Seguir o O MINHO

Cávado

Encontrado morto homem desaparecido no mar em Esposende

Na Praia da Carruagem

em

Foto: Divulgação (Arquivo)

O homem desaparecido hoje no mar na praia da Carruagem, em Esposende, foi encontrado morto no decorrer das buscas que se seguiram, disse à Lusa o Comandante da capitania do porto de Viana do Castelo, Sameiro Matias.


O acidente, segundo a fonte, ocorreu cerca das 18:00, quando o “homem de cerca de 58 anos, ao tentar prestar assistência às filhas que estavam na água, em dificuldades, acabou por se afogar”.

Seguiram-se as buscas e, “após ter sido avistado e recolhido, foram prestados os primeiros socorros, mas sem sucesso”, acrescentou Sameiro Matias, confirmando que as “filhas se salvaram”.

Empresário náutico morreu afogado a tentar salvar filha e amiga em Esposende

Nas buscas estiveram os Bombeiros de Esposende, a Polícia Marítima, a Cruz Vermelha de Marinhas e a GNR, decorrendo com o auxílio de uma embarcação semirrígida e uma moto de água numa zona de “muita rocha e pedra”.

“Não se trata de uma zona balnear comum, mas de uma zona com muita pedra e rocha”, sublinhou o responsável da capitania.

Anúncio

Barcelos

Reabertura gradual das unidades de saúde de Barcelos e Esposende quase concluída

ACES Cávado III

em

Foto: CM Esposende

Já quase todas as unidades de saúde de Barcelos e Esposende reabriram, num processo gradual que, como O MINHO noticiou, iniciou-se no passado dia 29 de junho com a USF Calécia, em Macieira de Rates, e as consultas de dentista na USF S. Brás, em Barcelos, ambas no concelho de Barcelos.

Entretanto, nos últimos dias, já foram reabertas as de Fragoso, Carapeços, Vila Cova e Lijó, no concelho de Barcelos, e a de Fão, em Esposende.

Por reabrir, permanecem as unidades de Sequeade e Lama, no concelho de Barcelos, as quais estão dependentes de obras nos respetivos edifícios, prevendo-se que estejam concluídas dentro de duas semanas.

Unidades de saúde em Barcelos e Esposende já começaram a abrir

Os polos de Belinho (USF Farol), de Forjães (USF Esposende Norte) e de Apúlia (UCSP Apúlia / Fão) encontram-se “em análise”, podendo a sua reabertura ser determinada a qualquer momento.

Em declarações a O MINHO, o diretor do ACES Cávado III Barcelos / Esposende faz um balanço muito positivo da reabertura dos serviços.

“Está tudo a funcionar e toda a gente está a cumprir as regras sanitárias e as indicações para marcarem consulta antes de comparecerem nas unidades de saúde”, vinca Fernando Ferreira.

Recorde-se que o ACES Cávado III tem sensibilizado os utentes para não aparecerem nos centros de saúde sem agendamento prévio de consulta.

Mensagem enviada a utentes do ACES Cávado III

Através da ARS – Norte chegou mesmo a ser enviada SMS a todos os utentes, divulgando os contatos – telefone e e-mail – através dos quais o utente pode agendar a sua consulta.

O objetivo desta medida, salienta Fernando Ferreira, é que as pessoas estejam o mínimo de tempo possível em espera nas unidades de saúde e, assim, reduzir o risco de contágio.

Depois de um período em que os serviços tiveram que ser reorganizados por causa da pandemia, as unidades de saúde do ACES Cávado III voltaram a reabrir, de forma gradual, conforme foram criadas condições de segurança para os profissionais e utentes.

Continuar a ler

Barcelos

Descarga de ETAR gera polémica. Águas de Barcelos diz que impacto ambiental é “o menor possível”

Rio Cávado

em

Foto: DR

Um vídeo colocado a circular nas redes socais da descarga de efluentes de uma ETAR, em Vila Frescainha S. Pedro, em Barcelos, para o Rio Cávado, está a gerar polémica.

O vídeo, já muito partilhado no Facebook, mostra as águas residuais tratadas a saírem de uma conduta e a ‘pintar’ o rio Cávado de uma cor esbranquiçada.

Questionada por O MINHO, a Águas de Barcelos (AdB), que detém a concessão de água e saneamento no concelho de Barcelos e responsável pela gestão da ETAR, assume que, “infelizmente, o impacto visual da descarga é real, mas o importante é que o impacto ambiental seja o menor possível”.

Vídeo partilhado por Eduardo Araújo no grupo Barca- Associação Amigos do Cávado

“A ETAR tem funcionado normalmente como sempre funcionou. O impacto visual da descarga desde sempre que é significativo, uma vez que por dia são descarregados 20.000m3 de efluente no Rio Cávado. Ou seja por hora são descarregados 830.000 litros de efluente tratado”, explica a AdB na resposta enviada ao nosso jornal.

“Infelizmente, o impacto visual da descarga é real, mas o importante é que o impacto ambiental seja o menor possível. E a AdB tudo faz para que o desempenho desta ETAR seja o melhor possível. A ETAR de Barcelos tem uma forte componente industrial, fruto de uma sociedade de consumo e não podemos negar o impacto que as sociedades modernas têm”, salienta a empresa.

A AdB adianta, ainda, que “na sequência do horizonte de projeto da ETAR estar a ser atingido, a AdB iniciou o Projeto de Remodelação da ETAR de Barcelos que já se encontra na Fase 2 – estudo das alternativas de tratamento”.

“É muito importante que, de facto, a população em geral se envolva neste tipo de projetos, porque as decisões de hoje terão impacto durante 30 anos. Uma ETAR com um tratamento mais avançado tem custos superiores, mas se consideramos que os custos cobrirão os benefícios ambientais de uma decisão deste tipo, será fácil a todos e aos decisores escolherem”, conclui a AdB.

Segundo informação constante da página da AdB, a ETAR de Barcelos tem uma capacidade instalada de 133.250 habitantes-equivalente e trata 92% do volume total de águas residuais recolhidas no Sistema Público, de origem doméstica e industrial, sendo esta última de um conjunto de tinturarias que, após pré-tratamento, enviam o efluente industrial para a rede pública de drenagem de águas residuais.

Continuar a ler

Cávado

Detido em Esposende por tráfico de droga tinha plantação de canábis no quintal

Crime

em

Foto: GNR

O Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR de Barcelos deteve, na segunda-feira, um homem de 27 anos, por tráfico de droga, em Esposende.

Em comunicado, o Comando Territorial de Braga explica que a detenção resulta de uma investigação iniciada em fevereiro de 2019, na qual foi possível apurar que o suspeito cultivava canábis no seu quintal, e comercializava localmente.

Dando cumprimento a mandado de busca domiciliária na freguesia de Fão, Esposende, a GNR apreendeu 11 pés de plantas de cannabis sativa, 43 doses de canábis (folhas ou sumidades secas), quatro doses de haxixe, 8 doses de MDMA, três doses de cocaína e um telemóvel.

O detido tem antecedentes criminais pelo mesmo tipo de crime.

Foi constituído arguido e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Braga.

Continuar a ler

Populares