Seguir o O MINHO

Ave

Empresa de tecidos técnicos investe 4 milhões em Famalicão e cria 15 novos postos de trabalho

em

Uma empresa que se dedica ao fabrico de tecidos técnicos vai investir quatro milhões de euros na unidade de Famalicão, indicou hoje fonte ligada ao investimento que se traduzirá na criação de 15 postos de trabalho.


Em comunicado a Olbo & Mehler indica que a verba será investida no decorrer dos próximos 12 meses e destina-se a melhorar as áreas de produção e de logística da empresa.

A empresa aponta que “serão criados cinco postos de trabalho por turno, sendo que existem três turnos”, ou seja, refere a mesma fonte, “estaremos a falar de 15 postos de trabalho no total”.

Na nota o gestor que lidera os destinos da empresa localizada em Vila Nova de Famalicão refere que “este investimento vai permitir desenvolver a unidade industrial, através da incorporação de novas atividades de valor acrescentado“.

Em causa está a “melhoria dos ‘standards’ da empresa nalgumas áreas com a melhor tecnologia existente no mercado, potenciando ainda mais a capacidade de inovação e otimização dos fluxos logísticos”, refere o gestor Alberto Tavares.

“Concretamente, na área de produção será instalado um novo processo produtivo atualmente subcontratado a unidades do centro da Europa e será implementada uma nova unidade na secção de tratamento de tecidos que irá aumentar ainda mais os níveis de qualidade e acelerar, de forma significativa, o desenvolvimento de produtos novos. No âmbito logístico, será construído um novo centro dedicado à distribuição de produtos terminados”, continua a descrever a empresa.

A Olbo & Mehler garante que paralelamente “continua focada na melhoria contínua dos seus processos, refletida num ganho de produtividade global da unidade de produção à data na ordem dos 11% e com expectativas de atingir no princípio de 2017 os 17%”.

Esta empresa fabrica têxteis técnicos utilizados na indústria farmacêutica, automóvel, petrolífera e construção.

As vendas anuais rondam os 60 milhões de euros, sendo um dos seus produtos bandeira um tecido construído à base de basalto resistente a altas temperaturas (700º centígrados).

A Olbo & Mehler, que nasceu na Alemanha na década de 1930, onde ainda coordena toda a atividade comercial e de marketing, está em Portugal desde 1996, quando investiu na fábrica portuguesa Segures.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Famalicão. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Guimarães

Montanha da Penha, em Guimarães, já tem um mapa turístico

Turismo

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Uma parceria entre a Irmandade da Penha, a Turipenha e a Câmara de Guimarães resultou no mapa turístico da Montanha de Penha, de valorização dos seus recursos naturais e de aproximação à cidade e ao turismo.

Em comunicado, a autarquia minhota descreve que o mapa turístico sobre a Montanha da Penha está disponível em quatro línguas (português, espanhol, francês e inglês), reafirmando Guimarães como destino de excelência para a prática de Turismo de Natureza.

Neste documento, prossegue a nota de imprensa, “estão descritas informações de relevo alusivas ao Pio IX, à Gruta da Senhora de Lourdes, à Capela de Santa Catarina, ao Teleférico, ao Parque de Campismo e ainda um programa de atividades possíveis de realizar, com os contactos úteis”.

“A Montanha da Penha, com uma área de 1.140 hectares é definida como um local de extrema relevância para os habitantes locais e para os visitantes, quer pelo impacto visual que tem sobre a cidade, quer em termos paisagísticos, mas também pelas mais variadíssimas vertentes tais como religiosa, cultural, desportiva, turismo e lazer”, refere ainda o comunicado.

Acrescenta a comunicação que “Guimarães tem definido uma estratégia clara no âmbito da promoção de Turismo de Natureza, onde a Montanha da Penha emerge como um dos principais ecossistemas do concelho, com a candidatura em curso para área Protegida de Âmbito Local”.

Continuar a ler

Ave

Trabalhadores atacados por vespas asiáticas em Famalicão

No Parque de Campismo de Gondifelos

em

Foto: Ilustrativa / DR

Um trabalhador de silvicultura teve de receber tratamento hospitalar na sequência de um ataque de vespas asiáticas, durante a manhã desta terça-feira, em Gondifelos, concelho de Famalicão.

O MINHO confirmou a ocorrência junto de fonte dos bombeiros e do presidente da União de Freguesias de Gondifelos, Cavalões e Outiz.

De acordo com Manuel Novais, o homem estava a fazer limpeza de vegetação na concessão do Parque de Campismo de Gondifelos da responsabilidade do Corpo Nacional de Escutas, quando o acidente terá ocorrido.

“Foi uma situação simples, os trabalhadores devem ter mexido com o ninho sem se aperceberem e foram atacados”, confirmou o autarca. Um dos trabalhadores acabou por ser picado, necessitando de receber tratamento.

Para o local foi acionada a equipa médica da VMER de Famalicão que fez a avaliação do trabalhador, considerando que os ferimentos são “ligeiros”.

A vítima foi transportada para o Hospital de Famalicão por uma ambulância dos Bombeiros Famalicenses.

O alerta foi dado às 10:43.

Esta noite, os serviços municipais vão proceder à eliminação do vespeiro.

Continuar a ler

Ave

Detido por violar as filhas e bater na mulher em Famalicão

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem por suspeitas de abusar sexualmente das filhas, de 13 e 21 anos, e de agredir e maltratar a mulher em Famalicão, anunciou hoje esta força policial.

Em comunicado, a PJ referiu que o suspeito, detido fora de flagrante delito, está indiciado pelos crimes de abuso sexual de crianças, abuso sexual de menores dependentes, violação e violência doméstica.

As vítimas, mulher, de 39 anos, e filhas, e o agressor residiam todos juntos na habitação.

Segundo a PJ, os abusos sexuais com a filha mais velha, de 21 anos, começaram quando esta tinha 13 e continuaram com “regularidade” até hoje, ocorrendo na casa e noutros locais.

Já com a filha mais nova, de 13 anos, os abusos sexuais principiaram em meados do passado mês de junho, no interior da habitação.

“Para a prática dos seus atos, o detido impôs no seio familiar um clima de medo e insegurança constantes, que passavam por infligir maus tratos físicos e psíquicos às vítimas, e pelo permanente controlo das suas movimentações e vivência em sociedade”, vincou a força policial.

Estes crimes chegaram na segunda-feira à tarde ao conhecimento da PJ que, posteriormente, iniciou as diligências, das quais resultou a “recolha de inúmeros indícios da prática dos crimes”, frisou.

O detido, de 44 anos, vai agora ser presente a um juiz de instrução criminal no Tribunal de Vila Nova de Famalicão.

Continuar a ler

Populares