Seguir o O MINHO

Futebol

“É uma luta muito difícil”

Vítor Oliveira

em

Foto: Paulo Jorge Magalhaes / O MINHO

Declarações no final do encontro Sporting-Gil Vicente (2-1), da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio José Alvalade:


– Vítor Oliveira (treinador do Gil Vicente): “Penso que se tivéssemos marcado mais cedo podíamos ter perturbado a equipa do Sporting. Não foi possível, penso que a vitória foi justa – e é sempre justa porque o resultado reflete os golos marcados -, mas foi um jogo dividido, em que criámos três ou quatro ocasiões. O Sporting, a meio da segunda parte, teve também um período em que podia ter fechado o jogo. Teve um sabor um bocadinho amargo, porque fizemos talvez o suficiente para conseguir outro resultado.

[Sobre as contas da manutenção na I Liga] É uma luta muito difícil para as sete equipas, temos consciência de que ainda não está resolvido. Nós vamos preparar-nos para fazer mais pontos, temos consciência das dificuldades que vamos encontrar, assim como os outros clubes também vão encontrar dificuldades. Os mais competentes vão ficar e os menos competentes vão descer”.

– Rúben Amorim (treinador do Sporting): “Olho para cima e tenho um clube a nove pontos e olho para baixo e tenho um a cinco. O foco é segurar a posição, temos um calendário muito difícil e não acho que o terceiro ou até o quarto lugar esteja garantido. Não é falta de ambição. Sou realista e penso que jogo a jogo vamos fazer o caminho que temos de fazer.

Aquilo que tenho vindo a dizer é que sei que os adeptos do Sporting querem títulos. Temos até o exemplo do Liverpool, que levou muitos anos a conseguir aquilo que tem agora. Não sabemos o dia de amanhã e é difícil para os jogadores, sobretudo jovens, pensarem dois ou três jogos à frente. Desde que entrei aqui que o objetivo é que o próximo jogo é para ganhar e não há maior ambição do que essa.

[Trajetória melhor do que os rivais na retoma do campeonato] Parece que sim, mas tivemos tempo para preparar [a equipa]. Nisso a pandemia ajudou-nos um pouco. O sentido inverso é o nosso trabalho. Sofremos em todos os jogos, nunca sentimos o jogo claramente controlado, mas sofremos todos juntos e, para mim, é um prazer enorme sofrer com eles. Mais do que a técnica ou tática, por vezes é isso que faz uma equipa forte.

[Sobre a aposta em mais jogadores da formação] Sabemos que eles [Joelson Fernandes e Tiago Tomás] precisam de tirar a estreia do corpo e vão evoluir com os jogos. Temos também jogadores experientes que os ajudam nesta fase e os resultados também ajudam.

[Sobre o que tem a ensinar] Tenho tido bons jogadores, o que ajuda muito, e tenho tido sorte nos momentos certos, gente que acredita em mim, gente que acreditou aqui e foi contra outros pagando um valor alto. Não tenho nada a ensinar a eles, tenho, sim, a aprender muito”.

Anúncio

Futebol

Famalicão refuta acusações de racismo em jogo com o Benfica

Racismo

em

Foto: DR

O Famalicão refutou, em comunicado, as acusações de racismo em jogo com o Benfica, no encontro da Taça de Portugal em futebol feminino, entre ambas as equipas, que se realizou na passada quinta-feira.

O clube famalicense, que tem a seu cargo o futebol feminino (a SAD gere o futebol profissional masculino), explicou a presença de pessoas nas bancadas, quando o jogo foi realizado à porta fechada e esclareceu que foram cumpridas as normas da Direção-Geral da Saúde.

“A entrada de pessoas na Academia do FC Famalicão foi controlada de acordo com as recomendações da DGS, havendo lugar à devida credenciação das mesmas. Todas as pessoas presentes na bancada pertenciam a uma destas categorias: órgãos sociais, staff do clube, staff da FPF e comunicação social. Além do futebol feminino, vários atletas de escalões de formação fazem usufruto das estruturas da Academia e, por isso, o respeito pelas normas da DGS é e sempre foi a principal preocupação do clube em tempos de pandemia”, pode ler-se no comunicado.

O Famalicão salientou ainda que “censurará sempre qualquer forma de racismo, violência ou desrespeito pelo outro”.

“Antes pelo contrário, [o Famalicão] defende o futebol como universal que não distingue cores, raças ou géneros. Dos largos anos de história do clube, nunca se registaram manifestações deste cariz e, por esse motivo, não nos parece justo que estas acusações definam aquilo que é o FC Famalicão, os seus princípios e valores. Mais informamos que a situação já foi averiguada internamente não tendo havido reporte de qualquer ato racista contra a jogadora Christy Ucheibe”, refere o comunicado.

O clube refere que “a Academia FC Famalicão é a casa de mais de 500 atletas oriundos de diferentes cidades, países e continentes”.

“Além da componente futebolística, primamos por educar na cidadania, no respeito pelo outro e na inclusão. Só assim faz sentido formar no futebol”, conclui o documento.

O Benfica referiu que a jogadora nigeriana Christy Ucheibe, titular na vitória por 2-1 em Vila Nova de Famalicão e que valeu às ‘águias’ a passagem à final da competição, foi alvo de “manifestações racistas” vindas da bancada.

O clube da Luz estranhou ainda aquilo que considera um número elevado de pessoas nas bancadas, quando o futebol se disputa à porta fechada e num dia em que o primeiro-ministro, António Costa, anunciou o regresso à situação de calamidade, devido à pandemia da covid-19.

Continuar a ler

Futebol

Avançada de 16 anos do Famalicão chamada à seleção A de futebol feminino

Maria Negrão

em

Foto: FPF

A avançada do Famalicão Maria Negrão, de 16 anos, foi chamada à seleção portuguesa de futebol feminino, com vista aos dois jogos com Chipre, da qualificação para o Euro2021, informou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Face à “indisponibilidade de Vanessa Marques”, que fazia parte das 25 escolhas iniciais, o selecionador Francisco Neto promoveu a estreia da jovem, que integra o plantel principal do Famalicão, pelo qual alinhou em quatro jogos esta época e marcou um golo.

Maria Negrão, que completa 17 anos em dezembro, tem representado Portugal nas camadas jovens e esteve presente no último Campeonato da Europa de sub-17.

A equipa das ‘quinas’ joga em Larnaca, em 23 de outubro, a partir 19:00 (17:00, em Lisboa), recebendo a seleção cipriota quatro dias depois, pelas 18:00, no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril.

A fase final do Campeonato Europeu, em Inglaterra, deveria ocorrer no verão de 2021, mas acabou adiada para julho de 2022, devido à pandemia de covid-19.

Portugal ocupa a terceira posição no Grupo E de qualificação, com quatro pontos, atrás da Escócia, que tem seis, e da líder Finlândia, com 10, mas mais dois encontros realizados. Albânia, com três, segue em quatro, enquanto o Chipre, em último, ainda não somou qualquer ponto.

Apuram-se para a fase final os vencedores de cada grupo mais os três segundos classificados com melhores resultados face ao primeiro, terceiro, quarto e quinto no seu grupo.

Os restantes segundos vão disputar um ‘play-off’ em data a definir, para assegurar as últimas três vagas na fase final.

Lista das 25 convocadas

– Guarda-redes: Rute Costa (Famalicão), Inês Pereira (Sporting) e Patrícia Morais (Sporting).

– Defesas: Alicia Correia (Sporting), Carole Costa (Benfica), Diana Gomes (SC Braga), Joana Marchão (Sporting), Matilde Fidalgo (Benfica), Mónica Mendes (Sporting) e Sílvia Rebelo (Benfica).

– Médios: Ana Capeta (Sporting), Andreia Norton (SC Braga), Andreia Jacinto (Sporting), Andreia Faria (Benfica), Cláudia Neto (Fiorentina, Ita), Dolores Silva (SC Braga), Fátima Pinto (Sporting), Mélissa Gomes (Reims, Fra) e Tatiana Pinto (Sporting).

– Avançadas: Ana Borges, (Sporting), Ana Leite (Borussia Bocholt, Ale), Diana Silva (Aston Villa, Ing), Francisca Cardoso (Heerenveen, Hol), Telma Encarnação (Marítimo) e Maria Negrão (Famalicão).

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente e Sporting defrontam-se no dia 28

Jogo da primeira jornada adiado devido à covid-19

em

Foto: Gil Vicente FC

O jogo entre Sporting CP e o Gil Vicente FC, adiado por causa dos casos de covid-19 em ambas as equipas, será realizado no dia 28 de outubro (quarta-feira), pelas 21H45, anunciou hoje a Liga de Clubes.

Trata-se de um jogo em atraso da primeira jornada da Liga NOS e esta foi a data encontrada pelos clubes e pelo operador, para que se realize.

“O facto deste encontro ter pontapé de saída marcado para as 21H45, mais tarde que o habitual, deve-se ao acordo existente no Memorando de Entendimento entre a UEFA e a European Leagues, que impede a sobreposição de jogos das primeiras ligas, no caso português Liga NOS, com jogos da UEFA Champions League. Nesse dia, note-se, joga-se parte da segunda jornada da Fase de Grupos da UEFA Champions League”, salienta a Liga Portugal.

Continuar a ler

Populares