Seguir o O MINHO

Arcos de Valdevez

Edição 2018 do ‘Desencaminharte’ finaliza, hoje, nos Arcos de Valdevez

10 autores portugueses intervieram na paisagem de 10 municípios do Alto Minho

em

Foto: Divulgação

A edição de 2018 do ‘Desencaminharte’ fica concluída hoje, a partir das 16:00, na Casa das Artes de Arcos de Valdevez.


Para finalizar o projeto que desafiou dez autores a intervir na paisagem de dez municípios do Alto Minho é estreado um filme de Miguel C. Tavares sobre as obras realizadas, seguida de um debate com os dez autores dos projetos e a apresentação do livro “Arte aplicada ao Lugar – Desencaminharte 2018” com textos de Valter Hugo Mãe, Laura Castro e Mariana Pestana.

O evento terá início com a apresentação pública de um filme de Miguel C. Tavares, “uma construção visual e sonora a partir das obras realizadas nesta edição”, segundo nota da organização.

Seguir-se-á uma conversa com os autores dos projetos moderada por Laura Castro, onde estarão presentes Fernanda Fragateiro, FAHR 021.3, depA, STILL urban design + Miguel Seabra, Dalila Gonçalves, Pablo Pita, André Banha, Barão-Hutter, João Mendes Ribeiro e Gabriela Albergaria.

O evento terminará com o lançamento do livro “Arte aplicada ao lugar – DESENCAMINHARTE 2018” que, “mais do que um catálogo, pretende ser uma viagem pelo território e uma oportunidade de reflexão sobre as premissas lançadas”.
Neste sentido, foram convidados Laura Castro, Mariana Pestana e Valter Hugo Mãe para que, “com contributos distintos, mas complementares, escrevessem os ensaios que completam assim o retrato desta edição”.

O projeto, promovido pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho e programado pelo coletivo HODOS, visa fomentar a criação artística na região.

À semelhança do ano anterior, o DESENCAMINHARTE é cofinanciado pelo programa Norte 2020 – Programa Operacional Regional do Norte.

Anúncio

Alto Minho

Acidente com trator faz um ferido grave em Arcos de Valdevez

Ocorrência

em

Foto: Bombeiros de Arcos de Valdevez

Um homem de 50 anos sofreu ferimentos considerados graves na sequência de um acidente com trator, na manhã desta quarta-feira, em Arcos de Valdevez.

A vítima ficou com o braço esquerdo preso debaixo do trator e os Bombeiros de Arcos de Valdevez tiveram que fazer manobras de desencarceramento.

O acidente deu-se no lugar da Bugalhosa, freguesia de Miranda, quando o homem, que tinha estado a fazer trabalhos no monte, perdeu o controlo do veículo no caminho de acesso à estrada municipal, o qual tem muita inclinação, tendo o trator capotado.

“Ficou preso debaixo do trator com um braço. Foi uma operação muito delicada, mas conseguimos levar o socorro a bom porto e a vítima já está neste momento a ser estabilizada”, explicou a O MINHO o comandante dos Bombeiros de Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães.

O alerta para o sinistro foi dado às 8:37.

O socorro contou com o apoio da VMER de Viana do Castelo e da SIV de Arcos de Valdevez.

Os Bombeiros de Arcos de Valdevez estiveram no local com nove operacionais apoiados por três viaturas.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Alto Minho

Arcos de Valdevez: Ameaçava divulgar vídeo sexual para extorquir dinheiro à namorada

Suspeito detido

em

Foto: Ilustrativa / DR

Um homem de 31 anos, da Maia, foi constituído arguido pelos crimes de violência doméstica, ameaças e extorsão à namorada, de 26 anos, de Arcos de Valdevez, informou hoje a GNR.

Contactada por O MINHO, fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo adiantou que a investigação do caso foi iniciada há dois meses, inicialmente por suspeita da prática de crimes de violência doméstica.

No decurso da operação, os militares da GNR detetaram a prática dos crimes de ameaças e extorsão alegadamente praticados pelo suspeito sobre a vítima, que apresentou queixa no posto daquela força policial em Arcos de Valdevez.

O homem e a mulher “mantiveram uma relação análoga à dos cônjuges, na qual existiram insultos e ameaças”, refere a GNR em comunicado hoje enviado às redações.

Na nota, aquela força policial explicou que, “durante um encontro íntimo e sem o consentimento da mulher, o homem efetuou gravações ilícitas dos atos sexuais, que depois utilizou para extorquir quantias de dinheiro”.

“O homem ameaçava divulgar o vídeo caso a vítima não lhe comprasse roupas e acessórios e não lhe desse as quantias de dinheiro que lhe pedia”, acrescenta.

No decurso da investigação, os militares deram cumprimento a dois mandados de busca, um à residência do suspeito e outro ao seu veículo, tendo sido apreendidos três telemóveis, um computador e 260 euros.

O homem foi constituído arguido e os factos remetidos para o Tribunal Judicial de Arcos de Valdevez.

A ação contou com o reforço do posto territorial de São Julião e Freixo, bem como com o apoio da Polícia de Segurança Pública (PSP) da Maia.

Continuar a ler

Alto Minho

Casas de turismo rural em Arcos de Valdevez já estão lotadas até setembro

Covid-19

em

Foto: DR

O afastamento de grandes aglomerações, a tranquilidade e o contacto com a natureza fizeram disparar, nesta fase de desconfinamento, a procura pelas casas de turismo rural em Arcos de Valdevez.

De acordo com reportagem da RTP, as reservas já estão esgotadas até setembro e os proprietários nunca registaram tão grande aumento da procura, exclusivamente por portugueses.

“É uma procura imensa”, salienta à RTP Rui Leal, proprietários de seis casas de turismo rural.

Antes, este tipo de habitação era muito procurado por estrangeiros, mas, este ano, segundo outro proprietário, João Serôdio, também em declarações à RTP, “é 100% português”, o que “não era habitual”.

A freguesia de Sistelo é das mais procuradas. Sandra Santos, proprietária, considera que a vitória no concurso 7 Maravilhas de Portugal, em 2017, fez com que as pessoas procurassem mais aquela aldeia que, nesta altura, se afirma como o recanto ideal “para descomprimir da prisão destes meses” de pandemia.

Segundo a RTP, o município de Arcos de Valdevez afirma que a procura de alojamento no concelho aumentou mais de 600%.

Continuar a ler

Populares