Seguir o O MINHO

Futebol

“É frustrante sofrer um golo aos 90+2 minutos, quase com o resultado na mão”

‘Flash interview’ (vídeo) e conferência de imprensa (texto)

em

Declarações dos treinadores do Moreirense e do FC Porto, após o jogo da 21.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que terminou com um empate (1-1):

Ivo Vieira (treinador do Moreirense): “[O comportamento] dos jogadores foi fantástico. Este empate deve-se ao trabalho deles à semana e ao desempenho nestes meses em que temos trabalhado juntos. É frustrante sofrer um golo aos 90+2 minutos, quase com o resultado na mão, mas temos de ser equilibrados na avaliação do jogo. Na primeira parte, o FC Porto foi mais forte. Cometemos alguns erros em posse.

Na segunda parte, tentámos libertar os jogadores e fazê-los acreditar que era possível fazer melhor. Na minha opinião, o Moreirense foi mais forte. O resultado acaba por ser justo, porque o FC Porto criou as suas situações, mas há sempre um sabor amargo quando se está a ganhar e se sofre um golo aos 90. O resultado acaba por ser justo. Foi um jogo com duas equipas a procurar a baliza do adversário.

Esperávamos o Fernando [Andrade] na frente, num 4x2x4, ou o Danilo ou o Loum no meio-campo, em 4x3x3. Estávamos preparados para as duas situações. Tivemos pouco tempo para preparar este jogo, mas o suficiente para preparar a equipa em termos táticos.

O nosso futebol está carente de espetáculo e de audácia e nós estamos a pagar um pouco por isso a nível internacional. Hoje, só temos uma equipa na Liga dos Campeões e uma outra na pré-eliminatória. Se todos fôssemos mais corajosos, a não jogar só para o ponto, íamos crescer muito e aqueles que representam Portugal iriam estar mais fortes lá fora, tal como há 10 anos, quando metíamos três equipas na Liga dos Campeões.

Eu defendo esta ideia de jogo, de atrevimento, nunca faltando ao respeito pela valia das outras equipas. Ou ficamos no nosso meio-campo e perdemos por 1-0, sem fazer nada para ganhar, ou perdemos por 1-0 ou por 2-1, a tentar ganhar. Os resultados estão à vista. Com o Benfica, [ganhámos] 3-1. Hoje foi 1-1. Creio que Portugal só pode crescer assim.”

Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “À quantidade de ocasiões que tivemos nos dois últimos jogos, ganhávamos de forma tranquila se fôssemos eficazes, independentemente do bom trabalho das duas equipas com quem jogámos, Vitória [de Guimarães] e Moreirense, que foram competentes, competitivas e dificultaram ao máximo a nossa tarefa.

Fizemos uma boa primeira parte, chegando ao último terço com alguma facilidade. Tivemos três, quatro situações em que poderíamos ter definido de forma diferente. Só num momento de bola longa, o adversário criou perigo, num lance do Heriberto.

No início da segunda parte, até aos 20 minutos, não estivemos tão bem. Atacámos à pressa e não depressa. Por se atacar à pressa, houve falta de equilíbrio em termos defensivos. Daí o Moreirense ter atacado mais, mas sem grande perigo.

Depois fomos mais intensos, mas sofremos um golo de bola parada. Fomos à procura do golo, tal como no início. Depois de marcar, tivemos duas ocasiões para vencer o jogo, mas a nossa eficácia ofensiva não tem sido a melhor. Tirando os primeiros 20, 25 minutos da segunda parte, a jogar assim, os resultados vão aparecer.

Até ao final da época, não vou falar de arbitragem. A minha agenda tem o símbolo do FC Porto e por baixo o nome do presidente, Jorge Nuno Pinto da Costa.

No ano passado, estivemos em primeiro lugar, depois baixámos para o segundo lugar, mas acabámos em primeiro.

Este é o 26.º jogo sem perder. É de louvar todo o trabalho feito no FC Porto. Não é normal [a ineficácia apresentada], mas são ciclos que acontecem numa época. Temos de perceber o que temos de melhorar e olhar para o próximo jogo, da Liga dos Campeões [com a Roma]. Aqui há trabalho, qualidade individual e coletiva, e vamos disputar o campeonato até ao final.”

Anúncio

Futebol

António Salvador e Pinto da Costa “unidos” pela Taça da Liga

Jantar de gala da Taça da Liga

em

Foto: Divulgação / Liga Portugal

Nem sempre o relacionamento entre António Salvador (SC Braga) e Jorge Nuno Pinto da Costa (FC Porto) foi um mar de rosas.

Mas, ao longo do último ano, foram já duas as vezes que dois dos três presidentes mais antigos da I Liga (a par de Carlos Pereira, no Marítimo) se encontraram ao redor de uma mesa.

A um dia de ser conhecido o próximo Campeão de Inverno, a tribuna presidencial do Estádio Municipal de Braga engalanou-se para receber o jantar oficial da final da Taça da Liga (Allianz Cup).

O evento juntou Salvador e Pinto da Costa, representantes dos clubes que atingiram a final, com o presidente da Liga Portugal, Pedro Proença.

Também presentes estiveram o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, e José Francisco Neves, membro do comité executivo da Allianz.

Destaque, ainda, para as presenças de Manuel Machado, presidente da AF Braga, e de José Lourenço Pinto, presidente da AF Porto.

Continuar a ler

Futebol

De 0 a 10, João Pedro Sousa dá “nota 11” à primeira volta do Famalicão

I Liga

em

Foto: Divulgação

O treinador do Famalicão, João Pedro Sousa, admitiu esta sexta-feira que, de 0 a 10, o plantel famalicense “merece nota 11” pelo desempenho na primeira metade da I Liga de futebol.

O técnico revelou-se bastante satisfeito com o trabalho conseguido pelo grupo e assumiu que quer dar seguimento ao que foi feito até agora.

“Dou nota 11. Foi uma primeira metade muito boa. Na primeira volta, só estivemos durante uma jornada abaixo do quarto lugar e estivemos muitas semanas no primeiro lugar. Estou muito contente com o que temos conseguido, agora não podemos pensar que as coisas estão terminadas. Temos muito para fazer e ainda temos uma meia-final da Taça para disputar que é muito importante para nós”, começou por dizer o técnico, que acredita que esta onda de sucesso do Famalicão é para continuar.

Sobre o adversário da 18.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, João Pedro Sousa disse estar à espera de dificuldades impostas pelo Santa Clara, apesar de vir de uma série de resultados menos bons.

“É uma equipa que vem de alguns resultados difíceis. Contudo, atendendo à qualidade do plantel, da equipa técnica e da ideia de jogar, estou em crer quer vão voltar rapidamente às vitórias. Cabe-nos, a nós, adiarmos esse regresso. Na última jornada, o Santa Clara fez um jogo muito competente em Guimarães e é isso que esperamos, um Santa Clara que vem de uma alteração do esquema tático e que em Guimarães mostrou ter comportamentos diferentes, conseguindo anular, em determinados períodos do jogo, uma equipa forte como é o Vitória. O Santa Clara vai tentar dificultar ao máximo a ligação da primeira para a segunda fase, com o losango a tentar limitar os espaços anteriores, mas trabalhámos durante a semana para ultrapassar isso”, disse.

João Pedro Sousa defendeu ainda que, no final das contas do campeonato, um “oitavo lugar não será suficiente”, ainda assim, não quis falar em competições europeias.

“Se estivemos tanto tempo em primeiro lugar, se estivemos uma única jornada abaixo do terceiro lugar, temos que pensar da mesma forma para a segunda metade da prova. Não podemos pensar que o oitavo lugar será suficiente. O nosso grande objetivo é a permanência e esse vai ser cumprido, vamos lutar por fazer outros 31 pontos, mas se isso não acontecer não será, de todo, um insucesso”, finalizou o treinador.

O Famalicão, terceiro classificado, com 31 pontos, recebe este domingo, às 15:00, o Santa Clara, no 14.º lugar, com 17, num encontro da 18.ª jornada da I Liga portuguesa de

Continuar a ler

Futebol

Treinador do Porto põe mais pressão em cima do Braga

Sérgio Conceição “tranquilo” para a final da Taça da Liga

em

Foto: Divulgação / FC Porto

O treinador do FC Porto disse esta sexta-feira esperar um jogo diferente contra o SC Braga, que estará mais pressionado na final da Taça da Liga de futebol do que na vitória para o campeonato de sexta-feira.

O técnico dos ‘dragões’ salientou a vontade de toda a equipa conquistar o primeiro troféu da época e lembrou o trabalho desempenhado todos os dias para que isso possa acontecer.

“A vontade de ganhar todos os jogos é enorme. No que toca ao trabalho diário, a vontade dos jogadores é incrível. Para nós, todos os jogos são finais, quer nas taças, quer no campeonato, onde perdendo qualquer ponto fica difícil. Os jogos, para nós, são todos finais. Estamos habituados a este tipo de pressão, estamos num clube grande que vive de títulos”, disse.

Em relação às diferenças deste jogo para o da 17.ª jornada da I Liga, que os bracarenses venceram por 2-1 no Estádio do Dragão, Sérgio Conceição salientou a tranquilidade com que os bracarenses foram para o encontro da passada sexta-feira.

“Se calhar o Braga, perdendo aqui, não ia diferenciar muito o que é a sua posição na tabela. Vieram com responsabilidade, mas também alguma tranquilidade. Amanhã será diferente, é um jogo de decisão, o chamado mata-mata. Em termos de pressão para o jogo, penso que será um bocadinho diferente para o Braga. Aqui os jogos são todos com pressão de ganhar”, lembrou.

A Taça da Liga é o único troféu que falta no museu do Dragão apesar de o FC Porto já ter disputado três finais e, hoje, o técnico esclareceu que não existe mais pressão para o jogo pelo facto de os ‘portistas’ nunca terem arrecadado a Taça da Liga.

“A vontade de ganhar todos os jogos é enorme. A vontade dos jogadores no trabalho diário é incrível. Os jogos são todos finais para nós, sejam os que definem títulos, sejam os do campeonato em que perdendo qualquer ponto fica difícil. A Taça de Portugal é igual. São todos finais. Estamos habituados a este tipo de pressão, faz parte do andamento normal de um clube grande que vive de títulos. Estamos completamente focados no título em si e não na sua importância por outros fatores”, disse ainda.

Danilo foi reintegrado hoje nos trabalhos com o restante plantel, no entanto a presença do médio no jogo com o Sporting de Braga ainda não é certa, conforme explicou o treinador dos ‘azuis e brancos’.

“Hoje foi a primeira unidade de treino que fez. Não tive oportunidade de saber como o jogador reagiu. Não é nenhum tipo de ‘bluff’ e não sabemos se está a 100%. Mas, independentemente de quem jogar, o compromisso de todos os jogadores é total. Estou completamente tranquilo em relação a isso”, explicou o técnico em conferência de imprensa de antevisão à final da Taça da Liga.

O treinador confirmou ainda que Pepe, Nakajima e Zé Luís são baixas devido a lesão.

“Os jogadores que estiveram de fora no último jogo por lesão vão continuar de fora. Mas temos de olhar para os disponíveis e ir à luta. O caso do Pepe e do Nakajima são exatamente iguais. O Zé Luís, como sabem, é um problema num joelho”, afirmou ainda.

O FC Porto e o SC Braga defrontam-se este sábado, às 19:45 horas, no Estádio Municipal de Braga, na final da Taça da Liga.

Continuar a ler

Populares