Seguir o O MINHO

Futebol

“É frustrante sofrer um golo aos 90+2 minutos, quase com o resultado na mão”

‘Flash interview’ (vídeo) e conferência de imprensa (texto)

em

Declarações dos treinadores do Moreirense e do FC Porto, após o jogo da 21.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que terminou com um empate (1-1):


Ivo Vieira (treinador do Moreirense): “[O comportamento] dos jogadores foi fantástico. Este empate deve-se ao trabalho deles à semana e ao desempenho nestes meses em que temos trabalhado juntos. É frustrante sofrer um golo aos 90+2 minutos, quase com o resultado na mão, mas temos de ser equilibrados na avaliação do jogo. Na primeira parte, o FC Porto foi mais forte. Cometemos alguns erros em posse.

Na segunda parte, tentámos libertar os jogadores e fazê-los acreditar que era possível fazer melhor. Na minha opinião, o Moreirense foi mais forte. O resultado acaba por ser justo, porque o FC Porto criou as suas situações, mas há sempre um sabor amargo quando se está a ganhar e se sofre um golo aos 90. O resultado acaba por ser justo. Foi um jogo com duas equipas a procurar a baliza do adversário.

Esperávamos o Fernando [Andrade] na frente, num 4x2x4, ou o Danilo ou o Loum no meio-campo, em 4x3x3. Estávamos preparados para as duas situações. Tivemos pouco tempo para preparar este jogo, mas o suficiente para preparar a equipa em termos táticos.

O nosso futebol está carente de espetáculo e de audácia e nós estamos a pagar um pouco por isso a nível internacional. Hoje, só temos uma equipa na Liga dos Campeões e uma outra na pré-eliminatória. Se todos fôssemos mais corajosos, a não jogar só para o ponto, íamos crescer muito e aqueles que representam Portugal iriam estar mais fortes lá fora, tal como há 10 anos, quando metíamos três equipas na Liga dos Campeões.

Eu defendo esta ideia de jogo, de atrevimento, nunca faltando ao respeito pela valia das outras equipas. Ou ficamos no nosso meio-campo e perdemos por 1-0, sem fazer nada para ganhar, ou perdemos por 1-0 ou por 2-1, a tentar ganhar. Os resultados estão à vista. Com o Benfica, [ganhámos] 3-1. Hoje foi 1-1. Creio que Portugal só pode crescer assim.”

Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “À quantidade de ocasiões que tivemos nos dois últimos jogos, ganhávamos de forma tranquila se fôssemos eficazes, independentemente do bom trabalho das duas equipas com quem jogámos, Vitória [de Guimarães] e Moreirense, que foram competentes, competitivas e dificultaram ao máximo a nossa tarefa.

Fizemos uma boa primeira parte, chegando ao último terço com alguma facilidade. Tivemos três, quatro situações em que poderíamos ter definido de forma diferente. Só num momento de bola longa, o adversário criou perigo, num lance do Heriberto.

No início da segunda parte, até aos 20 minutos, não estivemos tão bem. Atacámos à pressa e não depressa. Por se atacar à pressa, houve falta de equilíbrio em termos defensivos. Daí o Moreirense ter atacado mais, mas sem grande perigo.

Depois fomos mais intensos, mas sofremos um golo de bola parada. Fomos à procura do golo, tal como no início. Depois de marcar, tivemos duas ocasiões para vencer o jogo, mas a nossa eficácia ofensiva não tem sido a melhor. Tirando os primeiros 20, 25 minutos da segunda parte, a jogar assim, os resultados vão aparecer.

Até ao final da época, não vou falar de arbitragem. A minha agenda tem o símbolo do FC Porto e por baixo o nome do presidente, Jorge Nuno Pinto da Costa.

No ano passado, estivemos em primeiro lugar, depois baixámos para o segundo lugar, mas acabámos em primeiro.

Este é o 26.º jogo sem perder. É de louvar todo o trabalho feito no FC Porto. Não é normal [a ineficácia apresentada], mas são ciclos que acontecem numa época. Temos de perceber o que temos de melhorar e olhar para o próximo jogo, da Liga dos Campeões [com a Roma]. Aqui há trabalho, qualidade individual e coletiva, e vamos disputar o campeonato até ao final.”

Anúncio

Futebol

“O SC Braga joga sempre para ganhar e é disso que eu preciso”

Mercado de transferências

em

Foto: Divulgação / SC Braga

Nicolas Gaitán considerou hoje que o SC Braga “joga sempre para ganhar” e essa foi uma das razões principais para escolher o clube minhoto da I Liga de futebol.

“O SC Braga sempre foi uma equipa que lutou sempre para ganhar. Ganhou uma taça [Taça da Liga] no último ano. É uma equipa que joga sempre para ganhar e é disso que preciso. Umas vezes ganha-se, outras não, mas que a ideia seja sempre ganhar. É muito melhor para um jogador porque tem a ideia definida e isso torna tudo mais fácil”, detalhou o jogador ao sítio do clube.

Gaitán, que assinou por uma temporada por mais uma de opção, disse ter “muita vontade de começar a treinar”, assim como de conhecer os companheiros e a equipa técnica liderada por Carlos Carvalhal – “e de começar a jogar o mais depressa possível”.

“Vou fazer o meu trabalho, como fiz em todas as equipas que representei. O que posso prometer é que vou treinar, trabalhar, ajudar os meus companheiros e tentar que desfrutem do jogo da equipa”, disse.

Já o presidente dos ‘arsenalistas’, António Salvador, revelou ter ficado “muito contente” com a primeira conversa com o jogador que alinhou no Benfica durante seis épocas.

“Disse-me que tinha outras propostas muito mais vantajosas financeiramente, mas que gostaria de regressar a Portugal para um clube que lhe desse condições e onde pudesse demonstrar toda a sua qualidade futebolística. O Braga dá-lhe isso”, declarou.

Para António Salvador, a vinda de Gaitán para Braga “é sinal do crescimento e da afirmação do clube, tanto nas competições nacionais como europeias”.

“O SC Braga é um clube que tem feito excelentes carreiras nas competições europeias. O Gaitán é um dos grandes jogadores que já atuaram no campeonato português e é mais um atleta para ajudar-nos a atingir os nossos objetivos. Vai acrescentar qualidade a um plantel que já está recheado de grandes jogadores”, disse também ao sítio oficial do clube.

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente faz exames médicos no final da semana e treina a partir de segunda-feira

I Liga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O plantel do Gil Vicente vai regressar aos treinos na segunda-feira, após cumprir os habituais exames médicos entre quinta e sexta-feira, confirmou hoje à agência Lusa fonte do clube da I Liga portuguesa de futebol.

Além da avaliação clínica dos atletas, o arranque dos trabalhos da época 2020/21 prevê a realização de testes de despistagem à covid-19 a cada elemento da estrutura minhota, antes dos primeiros aprontos, que serão repartidos entre os relvados dos estádios Cidade de Barcelos e Adelino Ribeiro Novo e dos Campos de Galegos e de Carvalhal.

A calendarização do estágio e dos jogos de preparação do Gil Vicente continua por definir, ao contrário do investimento em reforços, que já contempla os defesas Souleymane Aw (ex-Avenir Béziers), Talocha (ex-Riga FC) e Tim Hall (ex-Karpaty), os médios Antoine Léautey (ex-Chamois Niortais) e Kanya Fujimoto (emprestado pelos japoneses do Tokyo Verdy) e o avançado Boubacar Hanne (ex-Wolverhampton).

De saída estão o guarda-redes Wellington Luís e o médio Léo Cordeiro, além do fim das cedências do guardião Bruno Diniz (Náutico), dos defesas Alex Pinto (Benfica) e Arthur Henrique (Ferroviária), do centrocampista Bozhidar Kraev (Midtjylland) e dos avançados Sandro Lima (Grêmio Anápolis), Yves Baraye (Parma) e Zakaria Naidji (Paradou).

O Gil Vicente oficializou o treinador Rui Almeida como sucessor de Vítor Oliveira, que conduziu os ‘galos’ a uma campanha tranquila na I Liga em 2019/20, culminada na 10.ª posição, com 43 pontos, 10 acima da zona de despromoção, numa época marcada pelo regresso administrativo à elite, a partir do Campeonato de Portugal, após o ‘caso Mateus’.

Continuar a ler

Futebol

É oficial: Gaitán já veste as cores do SC Braga

I Liga

em

Foto: DR

O SC Braga acabou de oficializar, ao final da manhã desta terça-feira, Nico Gaitán como reforço.

O internacional argentino Nicolas Gaitán assinou um contrato Braga válido por uma época, com outra de opção, informou hoje o clube.

Formado no Boca Juniors, o esquerdino, que jogou durante seis temporadas no Benfica, alinhou, na última época, a partir de janeiro, no Lille.

Antes, jogou nos norte-americanos do Chicago Fire e nos chineses do Dalian Pro depois de uma época e meia no Atlético de Madrid, para o qual se transferiu em 2016/17 dos ‘encarnados’.

Gaitán, de 32 anos, chegou a custo zero e, num vídeo de apresentação, diz “confessar que não esperava o convite” do clube minhoto.

O extremo é o sexto reforço dos ‘arsenalistas’ depois de Zé Carlos (ex-Leixões), Al Musrati (ex-Vitória de Guimarães), André Castro (ex-Goztepe, da Turquia), Iuri Medeiros (emprestado pelos alemães do Nuremberga) e Guilherme Schettine (ex-Santa Clara).

Notícia atualizada às 13h58 com mais informação.

Continuar a ler

Populares