Seguir o O MINHO

Braga

Eleições no PSD. Ricardo Rio não apoia nem Santana Lopes nem Rui Rio

em

Ricardo Rio, presidente da Câmara de Braga, revelou esta quarta-feira publicamente que se irá manter “neutral” na corrida à liderança do Partido Social Democrata (PSD), na qual são candidatos Rui Rio e Pedro Santana Lopes, apesar de achar que os dois “têm poucas afinidades”, que “os estilos e perfis de possível liderança que um e outro corporizam são também substancialmente diferentes” e que “seriam diferentes as relações que poderiam estabelecer, enquanto líderes do PSD, com o Governo e o Presidente da República em funções”.

Num artigo de opinião publicado no jornal “Correio da Manhã”, sob o título “Neutral”, o autarca bracarense justifica que “não é fácil assumir que uma via seja absolutamente mais certa ou melhor que a outra”.

“Entre fragilidades e virtudes, cada militante poderá fazer o seu juízo sobre aquela alternativa que mais lhe agrada ou que mais se adequa ao momento do partido e do país”, afirma, antes de escrever, preto no branco, que “é também por isso que manterei a minha neutralidade até ao dia 13 de janeiro, data em que não deixarei de exercer o meu direito de voto como militante de base“.

Jornadas Parlamentares do PSD em Braga, na passada segunda-feira. Foto: DR

Recorde-se que, na passada segunda-feira, os dois candidatos estiveram em Braga, durante as jornadas parlamentares dos deputados do PSD, tendo cada um apresentado as suas ideias, separadamente, numa reunião em que Ricardo Rio também esteve presente.

No mesmo texto publicado no CM, o presidente da Câmara de Braga prevê que “o prolongamento da campanha eleitoral só pode resvalar para o ataque pessoal que apenas servirá para municiar os adversários no futuro, pouco acrescentando ao debate sobre o caminho que o Partido deve seguir ao longo dos próximos anos”, antevendo que, durante esse período, “dificilmente os candidatos se podem transfigurar face à imagem que os militantes têm de um e de outro”.

Rio confessa, ainda, saudades pelo modelo de eleição do líder em Congresso, o qual vigorou antes do atual modelo de eleição direta, aberto a todos os militantes do partido e não apenas a congressistas.

No distrito de Braga, um dos mais relevantes na disputa pela liderança, Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Famalicão, já assumiu o seu apoio a Santana Lopes.

Populares