Seguir o O MINHO

País

Enfermeiros querem pedido de desculpas de PM e ministra sobre ‘crowdfunding’

Polémica da ASAE

em

Foto: DR

A bastonária dos Enfermeiros disse esta sexta-feira que “ficava bem” ao primeiro-ministro e à ministra da Saúde pedirem desculpa aos enfermeiros e a si pelas insinuações de que teria desviado verbas da ordem para o crowdfunding da greve cirúrgica.

Ana Rita Cavaco reagia desta forma ao resultado da ação da inspeção da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) a quatro plataformas eletrónicas de financiamento colaborativo (PPL, Novobancocrowdfunding, Boaboa e Crowdfunding) que estavam ativas no início do ano, entre as quais a que promoveu a campanha de recolha de fundos promovida pelos enfermeiros.

Na sequência da inspeção, a ASAE não encontrou ilícitos na campanha promovidas pelos enfermeiros, através da PPL para financiar duas greves nos blocos operatórios, que decorreram entre 22 de novembro e 31 de dezembro de 2018 e em fevereiro deste ano. No total, os enfermeiros angariaram mais de 720 mil euros.

A primeira reação de Ana Rita Cavaco foi publicada na sua página de Facebook, na qual afirma que durante meses foi acusada de desviar dinheiro da OE [Ordem dos Enfermeiros] para o crowdfunding da greve cirúrgica”.

“A intervenção da ASAE, a todas as estruturas do género a funcionar em Portugal, coincidiu com as suspeitas do Governo sobre a origem dos donativos, num total de 780 mil euros, para apoiar os enfermeiros ausentes dos blocos operatórios. À data, chegou a ser levantada a hipótese de grande parte do fundo solidário ter sido transferida pela própria Ordem dos Enfermeiros, já que a bastonária, Ana Rita Cavaco, disse publicamente ter contribuído para a greve a título pessoal”, afirma no Facebook.

Em declarações à agência Lusa, a bastonária afirmou que os enfermeiros estão “felizes” porque a conclusão da investigação revela aquilo que disseram sempre, mas também estão “muito revoltados” porque isso serviu para o primeiro-ministro “atacar violentamente os enfermeiros e a Ordem dos Enfermeiros com insinuações de que a sua bastonária teria desviado dinheiro da ordem para o crowdfunding da greve cirúrgica”.

“A ASAE, que é uma instituição independente do Governo e da ministra da Saúde, vem agora dizer que isso não aconteceu preto no branco”, disse Ana Rita Cavaco.

Portanto, frisou, “eu acho que ficava bem, não só ao senhor primeiro-ministro, mas também à ministra da Saúde fazerem um pedido desculpa aos enfermeiros e nomeadamente a mim que durante meses fui acusada de ter desviado dinheiro da ordem para o crowdfunding e inclusive isso ter servido para o início de uma sindicância com todos os contornos que se seguiram”.

A bastonária da OE defendeu ainda que “os políticos e quem faz política” têm de o fazer de “uma forma séria e de uma forma verdadeira”.

“Temos que nos deixar no país de, cada vez que não gostamos de alguém ou de uma instituição ou da pessoa que a representa e daquilo que essa pessoa diz em nome da sua classe, de um grupo profissional ou de um grupo da sociedade, lançar a mão destes expedientes persecutórios e destas mentiras porque comprova-se hoje que o senhor primeiro-ministro quando disse que havia essa suspeita está a governar o país com o recurso à boataria e isso não pode acontecer naquilo que é um dirigentes máximo de um Governo”, sublinhou Ana Rita Cavaco.

A ASAE adiantou que, nas plataformas fiscalizadas, foram selecionadas e examinadas oito campanhas “de maior relevo” em termos de “montantes angariados (ou a angariar) e de número de campanhas propostas por beneficiário em cada uma das plataformas”.

A inspeção efetuada levou à abertura de um processo de contraordenação relativo a uma campanha de apoio a uma organização de âmbito formativo e digital.

“Não foram detetados indícios da prática de quaisquer outros ilícitos contraordenacionais ou criminais nas restantes sete campanhas inspecionadas”, acrescenta a ASAE.

Anúncio

País

Boris Johnson apontado como vencedor das eleições no Reino Unido com maioria absoluta

Projeções

em

Foto: Twitter

O partido Conservador venceu as eleições legislativas no Reino Unido com uma maioria absoluta de 368, segundo uma sondagem comum divulgada hoje pelas três estações televisivas britânicas BBC, ITV e Sky.

A sondagem à boca das urnas indicou que o partido Conservador terá 368 deputados, o partido Trabalhista 191, o Partido Nacionalista Escocês 55, os Liberais Democratas 13 e o Plaid Cymru (nacionalistas galeses) três e os Verdes um assento.

Para obter uma maioria absoluta, um partido precisa de vencer em 326 das 650 circunscrições eleitorais, mas, na prática, são precisos menos deputados porque o presidente da Câmara dos Comuns não vota e os deputados do Sinn Fein têm uma longa tradição de não assumirem funções.

Os primeiros resultados foram anunciados pelas 23:00, mas será a partir das 02:00 de sexta-feira que começarão a sair em maior número.

Cerca de 46 milhões de britânicos votaram hoje nas eleições legislativas antecipadas no Reino Unido, as terceiras em menos de cinco anos, convocadas pelo governo para tentar desbloquear o impasse criado no parlamento pelo processo de saída do país da União Europeia (UE).

A votos estiveram os 650 assentos na Câmara dos Comuns, a câmara baixa do parlamento britânico, aos quais concorreram 3.322 candidatos, dos quais 1.124 mulheres, tendo os partidos Conservador (635), Trabalhista (631), Liberal Democrata (611), Verde (498) e Partido do Brexit (275) concorrido no maior número de circunscrições a nível nacional.

Continuar a ler

País

The National juntam-se ao cartaz do Rock in Rio Lisboa 2020

A 21 de junho, com Foo Fighters

em

Foto: Divulgação

Os norte-americanos The National, que atuam hoje em Lisboa, regressam a Portugal em junho para um concerto no Rock in Rio Lisboa, foi hoje anunciado.

De acordo com a organização do festival, num comunicado hoje divulgado, os The National “regressam à capital em 2020 para dar música à Cidade do Rock, na noite de 21 de junho”, a mesma em que atuam os Foo Fighters.

Para a banda, que já atuou várias vezes em Portugal ao longo dos 20 anos de carreira, esta será uma estreia no Rock in Rio Lisboa.

“Depois de um 2019 em pleno, com lançamento de álbum (‘I Am Easy to Find’) e de uma curta-metragem, 2020 promete ser ainda melhor trazendo Matt Berninger, Aaron Dessner, Bryan Dessner, Scott Devendorf e Bryan Devendorf de volta a Portugal”, lê-se no comunicado

O Rock in Rio Lisboa 2020 decorre nos dias 20, 21, 27 e 28 de junho, novamente no Parque da Bela Vista.

Além dos The National e dos Foo Figherts, tinha já sido garantida a presença no Rock in Rio Lisboa 2020 de Camila Cabello e dos Black Eyed Peas, em 20 de junho.

Continuar a ler

País

Os momentos mais comentados no Facebook pelos portugueses em 2019

‘Year in Review’

em

Foto: Imagens SIC

O Facebook divulgou hoje uma retrospetiva do ano de 2019 em Portugal, com os momentos mais comentados naquela rede social, onde se incluem, entre outros, os incêndios na Amazónia e as eleições legislativas de outubro.

De acordo com o Facebook ‘Year in Review’, o assunto mais discutido em Portugal no mês de janeiro foi a estreia do programa de Cristina Ferreira na SIC, seguindo-se a cerimónia de entrega dos Óscares em fevereiro e o ‘hat-trick’ (três golos marcados pelo mesmo jogador no mesmo jogo) de Cristiano Ronaldo contra o Atlético de Madrid em março.

Em relação ao segundo trimestre do ano, o incêndio na Catedral de Notre-Dame em Paris foi o assunto mais comentado pelos utilizadores do Facebook em abril, o Benfica campeão da Liga Portuguesa de Futebol em maio, e a Seleção Nacional de Futebol a vencer a Liga das Nações da UEFA em junho.

Em julho, o assunto que dominou a atividade dos portugueses na rede social criada por Mark Zuckerberg foi o falecimento do músico brasileiro João Gilberto.

Já os incêndios na Amazónia dominaram a discussão em agosto, enquanto que a morte do cantor luso-brasileiro Roberto Leal foi o assunto mais comentado no mês de setembro.

Outubro ficou marcado pelas eleições legislativas que deram a vitória sem maioria absoluta ao Partido Socialista (PS) e, por último, em novembro, o treinador de futebol português Jorge Jesus a vencer a Taça Libertadores, pelo clube brasileiro Flamengo, foi o assunto que marcou as interações dos portugueses no Facebook.

Continuar a ler

Populares