Enfermeiro David Lourenço é o novo presidente dos Bombeiros Voluntários de Viana

Para o próximo triénio
Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

David Lourenço é o novo presidente da direção da Associação Humanitária (AH) dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo (BVVC), após vencer as eleições realizadas no sábado e onde a sua lista foi a única a sufrágio.

Os números da votação não foram anunciados, mas O MINHO sabe que terá sido perto de meia centena o número de associados a exercer o voto. David Lourenço sucede a José Salgado na condução dos destinos da instituição, que celebra este ano os seus 140 anos de existência.

As eleições deveriam ter ocorrido em dezembro de 2020, mas acabaram adiadas para este sábado. A O MINHO, o novo presidente explica que este adiamento deveu-se às “vicissitudes da pandemia e demais restrições governamentais”.

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO
Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO
Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO
Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Na tomada de posse, que decorreu no salão nobre da associação, o novo presidente afirmou-se orgulhoso por “servir a instituição” e apelou à união: “O apoio de todos é fundamental para superar os desafios que se avizinham”.

David Lourenço enalteceu o “árduo trabalho” desenvolvido pelos bombeiros, “sustentado nos valores de solidariedade, voluntariado e dedicação ao lema Vida por Vida”.

Licenciado em enfermagem com pós-graduação em Gestão e Administração Hospitalar, desempenha funções de chefia no bloco operatório de ambulatório da Unidade Local de Saúde do Alto Minho. É ainda especializado em gestão de Recursos Humanos.

A O MINHO, David Lourenço estabeleceu como objetivos para este mandato de três anos “a necessidade urgente da renovação da frota, criação de melhores condições de habitabilidade do quartel e restruturação económico-financeira da associação”.

Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO
Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO
David Lourenço. Foto: Joca Fotógrafos / O MINHO

Reforça ainda a necessidade de estabelecer o quadro de comando, admitindo que será um “processo difícil no qual é preciso caminhar convictamente”, numa clara menção à saída do comandante Cândido Carvalho, que bateu com a porta em plena primeira fase da pandemia (abril de 2020).

O comandante apresentou a demissão do cargo que ocupava há 25 anos por “nunca ter sido tão maltratado”, visando a anterior direção.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo foi fundada em 1881 e é uma das mais antigas corporações do país. Conta atualmente com um corpo ativo composto por cerca de uma centena de bombeiros.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Sporting vence Taça da Liga de futsal

Próximo Artigo

Os sarcófagos romanos de Braga que ninguém conhece vão ser musealizados para visitas

Artigos Relacionados
x