Seguir o O MINHO

Braga

Elisabete, de Póvoa de Lanhoso, alimenta rádio e conforta alma lusa na Suíça

Radio Familiar

em

Foto: DR / Arquivo

Chama-se Rádio Familiar, funciona numa cave em Aarau, na Suíça, tem ao leme um casal português de emigrantes e passa quase exclusivamente música ligeira portuguesa, sempre com a bandeira nacional em destaque no estúdio.


No ar desde 14 de fevereiro, o projeto radiofónico tem como rostos Leandro Pereira, natural de Lamego, e a mulher, Elisabete Vieira da Silva, oriunda da Póvoa de Lanhoso.

“Pode-se dizer que somos uma rádio de emigrantes portugueses para emigrantes portugueses, mas é claro que estamos abertos a todos quantos nos quiserem ouvir”, disse Leandro Pereira, à Lusa.

O projeto, 100% on-line, é ligeiro, terra-a-terra e despretensioso e aposta, sobretudo, na proximidade e na interação com o ouvinte, através do Facebook.

Das 24 horas diárias de emissão, a esmagadora maioria é assegurada pelo “piloto automático”, mas, ao final da tarde, após o trabalho, Leandro e Elisabete dão a cara, saudando pessoalmente cada ouvinte que entra e soltando, despreocupadamente, estados de alma.

“Z’imbora”, abreviatura de “vamos embora”, é a expressão recorrentemente usada por um e outro, para incentivar o ouvinte a entrar no espírito da rádio, que é acompanhar, cantando ou dançando, o artista que a cada momento está no ar.

Leandro, que já foi cantor, sabe quase todas as letras de cor das canções que passa e, volta e meia, lá “sai” até um karaoke.

Mantém, por norma, uma pose séria, profissional, que, como diz, “a música não é brincadeira” e a rádio “não é para qualquer um”.

Em contraponto, Elisabete faz da simpatia a sua grande arma, mas também ela não abdica de trautear os temas que vão passando.

“Quando estamos no estúdio, os ouvintes podem pedir os temas que querem ouvir”, assegura Leandro.

Ele tem 25 anos e trabalha na construção civil, assegurando também serviços de jardinagem, sempre que é preciso. Ela é 10 anos mais velha e faz limpezas.

Depois de “largarem”, é no estúdio instalado numa cave, com 32 metros quadrados, que alimentam o “bichinho” da rádio.

Por dia, passarão ali uma hora e meia, duas horas, depende.

Passam música, quase toda portuguesa, cantam, saúdam os ouvintes, dançam um com o outro, mandam recados, atendem pedidos.

“Sentimo-nos acarinhados, sentimos que fazemos bem a quem nos ouve, e, enquanto assim for, vamos continuar”, atira Leandro.

A bandeira nacional, essa, está sempre “escarrapachada” na parede do estúdio, para que não fiquem dúvidas sobre o “orgulho de ser português” que ambos sentem.

“Estou na Suíça há 21 anos, mas esta é, e será sempre, a minha bandeira. É por ela que o meu coração bate”, atira Leandro.

Anúncio

Braga

CDS de Braga apoia António Cunha para a CCDR-N. Bloco está contra e pede regionalização

Política

em

João Medeiros (CDS) e Alexandra Vieira (BE). Foto: Municipio de Braga

O CDS/PP de Braga produziu, ontem, na Assembleia Municipal, uma declaração política de apoio à candidatura do antigo reitor da Universidade do Minho, António Cunha, à presidência da CCDR-N, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte.

O deputado municipal João Medeiros enalteceu as qualidades pessoais, de honradez, e de gestão do universitário bracarense, lembrando o bom papel que desempenhou enquanto Reitor e, posteriormente, na Escola de Engenharia, quer na docência quer em projetos de ligação ao mundo empresarial.

Antes da declaração, o Bloco de Esquerda, havia apresentado uma Moção Contra o processo de eleição indireta dos presidentes das CCDR e pela instituição efetiva de regiões administrativas. Moção chumbada com os votos da maioria PSD/CDS/PPM e do PS.

Os bloquistas dizem que “a eleição de um presidente da CCDR para os próximos cinco anos quando estamos a um ano de novas eleições autárquicas, enfraquece a legitimidade do processo e está a transformar-se numa espécie de oligopólio eleitoral, com PS e PSD a distribuirem entre si cargos de presidente nas várias CCDR’s, num processo que de democrático tem muito pouco. Fica, isso sim, evidente a intenção de manter o bloqueio à Regionalização consagrada na Constituição desde 1976”.

O BE pedia, por isso, que os deputados municipais manifestassem a sua discordância quanto ao processo e insistissem junto dos órgãos da República para que se avance, o mais rápido possível, com a instituição de Regiões Administrativas.

Eleição no dia 13

Na sessão, a presidente da Assembleia Hortense Santos disse que a votação para eleição de António Cunha – o único candidato – decorre no edifício da Câmara, entre as 16 e as 20 horas. Votam o presidente do Município, os vereadores – com e sem pelouro – os deputados municipais, e os presidentes de Juntas ou de Uniões de Freguesia.

Recorde-se que, e conforme O MINHO noticiou, Ricardo Rio já manifestou publicamente o seu apoio a António Cunha, enquanto que o líder do PS local, Artur Feio, disse que o assunto será debatido em reunião da secção.

A CDU, disse o vereador Carlos Almeida, votará contra, por discordar do método adotado e também querer a Regionalização, seguindo a orientação nacional do PCP.

Continuar a ler

Braga

Casal ferido após colisão entre mota e carro em Braga

Maximinos

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Um casal sofreu ferimentos na sequência de uma colisão entre a mota em que seguiam e uma viatura ligeira, ao início da noite deste sábado, em Braga.

Ao que apuro O MINHO, o acidente ocorreu na rotunda onde começa a Rua Cidade do Porto, em Maximinos, cerca das 21:00 horas.

As duas vítimas, que seguiam na mota, foram imobilizadas e transportadas para o Hospital de Braga, para fazerem exames de despiste de possíveis fraturas e lesões na coluna.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Serão marido e mulher e foram transportados pelos Bombeiros Sapadores de Braga, que mobilizaram quatro operacionais e duas ambulâncias.

Foram para o Hospital de Braga com apoio da equipa médica da VMER local.

A PSP está a fazer as peritagens.

Continuar a ler

Braga

Concelho de Braga com 235 casos ativos de covid-19. Há 338 pessoas em isolamento

Dados locais

em

Foto: DR

O concelho de Braga regista 235 casos de infeção ativa pelo novo coronavírus.

Estes dados, apurados por O MINHO junto de fonte local da saúde, foram atualizados às 17:30 de sexta-feira.

O concelho regista 1.433 casos de recuperações do SARS CoV-2 desde o início da pandemia.

Em termos acumulados, são já 1.742 casos de pessoas infetadas com a doença.

Lamentam-se ainda 74 óbitos, número que permanece igual desde o passado dia 16 de junho.

O número de pessoas em isolamento sob vigilância da autoridade de saúde é de 338.

Continuar a ler

Populares