Seguir o O MINHO

Braga

Distrito de Braga continua a ter a gasolina mais barata do país

Relatório de outubro da ERSE

em

Foto: Ilustrativa / DR

O distrito de Braga é o que tem a gasolina mais barata do país, segundo o relatório de outubro da ERSE – Entidade Reguladores dos Serviços Energéticos.

Em média, o gasóleo tem o preço 1,225 €/l (-1,8% em relação ao mês anterior) e a gasolina 1,419€ (-0,9%).

Já no distrito de Viana do Castelo, o gasóleo tem o preço médio de 1,244 €/l (-0,2%) e a gasolina 1,436 €/l (+0,2%).

A nível nacional, o preço médio da gasolina simples manteve-se inalterado em outubro face a setembro e o do gasóleo simples diminuiu 0,6%, para 1,239 euros/litro, o valor mais baixo dos últimos quatro meses, informou hoje a ERSE.

“O PVP [preço de venda ao público] do gasóleo simples registou a segunda descida consecutiva, contrariando no mês de outubro o aumento da cotação no mercado europeu. O último mês encerrou em tendência decrescente (-0,6%) face ao mês anterior, representando o valor mais baixo dos últimos quatro meses”, lê-se no boletim mensal do mercado de combustíveis da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Já o PVP médio da gasolina simples 95 “manteve-se praticamente constante face a setembro [nos 1,432 euros/litro], demonstrando uma estabilização do preço de mercado que se verifica desde julho”.

De acordo com o regulador, “a componente do PVP de maior expressão corresponde a impostos”, que em outubro representou 65,3% do total da fatura no caso da gasolina e 60,1% no do gasóleo.

Na gasolina, a cotação internacional e o respetivo frete passam a representar 17,7% da fatura, “refletindo a descida das cotações internacionais dos destilados ligeiros”, enquanto no gasóleo o valor da cotação internacional e frete representou 19,8% do valor final, peso que “tem vindo a diminuir desde julho”.

Quanto ao preço médio de venda do GPL (Gás de Petróleo Liquefeito) Auto, em outubro “diminuiu pela sétima vez neste ano, ainda que de uma forma pouco expressiva (-0,4%)”, situando-se nos 0,692 euros/litro.

Segundo a ERSE, no GPL “a cotação e o frete têm vindo a aumentar desde junho, atingindo em outubro os 27,1%”, sendo que “os impostos e a margem de comercialização representam cerca de três quartos do preço suportado pelo consumidor, tendo a margem sofrido uma ligeira redução face ao mês de setembro”.

De acordo com o regulador, “os hipermercados mantêm as ofertas mais competitivas nos combustíveis rodoviários seguidos pelos operadores do segmento ‘low cost’”.

Na gasolina simples, os preços praticados nos hipermercados situaram-se 2,5% abaixo dos operadores do segmento ‘low cost’ e foram 9% inferiores aos dos postos de abastecimento que operam sob a insígnia de uma companhia petrolífera, representando uma poupança de 13 cêntimos/litro.

Já no caso do gasóleo simples, os hipermercados apresentaram preços médios cerca de 11 cêntimos/litro abaixo do PVP médio nacional e os operadores com ofertas ‘low cost’ praticaram um preço médio de 1,169 euros/litro, o que representa um adicional de 2,9% face ao preço dos hipermercados. As companhias petrolíferas de bandeira reportaram preços de 1,264 euros/litro, cerca de 2,5 cêntimos acima do preço médio nacional.

Quanto ao GPL Auto, em outubro os postos de abastecimento com insígnia de uma companhia petrolífera venderam, em média, três cêntimos/litro acima do preço médio nacional e 12 cêntimos/litro acima do preço praticado pelos hipermercados.

Numa análise da variação geográfica de preços a nível nacional, a ERSE conclui que, “embora pouco diferenciados, os preços médios de gasolinas 95 e gasóleos simples revelam algumas diferenças regionais”.

“Em outubro, a diferença de valor entre o preço médio nacional e o preço médio nos distritos portugueses para a gasolina simples 95 e gasóleo simples é genericamente mais elevada no distrito de Bragança, verificando-se também o preço da gasolina 95 um pouco mais elevado em Beja”, nota.

Já Braga e Santarém “são os distritos com os combustíveis rodoviários (gasolina e gasóleo) mais baratos em Portugal continental, sendo que Aveiro, Coimbra, Leiria e Viseu também apresentam gasóleo genericamente mais barato face ao preço médio praticado a nível nacional”, precisa.

No caso do GPL engarrafado (butano e propano), “Viana do Castelo e Vila Real registaram, para Portugal continental, o menor custo”, enquanto “Setúbal, Beja e Faro, apresentam os preços mais elevados”.

“Em outubro, as maiores diferenças face aos preços médios nacionais são observadas nos distritos do sul de Portugal continental, designadamente em Faro, Beja e Setúbal, e em Lisboa, Coimbra e Évora. Contrariamente, os distritos mais a norte do país, como Viana do Castelo e Vila Real apresentam os preços do GPL engarrafado mais baratos”, refere a ERSE.

Segundo acrescenta, “os distritos do interior mais próximos de Espanha, como Portalegre, Castelo Branco, Bragança e Guarda, assim como Porto e Braga, também apresentam preços baixos”.

Braga

Roubam carro em Braga através de ligação direta e fogem com catalisadores

Crime

Foto: DR

Dois homens, de 41 e 46 anos, foram ontem detidos em Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro, quando seguiam num veiculo que tinha sido dado como furtado no distrito de Braga, anunciou a GNR.

Os dois suspeitos foram interceptados em Arrifana, no concelho de Santa Maria da Feira, no âmbito de uma fiscalização rodoviária, depois de terem mostrado “comportamento suspeito”.

“Durante a fiscalização, foi possível constatar que o canhão da viatura tinha sido removido e que a ignição se encontrava ligada através de vários fios a um comutador (ligação direta)”, explica a Guarda.

No decorrer das diligências policiais, verificou-se que os suspeitos tinham furtado o veículo no distrito de Braga e que transportavam diversos catalisadores furtados, bem como equipamentos para corte e elevação de rodas, gazuas e gorros para ocultarem o rosto enquanto perpetravam os crimes.

A viatura foi recuperada e entregue ao seu legitimo proprietário.

Os detidos, com antecedentes criminais por ilícitos da mesma natureza, foram presentes durante a tarde de ontem, dia 19 de janeiro, ao Tribunal Judicial de Santa Maria da Feira, onde lhes foi decretada a medida de coação de termo de identidade e residência.

Continuar a ler

Braga

Parque de campismo no Gerês vence prémio internacional de acessibilidade

Turismo

O Parque Cerdeira, localizado no Parque Nacional Peneda-Gerês, no concelho de Terras de Bouro, venceu um dos prémios internacionais da ADAC Camping Gala 2021, na categoria de Demographic Change & Accessibilitity, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a administração do parque explica que a avaliação foi feita tendo em base testemunhos de inspetores, jornalistas e outros membros do clube ADAC, que valorizaram as condições do parque para com os seus clientes, sobretudo no que diz respeito a necessidades dos mais seniores.

De acordo com o júri, esta distinção não passa apenas pela acessibilidade para pessoas com deficiência, mas também pelos serviços para atender as necessidades crescentes de idosos.

“Numa altura em há um envelhecimento crescente da nossa sociedade, o Parque Cerdeira respondeu ao desafio fazendo um grande investimento na remodelação das instalações, dentro do conceito do design universal, com ajuda da linha de apoio que o Turismo de Portugal lançou para o turismo acessível”, refere José Carlos Pires, da administração.

O responsável afirma ainda que “o setor atravessa um momento muito difícil, sem fim à vista, pelo que este prémio nos dá um novo alento para mantermos a nossa visão de fazer deste espaço o melhor local do país de prática de Turismo Responsável, de reduzido impacto e íntimo contacto com a Natureza”.

Continuar a ler

Braga

Estudantes da UMinho amontoados em corredor à entrada para testes

Universidade apela à responsabilidade da comunidade académica

Foto: DR

Imagens a que O MINHO teve acesso mostram dezenas de estudantes da Universidade do Minho (UM) sem distanciamento no corredor do Complexo Pedagócio 2, no campus de Gualtar, em Braga . Ao que O MINHO apurou, são alunos de dois cursos que esperavam a entrada nas respetivas salas para a realização de testes. A UM nota que o espaço está marcado e apela à responsabilidade dos estudantes – e restante comunidade académica – para cumprir as regras.

A situação registou-se na terça-feira, pelas 18:00, e as imagens foram captadas cerca de dez minutos antes do início dos exames. Um estudante, devidamente identificado por O MINHO, mas que pediu para manter o anonimato, critica o facto de terem sido marcados dois testes, de cursos diferentes, em simultâneo “para o mesmo corredor”, sendo “impossível manter o distanciamento”.

A mesma fonte acrescenta que, àquela hora, a “universidade estava vazia” e, portanto, o ajuntamento era evitável, podendo os testes terem sido marcados para outras salas.

“O local tem sinalética visível e adequada”

O MINHO teve acesso a um primeiro vídeo com o qual confrontou a UM. Posteriormente, já depois da resposta da academia, o nosso jornal teve acesso a um outro vídeo da mesma situação publicado na rede social Instagram. Tendo em conta esse primeiro vídeo, a universidade respondeu que “as imagens não são claras”, mas aponta que “o local tem sinalética visível e adequada que lembra as regras e indica o distanciamento entre todos os utilizadores”.

Nesse sentido, a UM , inclusivamente, enviou a O MINHO imagens do CP2 em que mostra toda a sinalização colocada para garantir o distanciamento social com vista a conter a propagação da pandemia (as quais reproduzimos de seguida).

Foto: UMinho

Foto: UMinho

Foto: UMinho

Foto: UMinho

Foto: UMinho

A UM apela, ainda, à responsabilidade da comunidade académica: “Para fazer face a esta pandemia a UMinho conta com a colaboração de todos os seus agentes de Saúde Pública, os estudantes, os professores, os trabalhadores, solicitando a todos e cada um que sejam responsáveis e zeladores pelo cumprimento das regras”.

Continuar a ler

Populares