a fonte, terão sido efetuados “pelo menos” dois disparos.

A ocorrência foi registada ao início da tarde, não tendo provocado quaisquer feridos.

O homem efetuou os disparos e abandonou o local num automóvel.

São ainda desconhecidas as motivações.

A GNR tomou conta da ocorrência, tendo entretanto a investigação transitado para a alçada da Polícia Judiciária.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares