Redes Sociais

Guimarães

Enfermeiros alertam para risco de degradação do serviço no Hospital de Guimarães

 a

Foto: DR

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses alertou esta quarta-feira que a qualidade do serviço prestado no Hospital de Guimarães “está ainda mais em causa” caso não sejam contratados novos profissionais quando passarem a ser aplicadas as 35 horas de trabalho semanal.

Em declarações aos jornalistas, a propósito de dois dias de greve de enfermeiros naquela unidade de saúde, a representante do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), Guadalupe Simões, explicou que o Hospital de Guimarães já tem uma “falta de enfermeiros estrutural” e que a partir de 01 de julho, data em que começa a ser aplicada a jornada de 35 horas a todos os enfermeiros, haverá um “agravamento” da situação.

“Pode estar ainda mais em causa a qualidade dos cuidados prestados. Eles já estão [postos em causa], nomeadamente nos serviços onde estão a reduzir o número de enfermeiros por turnos e nos serviços onde se fazem turnos de 12 horas seguidas”, afirmou a sindicalista.

Segundo o SEP, no caso do Hospital de Guimarães é necessário contratar mais 60 enfermeiros “para o normal funcionamento dos serviços”, não havendo indicações que tais contratações irão acontecer.

“A partir de dia 01 de julho ou há por parte do Governo autorização para contratar os enfermeiros para colmatar as cerca de quatro mil horas de cuidados que vão ser perdidos neste hospital ou, então, vão ter de encerrar ou diminuir a capacidade assistencial do hospital, reduzir o número de camas e mesmo o encerramento de serviços”, avisou.

A sindicalista explicou que não se pode “continuar a permitir que os enfermeiros sejam sistematicamente explorados”, apontando o dedo ao Governo.

“A responsabilidade da degradação do Serviço Nacional de Saúde, que estas greves têm objetivo defender, tem rostos, os do ministro da Saúde e do ministro das Finanças e, naturalmente, o partido que apoia o Governo”, afirmou.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Guimarães

Roubada máquina de tabaco “em poucos minutos” e apesar das “grades” em pastelaria de Guimarães

Assalto acontece na semana seguinte a ocorrências idênticas em Braga e Famalicão.

Publicado

 a

Foto: DR / "Guimarães Digital"

Uma máquina de tabaco foi furtada de uma pastelaria em Creixomil, Guimarães, em poucos minutos, esta segunda-feira de madrugada, por volta das 06:00 da manhã.

Segundo avança o “Guimarães Digital”, jornal digital do Grupo Santiago, os criminosos utilizaram um automóvel para arrombar as grades de segurança, colocadas após aquele estabelecimento comercial ter sofrido já três assaltos, partiram as portas de vidro e levaram a máquina de tabaco, apesar de se encontrarem outros objetos de valor no interior.

O proprietário, “chocado”, não precisou o montante dos prejuízos. “Isto está tudo estragado, está um caos”, lamentou, citado por aquela publicação online.

Este assalto acontece menos de uma semana depois de um gangue ter furtado outras duas máquinas de tabaco em Braga e Famalicão, também com recurso a automóveis para proceder ao arrombamento dos estabelecimentos.

Gangue deixa rasto de destruição em Famalicão e Braga

O caso desta madrugada, na Pastelaria Sonata, na Rua do Alto da Bandeira, terá envolvido uma viatura “de cor grená”.

A PSP de Guimarães já está a investigar a situação.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Guimarães

Protocolo alarga oferta de alojamento para estudantes da UMinho em Guimarães

O acordo vigorará por nove meses, com perspetiva de renovação no próximo ano letivo.

Publicado

 a

Foto: Divulgação

Os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) e o Centro Juvenil de São José (CJSJ) assinam na próxuma terça-feira, pelas 11:30, no Hostel Oficinas de São José, em Guimarães, um protocolo de prestação de serviços de hospedagem pelo CJSJ aos SASUM destinado aos estudantes deslocados da UMinho.

Com este acordo, os SASUM conseguem disponibilizar aos seus estudantes mais 22 camas no Hostel Oficinas de São José.

O protocolo vigorará por nove meses, com perspetiva de renovação no próximo ano letivo. A cerimónia de formalização do acordo contará com a presença do Reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, o Administrador dos SASUM, António Paisana, o Presidente da Direção do CJSJ, Fernando Xavier, e o presidente da Associação Académica (AAUM), Nuno Reis.

O crescente número de estudantes que frequentam a UMinho, o aumento do número de estudantes de mobilidade e de estudantes internacionais que solicitam o alojamento nas Residências Universitárias dos SASUM ultrapassa largamente a capacidade do número de camas disponíveis. Assim, e de forma a não colocar em causa a missão que lhe compete, os SASUM encontraram junto do CJSJ uma solução que contribuirá para amenizar as necessidades dos estudantes.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães: Detido por distúrbios tinha 31 doses de cocaína no bolso

Distúrbios ocorreram no interior de um estabelecimento comercial na rua de São Gonçalo.

Publicado

 a

Foto: DR

Um homem de 26 anos foi detido esta terça-feira, na cidade de Guimarães, na posse de cocaína suficiente para 31 doses.

Segundo nota da PSP, o suspeito estava a provocar distúrbios no interior de um estabelecimento comercial, na rua de São Gonçalo, situação para a qual ali foi chamada, por telefone.

A PSP “de imediato se deslocou para o local, tendo esta Polícia transportado o suspeito ao Departamento Policial. Posteriormente, foi-lhe efetuada uma revista, tendo-lhe sido encontrado cocaína suficiente para 31 doses, que lhe foram apreendidas”, conta.

O detido foi notificado para comparecer junto do Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares