Redes Sociais

Viana do Castelo

Elevador que liga Viana a Santa Luzia regista maior utilização de sempre em agosto

a

Foto: DR

O elevador que liga Viana do Castelo ao monte de Santa Luzia, contíguo àquela cidade, registou, em agosto, a “maior utilização de sempre” ao transportar 52.085 mil passageiros”, informou hoje câmara municipal.

Em comunicado, aquela autarquia adiantou que, “com estes números, a infraestrutura assegurou um aumento de 9,05% em relação a agosto de 2017”.

“No mês passado, o funicular ultrapassou, por três vezes, o valor máximo diário registado até então, que tinha sido a 20 de agosto de 2017″, especificou a autarquia, adiantando que a 09 de agosto, dia da chegada da Volta a Portugal em bicicleta ao topo do monte de Santa Luzia, foram assinalados 2.606 passageiros”.

Os “outros dois recordes registaram-se durante a Romaria em Honra de Nossa Senhora da Agonia, no dia 18 de agosto, quando foram transportados 2.690 passageiros e, no dia 19 de agosto, 2.775 pessoas”.

O equipamento emblemático, com um percurso de 650 metros que leva cerca de oito minutos a completar, sendo considerado o mais extenso do género no país, esteve abandonado entre 2001 e 2007.

Voltou a assegurar as ligações entre o centro da cidade e o monte de Santa Luzia em abril de 2007, depois de a autarquia ter investido 2,5 milhões de euros na sua aquisição e reabilitação

“Desde o início do serviço do funicular, em abril de 2007, até 31 de agosto do presente ano, a infraestrutura transportou 1.113.137 passageiros e, [desde o início de 2018] até final de agosto, já realizou praticamente o mesmo número de viagens que na totalidade do ano transato”, sustentou a autarquia.

O elevador de Santa Luzia, foi construído por iniciativa do empresário e engenheiro portuense Bernardo Pinto Abrunhosa, e inaugurado a 02 de junho de 1923, através da Empreza do Elevador de Santa Luzia.

Entre 18 de agosto e 31 de outubro de 1944, os Serviços Municipalizados de Viana do Castelo asseguraram a exploração, com caráter provisório e, em 1945, foi alvo de importantes trabalhos de reparação.

Em 2005 o funicular foi transferido para o domínio público da Câmara de Viana do Castelo, tendo sido alvo de uma empreitada de 2,28 milhões de euros, para a renovação da linha, recuperação dos muros que a ladeiam e a instalação de duas modernas carruagens, com lotação para 25 pessoas, 12 sentadas e 13 em pé. As carruagens permitem o transporte de bicicletas para que os ciclistas possam ascender a Santa Luzia e circular nos trilhos de montanha existentes.

Com 160 metros de desnível e 25% de inclinação média, o elevador de Santa Luzia dispõe de três fontes de energia diferentes (elétrica, gerador e bateria) e de quatro sistemas de travagem, sendo a segurança precisamente uma das características da renovação realizada.

Aquele equipamento é uma das formas de aceder ao santuário. Além do acesso automóvel, é também possível chegar ao topo de Santa Luzia pelos cerca de 650 degraus do escadório, quase paralelo ao elevador.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Viana do Castelo

“Violador do Facebook” começa a ser julgado em Viana por ameaças feitas por SMS

Acusado de dois crimes de ameaça agravada, dois de ameaça simples e um de coação agravado.

Publicado

a

Foto: DR/Arquivo

Um homem de 52 anos, a cumprir pena de 15 anos de prisão, vai começar a ser julgado, na quarta-feira, no tribunal de Viana do Castelo, por ameaças e coação agravadas feitas através de mensagens enviadas por telemóvel.

De acordo com a acusação do Ministério Público (MP), deduzida em março, e a que a agência Lusa teve hoje acesso, o homem, conhecido como o “violador do Facebook”, é acusado de dois crimes de ameaça agravada, dois de ameaça simples e um de coação agravado.

Os crimes terão sido praticados sobre o marido e uma vizinha da mulher de 38 anos que alegadameente seduziu, no início de 2017, a partir da prisão, através das redes socais.

Segundo o MP, “o arguido apresenta um diagnóstico de perturbação da personalidade, de tipo antissocial, com dificuldade em cumprir regras e respeitar os outros, agindo com impulsividade e agressividade, sem pensar nas consequências, com risco moderado de violência”.

O início do julgamento está marcado para as 14:00.

Em outubro de 2010, o tribunal de Sintra condenou o homem a uma pena de cinco anos e seis meses de prisão efetiva por abuso sexual da filha menor.

Na altura, uma nota da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) indicava que o arguido já tinha sido condenado a pena suspensa por maus tratos e que os crimes sexuais contra a filha ocorreram em 2006.

O homem estava detido preventivamente desde abril de 2010, suspeito de, através do uso de redes sociais, ter violado duas mulheres e de estar envolvido em tráfico de armas.

Na acusação agora deduzida, o MP considera que o homem “estava ciente” do “medo e inquietação” que provocava nos ofendidos, fazendo-os “temer pela sua integridade física e pela própria vida”, sendo que no caso do marido da mulher que seduziu a partir da prisão, o receio estendia-se ao filho menor do casal.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana recebe pela primeira vez Festival Transfronteiriço de teatro amador

No teatro municipal Sá de Miranda.

Publicado

a

Viana do Castelo vai receber, pela primeira vez, entre os dias 21 e 23, o Festival Transfronteiriço que vai juntar cerca de 50 atores amadores do Alto Minho, da Galiza e de Castela Leão, informou hoje a organização.

O programa do festival, hoje apresentado em conferência de imprensa, no teatro municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo, pelo Teatro do Noroeste-CDV, inclui “a apresentação de três leituras encenadas e de três espetáculos de teatro nos três idiomas das regiões que integram a organização: português, galego e castelhano”.

Com três edições por cada região membro, o Festival Transfronteiriço é promovido pela PLATTA – Plataforma Transfronteiriça de Teatro Amador, criada há oito anos para “fomentar o diálogo do teatro amador transregional e transnacional como uma realidade dentro do espaço cultural nacional e europeu”.

A primeira edição decorreu, em março, em Castela e Leão, em junho, na Galiza e, entre os dias 21 e 23, será organizado, pela primeira vez, na capital do Alto Minho, através da TEIA – Teatro Em Iniciativa Associativa.

A TEIA é “uma rede cultural dinamizada pelo projeto Comunidade do Teatro do Noroeste – CDV composta por 23 entidades culturais da região”.

Em dezembro de 2017, a TEIA formalizou a adesão à PLATTA, juntando-se à FEGATEA – Federação Galega de Teatro Amador, pela Erregueté – Revista Galega de Teatro, pela Federação de Grupos Amadores de Teatro Castela e Leão.

Na apresentação do Festival Transfronteiriço de Viana do Castelo, o diretor artístico do Teatro do Noroeste-CDV, Ricardo Simões disse “esperar” que esta iniciativa “tenha continuidade e passe a integrar a programação regular” da companhia profissional de Viana do Castelo.

Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo. Foto: DR/Arquivo

Destacou que o programa deste ano integra “três comédias”, as leituras encenadas em português, castelhano e galego e iniciativas internas destinadas aos membros da PLATTA”.

Já Chelo Pampillón, presidente da FEGATEA, realçou a importância deste evento, considerando que o “teatro serve de veículo para um intercâmbio de vidas e experiências”.

A peça Chicago Killers, pelo grupo Atrezo Teatro, de Vigo, com texto de Jessica Roade e encenação de Chelo Pampillón, é a primeira a ser apresentada, no dia 21, às 21:30, no Café Concerto do teatro municipal Sá de Miranda.

No dia 22, também às 21:30, mas sala principal daquele teatro, é a vez do grupo castelhano Fénix Teatro, de Zamora, apresentar Mamaá, de Jordi Sánchez e Pep Antón Gomez, com encenação de Rafael Gonzalez.

No último dia, às 11:00, são apresentadas três leituras encenadas da obra “Fíos”, de Ernesto Is, em galego, castelhano e português.

Para as 17:00, o Teatro Amador de Lanheses, dinamizado pela Junta de Freguesia de Lanheses, sobe ao placo da sala principal do teatro Sá de Miranda com “A Farsa do Mestre Patelino”, encenada de Carla Magalhães.

Todas as iniciativas têm entrada livre.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Arrecadação de carpintaria totalmente consumida pelas chamas

Compareceram ao local cinco veículos e 13 operacionais.

Publicado

a

Foto: Divulgação

A arrecadação de uma carpintaria em Carvoeiro, Viana do Castelo, foi esta terça-feira “totalmente consumida” por um incêndio que deflagrou às 10:15, ainda por razões desconhecidas, disse fonte da proteção civil.

Segundo a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo, o fogo, “entretanto dominado, e sem registo de vítimas, ficou restringido àquele compartimento” da carpintaria situada na estrada de Algares, na freguesia de Carvoeiro.

Ao local compareceram cinco veículos e 13 operacionais dos bombeiros voluntários e municipais de Viana do Castelo e a GNR.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares