Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Elevador que liga Viana a Santa Luzia regista maior utilização de sempre em agosto

em

Foto: DR

O elevador que liga Viana do Castelo ao monte de Santa Luzia, contíguo àquela cidade, registou, em agosto, a “maior utilização de sempre” ao transportar 52.085 mil passageiros”, informou hoje câmara municipal.

Em comunicado, aquela autarquia adiantou que, “com estes números, a infraestrutura assegurou um aumento de 9,05% em relação a agosto de 2017”.

“No mês passado, o funicular ultrapassou, por três vezes, o valor máximo diário registado até então, que tinha sido a 20 de agosto de 2017″, especificou a autarquia, adiantando que a 09 de agosto, dia da chegada da Volta a Portugal em bicicleta ao topo do monte de Santa Luzia, foram assinalados 2.606 passageiros”.

Os “outros dois recordes registaram-se durante a Romaria em Honra de Nossa Senhora da Agonia, no dia 18 de agosto, quando foram transportados 2.690 passageiros e, no dia 19 de agosto, 2.775 pessoas”.

O equipamento emblemático, com um percurso de 650 metros que leva cerca de oito minutos a completar, sendo considerado o mais extenso do género no país, esteve abandonado entre 2001 e 2007.

Voltou a assegurar as ligações entre o centro da cidade e o monte de Santa Luzia em abril de 2007, depois de a autarquia ter investido 2,5 milhões de euros na sua aquisição e reabilitação

“Desde o início do serviço do funicular, em abril de 2007, até 31 de agosto do presente ano, a infraestrutura transportou 1.113.137 passageiros e, [desde o início de 2018] até final de agosto, já realizou praticamente o mesmo número de viagens que na totalidade do ano transato”, sustentou a autarquia.

O elevador de Santa Luzia, foi construído por iniciativa do empresário e engenheiro portuense Bernardo Pinto Abrunhosa, e inaugurado a 02 de junho de 1923, através da Empreza do Elevador de Santa Luzia.

Entre 18 de agosto e 31 de outubro de 1944, os Serviços Municipalizados de Viana do Castelo asseguraram a exploração, com caráter provisório e, em 1945, foi alvo de importantes trabalhos de reparação.

Em 2005 o funicular foi transferido para o domínio público da Câmara de Viana do Castelo, tendo sido alvo de uma empreitada de 2,28 milhões de euros, para a renovação da linha, recuperação dos muros que a ladeiam e a instalação de duas modernas carruagens, com lotação para 25 pessoas, 12 sentadas e 13 em pé. As carruagens permitem o transporte de bicicletas para que os ciclistas possam ascender a Santa Luzia e circular nos trilhos de montanha existentes.

Com 160 metros de desnível e 25% de inclinação média, o elevador de Santa Luzia dispõe de três fontes de energia diferentes (elétrica, gerador e bateria) e de quatro sistemas de travagem, sendo a segurança precisamente uma das características da renovação realizada.

Aquele equipamento é uma das formas de aceder ao santuário. Além do acesso automóvel, é também possível chegar ao topo de Santa Luzia pelos cerca de 650 degraus do escadório, quase paralelo ao elevador.

Anúncio

Desporto

Darque Kayak Clube retira a inscrição de atletas de paracanoagem após ameaças

Do campenato nacional

em

Foto: Divulgação

A Darque Kayak Clube informou este fim de semana que decidiu retirar a inscrição dos seus dois atletas de paracanaogem federados da prova do campeonato nacional de regatas em linha KS1, para que os mesmos não sejam expostos a novas ameaças à sua integridade física, a comentários depreciativos ou injúrias.

Segundo o clube, três atletas portadores de deficiência intelectual, dois técnicos da DKC e um técnico de uma escola para deficiência, foram alvo de um comportamento por parte de um canoista (jovem e alheio à DKC) em maio, ao que tudo indica de ameaça de atropelamento, ao imprimir fortes acelerações e arranques bruscos em direção aos mesmos quando estes saiam do treino de água e se dirigiam ao Centro de Canoagem com os respetivos kayaks em plena passadeira. Foi reportado a quem de direito.

O Darque Kayak Clube, alega que a motivação desta ameaça contra os estes atletas e tecnicos prende-se provavelmente ao facto de quererem impedir que estes atletas participem na prova de paracanoagem, categoria KS1, destinada a atletas com deficiência intelectual no campeonato nacional de regatas em linha do dia 21 de julho de 2019, diz o DKC, em comunicado.

“Tem-se sentido nos últimos tempos a presença deste e outros canoistas alheios à DKC, nas horas, dias e locais de treino destes atletas portadores de deficiência intelectual, bem como à quase dois anos atletas, técnicos e dirigentes tem sido alvo sistemático de comportamentos de ameaças, injúrias e até de ofensas à integridade física”, pode ler-se no texto.

Leia o email enviado à organização do evento:
“Agradecendo a vossa pronta resposta, é nosso entendimento não estarem reunidas as condições mínimas de segurança para a participação dos nossos dois atletas de paracanoagem na categoria KS1, nomeadamente na categoria de deficiência intelectual.

Assim, sem medidas de segurança (ou acréscimo), é nosso entendimento que se poderá repetir o episódio de ameaças à integridade física grave e mesmo ameaças à vida por parte de canoista (s) federados, assim como episódios reiterados de violência no desporto tais como comentários depreciativos, ameaças, injurias…,

Pelo perfil dos nossos atletas não parece razoável submetê-los a tais comportamentos, nem parece razoável manchar uma prova que por si só, pelos seus intervenientes deveria ser mais nobre e consensual e não serem objeto desta componente negativa que está a viver uma parte da náutica de Viana.

Para preservar a integridade física e moral dos atletas portadores de deficiência mental, dos técnicos e dirigentes, bem como não prejudicar o espírito que deverá ser nobre da paracanoagem decidiu-se retirar a inscrição destes dois atletas do campeonato nacional de regatas em linha 2019 KS1”.

Lamentando o sucedido e esperando melhores dias para que exista algum esforço para repor os mais nobres valores da ética desportiva e do desporto sem violência

Continuar a ler

Viana do Castelo

Prédio Coutinho: VianaPolis pode ter manipulado as contas nos últimos nove anos

Segundo reportagem da RTP

em

Foto: O MINHO

O programa ‘Sexta às Nove’ da RTP apresentou uma reportagem tem a empresa pública ‘VianaPolis’ como protagonista. Segundo o programa, as contas terão sido manipuladas nos últimos nove anos.

A empresa que existe apenas para demolir o ‘famoso’ prédio Coutinho em Viana, apresenta anualmente resultados líquidos zero, “através de uma operação contabilística que alegadamente escondeu prejuízos”, revela o ‘Sexta às Nove’.

Confrontada com estes dados pela estação pública, a VianaPolis nega qualquer manipulação e garante que as contas passaram sempre pelo crivo do Ministério das Finanças.

Mas há mais revelações. 34 milhões de euros terão sido o valor gasto pela VianaPolis para tentar demolir o prédio Coutinho. “Só em indemnizações aos moradores foram 15,9 milhões. Mas o impasse mantém-se com vários processos pendentes em tribunal”.

O Sexta às 9 analisou os relatórios e contas da VianaPolis publicados na última década e concluiu: “os resultados líquidos são sempre nulos, o que levanta a suspeita de manipulação de contas para ocultar prejuízos”.

O Ministério das Finanças garantiu ao programa que este mecanismo contabilístico foi autorizado.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Já viu o filme promocional da Romaria d’Agonia?

A Nossa Senhora d’Agonia, em Viana do Castelo, é a maior romaria do país. Em 2019, realiza-se entre 16 e 20 de agosto. Imagens: VianaFestas

em

Festas de Viana do Castelo realizam-se, em 2019, entre 16 e 20 de agosto.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: Romaria d’Agonia >

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares