Seguir o O MINHO

Ave

Empresa de produtos químicos investe 20 milhões em novas instalações em Famalicão

Grupo RNM fatura 185 milhões e emprega 358 pessoas

em

Foto: Divulgação

O Grupo RNM, líder de mercado na distribuição de produtos químicos em Portugal e um dos principais agentes do mercado espanhol, investiu 20 milhões em novas instalações na freguesia de Landim, em Famalicão.

Nascida em Famalicão, a empresa fatura 185 milhões de euros e emprega 358 pessoas. A nova unidade industrial é agora o ponto principal de operações onde é suportada toda a sua atividade e infraestrutura industrial, comercial e logística, espalhadas por Portugal e Espanha.

Em comunicado, a autarquia refere que as novas instalações mereceram a classificação de Investimento de Interesse Municipal, decretado pela Câmara Municipal no âmbito do Regulamento Made 2IN, e foram visitadas na última semana pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e pelo vereador da Economia, Empreendedorismo e Inovação, Augusto Lima.

Com este investimento, o Grupo RNM, que tem capital 100 por cento português, aposta na modernização de equipamentos e processos para garantir políticas de sustentabilidade para a segurança, qualidade e ambiente, refere o comunicado.

Foto: Divulgação

“O que vi nestas instalações foi o futuro. É gratificante perceber que os nossos empresários investem no presente olhando muito para a frente. A administração e os quadros humanos da empresa estão de parabéns”, referiu Paulo Cunha, citado no comunicado, após a visita às instalações.

O Grupo, que tem a terceira maior empresa de Famalicão em volume de negócios, dedica-se a soluções integradas ao nível da produção, distribuição, logística e transporte de produtos químicos, movimentando cerca de 400.000 toneladas de produtos químicos por ano por via rodoviária, ferroviária e marítima.

“Todas as infraestruturas e recursos estão focados nas melhores práticas. Este investimento terá repercussões em termos de impacto ambiental e da economia de escala dos nossos produtos e serviços. A agregação de todos os processos numa só unidade permitir-nos manter uma oferta competitiva e mais sustentável a longo prazo”, afirma Ricardo Machado, CEO do grupo.

Populares