Seguir o O MINHO

Alto Minho

Empresa de Cerveira é exemplo a nível nacional pelo aumento de exportações

Empresa de desenvolvimento de airbags e volantes

em

A empresa multinacional Dalphi Metal Portugal, sediada em Vila Nova de Cerveira, venceu o prémio Exportações na segunda edição dos Prémios Expresso Economia CGD, ficando entre o lote restrito das doze empresas que mais se destacaram ao longo do último triénio.

Com capital alemão do grupo ZF, produz componentes e acessórios para automóveis, como airbags e volantes de condutor, exportando grande parte da produção.

Entre 2015 e 2018, o volume de negócios de 115 milhões para 169 milhões de euros, com as vendas no exterior a subirem de 14,3 milhões para os 169 milhões, sendo, segundo dados da consultora Deloitte, uma das principais exportadoras do país.

Explica o jornal Expresso que, nos últimos três anos, o número de empresas que conseguiram crescer em volume de negócios, crescer em valor absoluto de exportações e mantiveram um mínimo de 50 empregados, eram 131.

A Dalphi foi a que mais se destacou por “melhor incorporar o perfil exportador na sua estratégia de crescimento”.

Bosch Braga é das que mais cresce, em volume de negócios, no país

A Bosch Car Multimédia Portugal, com sede em Braga, venceu na categoria principal de Crescimento, por entre as empresas que faturam mais de 100 milhões ao ano.

De igual modo com investimento alemão, a empresa de investigação subiu o volume de negócios de 515,6 milhões em 2015, para 1130,8 milhões em 2018, sendo das que mais cresceu em Portugal, segundo a consultora.

Os prémios Crescimento distinguem as empresas que apresentam o maior crescimento sustentado do seu negócio, através de vendas e prestações de serviços, durante os últimos três anos.

A vimaranense/londrina Farfetch também foi premiada, com a “Conquista Empresarial do Ano”.

Norauto Portugal, M. Cunha & Companhia e Têxteis J.F. Almeida

Outras três empresas minhotas foram distinguidas com prémios importantes, neste evento que decorreu na Culturgest, em Lisboa, e “serve para homenagear quem mais contribui para o crescimento do país”.

A Norauto Portugal (Braga, Guimarães e Viana do Castelo), a Têxteis J.F. Almeida (Moreira de Cónegos, Guimarães) e a M. Cunha & Companhia (Feitosa, Viana do Castelo), foram distinguidas, entre outras 11 empresas, com o prémio Longevidade, por aumentaram consecutivamente o seu volume de negócios nos últimos dez anos.

Antigos gestores do Hospital de Braga distinguidos

Vasco de Mello, o presidente do grupo José de Mello, foi o grande vencedor do prémio Empresário do Ano. A Socitrel (Trofa) e a MyCar Center (Paredes), venceram, em categorias com números inferiores, o mesmo prémio atribuído à Bosch Braga (Crescimento).

Nas exportações, para além da empresa de Cerveira, a Socitrel (Trofa) foi premiada, assim como a AJ. Pinto Leitão (Porto).

A empresa Modelo Continente Hipermercados foi distinguida com o prémio Emprego, com crescimento sustentado do volume de negócios e maior crescimento do emprego nos últimos três anos.

Entre 2015 e 2018, este retalhista sediado em Matosinhos viu o seu volume de negócios expandir de 3.406 milhões para 3.830 mil milhões e o número de empregados subir de 22.272 para 26.857.

As empresas Carvoeiro Golfe e PSAR Portugal venceram o prémio Dimensão, por subirem de escalão no volume de negócios.

A distinção Longevidade foi também atribuída às empresas Pingo Doce, ANA — Aeroportos de Portugal, Teleperformance Portugal, Lusíadas, Aquinos, Sopropé, Savibel, Hospor — Hospitais Portugueses, Damião de Medeiros, Centrauto e Algartalhos.

Alemanha e o município da Maia também foram premiados.

Anúncio

Alto Minho

Arguido por enterrar material com amianto no solo em Monção

Crime ambiental

em

Foto: Divulgação / GNR

A GNR identificou e constituiu arguido um homem de 52 anos por crime ambiental em Monção, por ter “depositado no solo” material com “amianto”, informou esta terça-feira aquela força policial.

Em comunicado enviado à imprensa, o Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, adiantou que a operação policial, desencadeada “após uma denúncia”, ocorreu na segunda-feira.

No decurso da investigação “por depósito de amianto no solo, os militares efetuaram diligências que permitiram apurar o local do aterro e identificar o individuo, sendo que este terá recorrido a uma retroescavadora para depositar o material poluente”.

“Foram recolhidas amostras para análise, tendo sido retirados os resíduos e encaminhados para local de tratamento adequado onde serão incinerados, evitando o risco de contaminação do solo”, refere a nota da GNR.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana com programa “único no país” para monitorizar qualidade do ar dentro das escolas

Ambiente

em

Foto: Divulgação / LUCIOS Engenharia e Construção (portefólio)

Viana do Castelo é o “primeiro município do país” a desenvolver um programa de monitorização da qualidade do ar interior dos 53 edifícios do parque escolar do concelho, num investimento de 18 mil euros, anunciou hoje a câmara.

“Viana do Castelo é o primeiro município do país com uma estratégia para a monitorização das radiações ionizantes, sob a forma de programa, que está a ser concretizado e com resposta clara para este assunto”, afirmou hoje o vereador do Ambiente e Biodiversidade, Ciência, Inovação e Conhecimento, Ricardo Carvalhido.

O responsável, que falava durante a sessão de encerramento do projeto RnMonitor “Radão em Portugal: situação atual e perspetivas futuras” explicou que aquele programa “começou a ser implementado esta semana para avaliar a qualidade biotérmica e radiológica” do ar nas 53 escolas do concelho, sendo que, “no próximo mês, será iniciada a avaliação à qualidade microbiológica”.

“Vamos avaliar o ar de cerca de um terço das salas de aulas das nossas escolas. Dentro de dois meses, esperamos ter o primeiro perfil da qualidade do ar das nossas escolas. Nos edifícios que apresentarem dados fora dos valores considerados normais, será implementado um estudo mais pormenorizado com uma duração de, no mínimo, três meses”, especificou.

Ricardo Carvalhido adiantou que “a monitorização do gás radão e dos parâmetros de humidade, temperatura e dióxido de carbono estão a ser aferidos por sensores instalados nas 53 escolas do concelho, equipamentos que comunicam através de uma rede partilhada entre a câmara e pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), sendo possível receber, em tempo real, os dados de cada estabelecimento”.

“Estes dados estão a ser monitorizados na plataforma da Rede Municipal de Monitorização de Parâmetros Ambientais e de Proteção Civil, para, posteriormente, serem validados e analisados pelos parceiros do programa”, indicou.

O programa de monitorização da qualidade do ar interior de edifícios municipais tem como parceiros o IPVC e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), que participarão “na elaboração de um manual de boas práticas para a qualidade do ar interior de cada edifício escolar”.

Aquele documento incluirá medidas que “poderão passar pela determinação de uma frequência e duração de arejamento, ou, em casos excecionais, a instalação de mecanismos de ventilação forçada do espaço”.

O vereador da câmara da capital do Alto Minho explicou que o programa teve início no parque escolar por ser “reconhecido, por um lado, que o conforto biotérmico dos alunos nas salas de aula, (aferido pelos dados de temperatura e humidade relativa) é um fator determinante no sucesso educativo e também porque a presença de agentes radiológicos (como é exemplo o gás radão, principalmente na região Norte e Centro de Portugal) e biológicos (como vírus, fungos e bactérias) podem comprometer de forma séria, a saúde dos alunos e dos profissionais de educação”.

A implementação daquele programa municipal resulta “da transferência de competências em matéria de educação, da administração central para a administração local”.

Ricardo Carvalhido adiantou que, em abril, no decurso do programa municipal, a autarquia lançará, no âmbito do Dia Nacional do Ar, a iniciativa “O Radão por Casa”.

O responsável explicou tratar-se de “um programa doméstico que disponibilizará aos munícipes uma sonda que lhes permitirá conhecer, durante uma semana, os valores de radão e os parâmetros de conforto bioclimático da sua habituação”.

Posteriormente, “os munícipes receberão uma avaliação diagnóstica com orientações para a mitigação dos parâmetros nos casos em que estes ultrapassem o valor legal de referência”.

“No caso dos moradores do centro histórico, estará disponível a sonda que permitirá o acesso em tempo real aos valores medidos, através da plataforma da rede municipal de monitorização de parâmetros ambientais e proteção civil”, referiu.

O projeto de investigação intitulado “RnMonitor: Infraestrutura de Monitorização Online e Estratégias de Mitigação Ativa do Gás Radão no Ar Interior em Edifícios Públicos da Região Norte de Portugal” foi realizado entre 2016 e 2019.

A investigação foi conduzida pelos docentes António Curado e Sérgio Lopes do IPVC e incidiu sobre 30 edifícios públicos selecionados pelas câmaras de Viana do Castelo e Barcelos.

Continuar a ler

Alto Minho

Mulher encontrada morta na cozinha em Melgaço

Em Fiães

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Uma mulher, com cerca de 80 anos, perdeu a vida durante esta madrugada, em Fiães, concelho de Melgaço, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Ao que apurámos, a mulher terá caído ao início da noite na cozinha da sua habitação, no lugar do Convento de Fiães, onde residia com o marido.

O homem, com sintomas avançados da doença de Alzheimer, não terá dado conta, com o alerta a ser dado apenas pela manhã desta terça-feira, cerca das 08:30.

Fonte dos bombeiros indicou que foi alertada para uma situação de queda na habitação.

À chegada da ambulância com dois operacionais, a vítima já se encontrava sem  vida. “Terá morrido há várias horas”, disse a mesma fonte.

Pelas 12:41, fonte do CDOS de Viana indicou que ainda não foi solicitada a remoção do cadáver.

Continuar a ler

Populares