Seguir o O MINHO

Desporto

Emigrante milionário de Vieira do Minho estreou-se nos ralis portugueses em Fafe

Fundador da Altice

em

Foto: Divulgação

O nome de Armando Pereira não lembra muito corridas que não envolvam ações, empresas e telecomunicações. Mas um dos emigrantes portugueses com maior sucesso no estrangeiro é uma figura conhecida no mundo dos Mundiais de Rali (WRC) e este fim de semana estreou-se em competições portuguesas, durante o Rali Fafe Montelongo.


Natural de Guilhofrei, Vieira do Minho, Armando é conhecido por ter sido um dos fundadores da empresa de telecomunicações francesa Altice, que adquiriu a Portugal Telecom.

Esteve ao volante do protótipo mais moderno de um Ford Fiesta WRC, viatura anteriormente conduzida por pilotos campeões como Sebastien Ogier e Elfyn Evans. Armando conseguiu ser o mais rápido em pista na prova de Regional, onde competiu.

Em declarações reveladas pelo gabinete de comunicação do Rali Fafe Montelongo, o empresário recorda que este rali passava praticamente à porta de casa (Guilhofrei).

“Como é aqui em Portugal e na minha terra, faço-o com muito prazer e com muito gosto. Os ralis são uma paixão que eu sempre tive e a gente faz as coisas de acordo com o que é possível. Desde 1991 comecei a interessar-me pelas corridas e desde essa data que faço ralis até hoje”, disse.

Com 65 anos, Armando Pereira admite ter sete carros WRC na ‘garagem’, assim como um modelo R5. “Chegam para andar a vida toda”, brinca.

“Faço poucos ralis. Alinho nos que posso, não mais de cinco, seis por ano, porque tenho pouco tempo. Tenho feito o que considero mais interessante para mim e o que melhor conheço, o Rali da Córsega, que não houve este ano, mas que regressará em 2021. Faço alguns do Campeonato de França e de campeonatos de países vizinhos da França, como da Suíça ou da Alemanha”, acrescentou.

Em França, o vieirense já disputou vários ralis. No Rali da Córsega, Armando pilotou por nove vezes, entre 2001 e 2018. Em 2019 estreou-se no mítico Rali Monte Carlo.

Infância humilde aos milhões

Em entrevista à revista Sábado, Armando Pereira conta que tinha 11 anos quando deixou de estudar e se mudou de Vieira do Minho, onde vivia com os irmãos e com os pais, agricultores, para Espinho, para casa de uma tia materna.

Trabalhou como canalizador até aos 14 anos, altura em que decidiu emigrar para França.

“Vesti dois pares de calças e duas camisolas e pus 2 mil escudos (593 euros, aos preços de hoje) no bolso. Foi tudo o que levei”, explicou.

Com 24 anos, já tinha 1.500 pessoas a trabalhar sobre sua supervisão, na área das redes de telecomunicações. Aos 44, tornava-se milionário, depois de vender uma empresa (Sogetrel) que fundou.

Em 2002, foi um dos co-fundadores da Altice, que tem vindo a adquirir operadoras de telecomunicações um pouco por todo o mundo, como foi o caso da Portugal Telecom.

Anúncio

Futebol

Ronaldo ou Messi? Trincão responde que “ambos são os melhores” do mundo

Internacional português diz que é impossível escolher entre os dois astros

em

Foto: DR / Arquivo

O avançado internacional português Francisco Trincão, que alinha no FC Barcelona, admitiu hoje que é impossível escolher entre Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi, porque “ambos são os melhores” futebolistas do mundo.

Trincão, que esta época se transferiu do SC Braga para o clube catalão, afirmou que o português e o argentino “são jogadores muito distintos”, mas considerou que ambos “são os melhores”.

O avançado, natural de Viana do Castelo, que soma 12 jogos com a camisola do FC Barcelona, dois dos quais como titular, falava na conferência de imprensa de antevisão do encontro com o Ferencvátros, do grupo G da Liga dos Campeões de futebol, competição na qual os catalães já garantiram a passagem aos oitavos de final.

Trincão garantiu estar feliz em Barcelona e afirmou que precisa apenas de “tempo, trabalho e confiança” para se aproximar dos números conseguidos na época passada ao serviço do SC Braga, onde somou nove golos e oito assistências.

Continuar a ler

Futebol

Moreirense e Paços de Ferreira acertam calendário com olhos na Taça da Liga

I Liga

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Moreirense e o Paços de Ferreira defrontam-se hoje em jogo em atraso da sétima jornada da I Liga de futebol, numa partida que vai definir a última vaga na Taça da Liga.

O encontro esteve inicialmente previsto para 07 de novembro, mas foi adiado para hoje, devido a um surto de covid-19 no conjunto de Moreira de Cónegos.

Além de uma possível subida na classificação, Moreirense e Paços de Ferreira vão discutir entre si a sexta e última vaga da I Liga na Taça da Liga, este ano, devido à pandemia de covid-19, apenas disponível para os seis melhores do primeiro escalão e os dois líderes da II Liga.

Os pacenses, sextos classificados da I Liga, partem em vantagem, pois precisam de um empate para assegurar a ida à Taça da Liga, enquanto o Moreirense, 12.º, terá de vencer por dois golos para se qualificar.

Em jogos para a I Liga em Moreira de Cónegos, a equipa da casa soma cinco vitórias e dois empates e perdeu apenas uma vez, em 2013, quando o Paços de Ferreira venceu por 5-0.

O encontro está marcado para as 21:45 e terá arbitragem de Hélder Malheiro, da Associação de Futebol de Lisboa.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga só depende de si próprio para ‘carimbar’ apuramento na 5.ª ronda

Liga Europa

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Benfica e SC Braga só dependem de si próprios para selar na quinta-feira um lugar nos 16 avos de final da Liga Europa em futebol, precisando para isso de vencer os seus encontros na quinta ronda.

No Grupo D, os ‘encarnados’ recebem o Lech Poznan, equipa que venceram na Polónia por 4-2, com um ‘hat-trick’ do uruguaio Darwin Núñez, enquanto, no Grupo G, os ‘arsenalistas’ jogam na Grécia, com o AEK Atenas, que bateram em casa por 3-0.

Os dois representantes lusos na fase de grupos também se podem qualificar empatando, neste caso se os terceiros classificados não ganharem aos líderes, o Standard Liège ao Rangers, na Escócia, e o Zorya Luhansk ao já apurado Leicester, na Ucrânia.

O primeiro a entrar em ação, a partir das 17:55, é o Sporting de Braga, que, depois de dois jogos complicados com os ingleses (0-4 fora e 3-3 em casa), vai tentar voltar aos triunfos na Grécia, onde já triunfaram ingleses (2-1) e ucranianos (3-0).

Na reedição do primeiro duelo europeu entre clubes de Portugal e Grécia e também do primeiro jogo dos ‘arsenalistas’ nas provas da UEFA, o conjunto de Carlos Carvalhal só precisa de replicar o que fizeram, há 54 anos, os comandados de Fernando Caiado.

Em 28 de setembro de 1966, em encontro da primeira mão da primeira eliminatória da Taça das Taças, perante 23.207 espetadores, os bracarenses venceram o AEK, em Atenas, por 1-0, graças a um golo de Luciano Marques da Silva, aos 26 minutos.

Paulinho (12 golos) e Ricardo Horta (11), os melhores marcadores de sempre do SC Braga na Europa, juntamente com o brasileiro Alan (11), serão ser as principais armas de Carlos Carvalhal, na tentativa de repetir os apuramentos de 2011/12, 2015/16, 2017/18 e 2019/20.

Se os ‘arsenalistas’ viajam à Grécia, moralizados pela sexta vitória consecutiva na I Liga (1-0 ao Farense, no domingo, com novo golo de Al Musrati), o Benfica tenta fechar o apuramento na Luz, onde nunca perdeu para a Liga Europa.

Depois de na terceira ronda ter batido o recorde da prova, com o 24.º jogo consecutivo sem perder em casa (19 vitórias e cinco empates), com um sofrido 3-3 face ao Rangers, o ‘onze’ de Jorge Jesus precisa do 20.º triunfo para seguir em frente.

Os ‘encarnados’, que ganharam nas duas anteriores receções a clubes polacos (1-0 ao Katowice, em 1993/94, e 5-1 ao Ruch Chorzow, em 1996/97), são amplamente favoritos, num jogo que pode marcar o regresso de Darwin, ‘pós’ covid-19.

O jovem avançado uruguaio, que falhou o 2-2 na Escócia, tem sido a grande figura do Benfica na prova, com os três golos na Polónia e o tento que permitiu ao Benfica salvar um ponto na receção aos escoceses (3-3), já nos descontos, aos 90+1 minutos.

Caso triunfe, ou empate e o Standard não vença na Escócia, o Benfica repete o que conseguiu na anterior presença na fase de grupos da Liga Europa, na primeira época sob o comando de Jorge Jesus, em 2009/10, então perante Everton, AEK e BATE Borisov.

Na ‘antecâmara’ do embate com os polacos, os ‘encarnados’ regressaram com sofrimento aos triunfos na I Liga, ao vencerem na segunda-feira por 2-1 no reduto do Marítimo, numa reviravolta assinada por Pizzi e Everton, após nova ‘fífia’ de Otamendi.

O Benfica e o SC Braga só dependem de si para se qualificar – e juntar nos 16 avos de final à Roma (Grupo A), de Paulo Fonseca, ao Arsenal (B), ao Leicester e ao Hoffenheim (L) -, tal como outras 10 formações.

Os checos do Slavia Praga e os alemães do Bayer Leverkusen (Grupo C), os espanhóis do Granada (E) e do Villarreal (I), os ingleses do Tottenham (J), de José Mourinho, e os sérvios do Estrela Vermelha (L) apenas necessitam de um empate.

Por seu lado, o Rangers, os italianos do Nápoles (F), os franceses do Lille (H) e os croatas do Dinamo Zagreb (K) seguem em frente vencendo.

Embora não dependam em exclusivo do que fizerem, também podem qualificar-se os suíços do Young Boys (Grupo A), os holandeses do PSV Eindhoven (E) e do Feyenoord (K), os espanhóis da Real Sociedad (F), os italianos do AC Milan (H), os israelitas do Maccabi Telavive (I) e os belgas do Antuérpia (J).

Continuar a ler

Populares