Seguir o O MINHO

Desporto

Emanuel Silva ambiciona chegar às seis participações em Jogos Olímpicos — Faltam duas

em

O canoísta Emanuel Silva revelou esta terça-feira durante a a Semana Europeia do Desporto que deseja participar em seis Jogos Olímpicos, noticia o jornal desportivo O JOGO.

“Atualmente, tenho 30 anos e já participei em quatro competições olímpicas. Penso que, se tudo correr bem, poderei fazer mais dois Jogos Olímpicos sem problemas”, afirma o canoísta de Braga, citado por aquele jornal.

O atleta que representa o Sporting Clube de Portugal e que nas quatro participações em Jogos Olímpicos conquistou uma medalha de prata, em 2012, com Fernando Pimenta, ambiciona desta forma competir até aos 38 anos, de forma a conseguir participar nas olimpíadas de 2020, em Tóquio (Japão), e de 2024 (ainda por atribuir).

O atleta bracarense, que em 2016, no Rio de Janeiro, fez parelha com João Ribeiro, de Esposende, tendo ficado em quarto lugar, a apenas 22 centésimos de segundo de repetir um pódio Jogos Olímpicos, tem nos Europeus de 2017, em maio, e nos Mundiais, em agosto, os seus “focos principais”.

A primeira presença de Emanuel Silva aconteceu em Atenas, em 2004, seguindo-se Pequim (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016).

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Emanuel Silva. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Desporto

Óquei de Barcelos e HC Braga apurados para os ‘quartos’ da Taça da Europa

Hóquei em Patins

em

Foto: Facebook de Óquei de Barcelos

O Óquei de Barcelos e o HC Braga conseguiram hoje o apuramento para os quartos de final da Taça da Europa em hóquei em patins, na segunda mão dos ‘oitavos’, em que o Juventude Viana foi eliminado.

Depois de uma vitória por 5-1 em casa, o Óquei foi a casa do Lleida, empatar a duas bolas, anulando a formação espanhola e passando aos ‘quartos’, onde vai jogar a primeira mão em casa frente ao Igualada.

O triunfo motiva a formação de Barcelos, uma vez que foi conseguido frente ao atual detentor do troféu, e mantém a equipa na busca de um quarto cetro desta Taça, anteriormente chamada Taça CERS.

Um quarto título, depois de 1995, 2016 e 2017, seria inédito na história da prova e permitiria desempatar dos italianos do Hockey Novara no topo do palmarés da competição.

Em busca de uma primeira vitória está o HC Braga, que foi finalista vencido em 2012, depois de vencer por 3-2 em Itália, em casa do Hockey Valdagno, superiorizando-se a uma equipa italiana que ‘arrancou’ um empate a cinco bolas na primeira mão, em Portugal.

Na próxima fase, vai defrontar o Follonica, outro adversário italiano, jogando a primeira mão em casa. Os jogos dos quartos de final estão marcados para 15 de fevereiro e 14 de março.

Após as passagens de dois dos três emblemas minhotos em prova, foi no desempate por grandes penalidades que o Juventude de Viana caiu em casa do Trissino, em Itália, e falhou a chance de passar à próxima fase.

Depois de uma vitória por 3-0 em Viana do Castelo, a formação do Alto Minho consentiu o mesmo resultado aos anfitriões no tempo regulamentar, com o prolongamento a não diferenciar as duas equipas.

No desempate por grandes penalidades, o Juventude marcou duas tentativas e chegou a estar próximo de avançar, mas o Trissino fez três golos e marcou encontro com o Dornbirn na próxima fase.

Continuar a ler

Futebol

“Veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente”

Ricardo Soares, treinador do Moreirense

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o empate 1-1 entre Tondela e Moreirense, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio João Cardoso, em Tondela:

– Ricardo Soares (treinador do Moreirense): “Temos de dividir o jogo em três fases. A primeira, que foi claramente do Tondela, tivemos a felicidade de ir para o intervalo zero a zero. O Tondela foi melhor.

Na segunda parte corrigimos os posicionamentos, melhorámos bastante, até estávamos em cima do jogo e depois surge o golo numa bola parada, não podíamos sofrer aquele golo e aí veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente, a terceira parte.

A equipa reagiu, muito com o coração, com a vontade e a crença de conquistar o ponto. Levámos um ponto, penso que é merecido pela atitude, principalmente dos últimos 15, 20 minutos, pela atitude positiva com que fomos à procura do golo e, nesse sentido, o empate é justo.

Claramente é um ponto ganho, quer para o Tondela, quer para o Moreirense, e na I Liga é importante somar e, nesse caso, é claramente um ponto ganho e ainda por cima hoje que não fizemos um bom jogo, principalmente na primeira parte.

Queremos fazer as coisas diferentes, com um futebol de mais qualidade, e isso hoje não aconteceu, mesmo assim é um ponto positivo que nos traz confiança.

Hoje tivemos a felicidade que noutros jogos não tivemos”.

– Natxo González (treinador do Tondela): “Já não sei o que podemos fazer para ganhar. Fizemos muitas coisas bem, continua a faltar a eficácia na área rival. Outro penálti e isso acabou por nos penalizar muito e eles num único remate que fazem à baliza, marcam.

Cometemos poucos erros a nível defensivo e um erro de concentração que cometemos penalizou-nos.

Este resultado deixa-nos um pouco triste, mas eu como treinador estou orgulhoso pelo que a equipa fez.

É uma coisa estranha [os penáltis falhados]. É verdade que tento encontrar uma explicação e não encontro. Não sei, têm sido jogadores diferentes. Nos treinos entram todas na baliza e nos jogos não entram. São coisas que se passam sem uma explicação.

O momento que estamos a viver é uma coisa muito estranha, os penáltis [falhados] são sempre em casa. Não sei se há algo mais, não sei.

Estamos dentro dos números que marquei como objetivo, mas neste momento podíamos ter mais, é uma lástima”.

Continuar a ler

Futebol

Moreirense dá a volta ao marcador e empata em Tondela

17.ª jornada da Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O Tondela e o Moreirense empataram hoje 1-1, em jogo da 17.ª jornada da I Liga de futebol, com os dois golos a serem marcados na segunda parte, numa partida em que os beirões falharam um penálti.

Bruno Wilson e Nenê foram os protagonistas do jogo, com o defesa da equipa da casa a inaugurar o marcador, ao cabecear aos 55 minutos para a baliza de Mateus Pasinato e o avançado do Moreirense a encostar para concretizar uma bola cruzada por Pedro Nuno.

A primeira grande oportunidade de golo surgiu aos oito minutos, para a equipa da casa e foi desperdiçada por Pité, numa grande penalidade provocada por uma falta de Fábio Pacheco sobre Tomislav e que o avançado ‘auriverde’ rematou ao poste direito da baliza de Mateus Pasinato.

Foi uma primeira parte jogada, maioritariamente, no meio campo do Moreirense, com a equipa beirã a pressionar mais e a rematar por diversas vezes, mas sem nunca conseguir inaugurar o marcador.

O Moreirense poucas vezes conseguiu chegar ao meio campo adversário, ainda assim aos 21 minutos fez um remate perigoso que não foi concretizado, porque Cláudio Ramos fez subir ligeiramente a bola por cima da barra.

Bruno Wilson acabou por inaugurar o marcador aos 55 minutos, com um cabeceamento a um cruzamento da lateral direita, num livre marcado por Pepelu, perto da grande área do Moreirense.

Na segunda parte o jogo saiu do meio campo do Moreirense, apesar de o Tondela dominar, mesmo depois do golo de Bruno Wilson.

Depois do golo sofrido, o Moreirense subiu no terreno e acabou por chegar ao amepate aos 79, com Nenê, acabado de entrar em campo, a encostar a bola, vinda de um cruzamento de Pedro Nuno,

O empate volta a ser o resultado do Tondela em casa que, esta época, regista uma só vitória no Estádio João Cardoso, frente ao Sporting, por 1-0, na 10.ª jornada, e repete o feito da 15.ª jornada, ao empatar com o Gil Vicente (1-) e a falhar um penálti.

O Tondela e o Moreirense somam assim um ponto cada um, com a equipa da casa a ficar com 20, subindo, provisoriamente, ao nono lugar, e os visitantes, com 18, na 13.º posição.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Tondela – Moreirense, 1-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador:

1-0, Bruno Wilson, 55 minutos.

1-1, Nenê, 79.

Equipas:

– Tondela: Cláudio Ramos, Fahd Moufi (Richard Rodrigues, 80), Bruno Wilson, Yohan Tavares, Ricardo Alves, Filipe Ferreira, Jhon Murilo, Pepelu, Pité (João Pedro, 90), Tomislav e Xavier (Jonathan Toro, 64).

(Suplentes: Babacar Niasse, Jaquité, João Pedro, Ruben Fonseca, Jonathan Toro, Richard Rodrigues e Philipe Sampaio).

Treinador: Natxo González.

– Moreirense: Mateus Pasinato, D’ Alberto, Rosic, Steven Vitória, Abdu, Luís Machado (Pato, 62), Fábio Pacheco, Pedro Nuno, Filipe Soares, Fábio Abreu (Nenê, 69) e Alex Soares (Manê, 85).

(Suplentes: Trigueira, Iago, Manê, Nenê, Ibrahima, Bilel e Pato).

Treinador: Ricardo Soares.

Árbitro: Vítor Ferreira (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Fahd Moufi, (45+1 minutos), Alex Soares (47), Fábio Pacheco (68) e Nenê (87).

Assistência: 1.681 espetadores.

Continuar a ler

Populares