Seguir o O MINHO

Região

Distritais do PSD do Norte consideram plano da TAP uma “ameaça à coesão territorial”

Rotas da aviação civil

em

Foto: DR / Arquivo

As distritais do PSD do Norte consideraram hoje que o plano de retoma da TAP constitui uma provocação à região e uma ameaça à coesão territorial, sugerindo que, operando sem âmbito nacional, poderá chamar-se “Transportadora Aérea da Portela”.


Num comunicado subscrito pelas distritais do Porto, Aveiro, Braga, Bragança, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu, os sociais-democratas sublinham que o plano de rotas conhecido “é absolutamente atentatório do interesse nacional e lesivo da equidade e da relação custo/benefício de uma opção estratégica desta natureza, cavando ainda mais fundo o centralismo e discriminando de forma incompreensível as diferentes regiões do país”.

Em causa, lembram as distritais, está o Aeroporto do Porto, o “maior do noroeste peninsular”, sediado numa região que “é responsável por mais de 40% das exportações e por mais de 30% do PIB [Produto Interno Bruto] nacional, servindo mais de cinco milhões de pessoas, desde a região Centro à Galiza”.

O plano de retoma das operações da companhia aérea foi conhecido na segunda-feira e prevê 27 voos semanais até ao final de junho e 247 no mês seguinte, sendo a maioria de Lisboa.

Para os sociais-democratas, “a confirmação” de que a TAP “concentrará quase exclusivamente no aeroporto da Portela” a operação constituiu “uma provocação a toda a região Norte e uma ameaça séria à coesão territorial nacional”.

“Se a TAP não responde às necessidades e aos anseios dos aeroportos de Faro, do Funchal, de Ponta Delgada e do Porto deixa de cumprir o seu papel de empresa nacional – companhia de bandeira – e passará a ter um papel meramente regional, podendo inclusive passar a denominar-se por Transportadora Aérea da Portela”, defendem num comunicado.

Para as distritais, a postura da companhia aérea compromete definitivamente “o desígnio de representatividade nacional da TAP”.

Também “torna claro que esta não pode, porque, por opção própria, também não quer, ter os apoios que reclama do Estado”, acrescentam.

“Infelizmente, no debate quinzenal com o primeiro-ministro, em 07 de maio, o presidente do PSD já tinha antecipado este cenário, que condenou de forma veemente, defendendo que, para o Estado injetar dinheiro na TAP, esta deveria ter um plano de negócios e vocação eminentemente nacional”, lê-se na nota.

As distritais do PSD “exigem a imediata inflexão deste rumo e desta estratégia, reclamando uma solução de retoma que incremente um plano de rotas e voos de forma proporcional ao número de passageiros, a partir de todos os aeroportos nacionais”.

De outra forma, o PSD considera que deve ser reequacionado qualquer plano de resgate ou de participação do Estado na sua administração, à custa dos impostos dos portugueses que “não precisam de pagar por um serviço a que não podem recorrer”.

“Por outro lado, se o Governo decidiu reverter a privatização da TAP, com uma quota de 50% e um administrador, onde os privados decidem tudo e o Estado não manda coisa nenhuma; se o Governo se prepara para injetar milhões na empresa, a pretexto da sua viabilização financeira; então o mínimo que o Governo está obrigado a fazer é exigir que a TAP passe a servir todos os portugueses, sem privilégios e sem exceções”, defendem.

Consideram ainda que o argumento de “falta de procura” utilizado pela TAP para justificar uma reposição diferenciada de rotas “é uma mentira pegada” e “choca de frente” com opções tomadas por outras companhias aéreas, como, por exemplo, a Lufthansa ou a Air France.

“É, no mínimo, estranho que estas companhias, que operam com inconfessados interesses de ordem exclusivamente comercial, vejam nestas rotas [para o Porto] a oportunidade de negócio e a sustentabilidade que a transportadora nacional nega”, o que torna “absolutamente incompreensível a desconsideração e a desvalorização com que a TAP trata o Porto e a região Norte”, afirmam.

O PSD critica ainda o apelo do PS para a TAP para “corrigir o plano de rotas aéreas tornado público, tendo em vista corresponder aos legítimos interesses nacionais e regionais em apreço”, considerando-o “oco de conteúdo” tendo em conta a dissonância entre o que o ministro das Infraestruturas queria fazer e aquilo que o primeiro-ministro não o deixa fazer, como por exemplo a nacionalização.

“Nós bem sabemos que estas manifestações de indignação de quem critica as suas próprias decisões, são mero exercício de hipocrisia política. Mas o país, e neste caso, a TAP, não precisa de encenações. Apenas de coragem para decidir”, acrescentam.

Depois de conhecido o plano de retoma de voos da TAP, vários autarcas, bem como partidos políticos, criticaram as opções da companhia aérea e exigiram que o Governo tome uma posição.

Anúncio

Região

Distrito de Braga continua sob aviso amarelo devido ao calor

Meteorologia

em

Foto: DR / Arquivo

O distrito de Braga continua sob alerta amarelo até sábado às 21:00, devido à “persistência de valores elevados da temperatura máxima”, avisa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em Braga, as temperaturas podem chegar hoje aos 35º e amanhã aos 36º.

O aviso amarelo é o terceiro mais grave, depois do vermelho e do laranja, e configura “uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica”.

Já em Viana do Castelo as previsões apontam para máximas de 28º hoje e de 34º amanhã.

Os dois distritos encontram-se em risco muito elevado de exposição aos raios ultravioleta.

Risco de incêndio

No país, vinte concelhos dos distritos de Faro, Castelo Branco, Guarda, Viseu e Bragança apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o IPMA.

O IPMA colocou também em risco muito elevado e elevado de incêndio vários concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental.

Segundo o IPMA, pelo menos até terça-feira vai manter-se o risco de incêndio máximo e muito elevado em vários distritos do continente por causa do tempo quente, que se vai manter elevada nos próximos.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou sob aviso amarelo nove distritos de Portugal continental e a ilha da Madeira.

Os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora, Beja e Setúbal vão estar sob aviso amarelo até às 21:00 de sábado devido à persistência de valores elevados da temperatura máxima.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral centro até ao início da manhã, aumentando de nebulosidade nas regiões do interior durante a tarde.

Está também previsto vento fraco a moderado predominando do quadrante norte, sendo do quadrante leste no interior norte e centro até meio da manhã e para o final do dia, soprando por vezes forte na faixa costeira ocidental, em especial a norte do Cabo Espichel durante a tarde, e nas terras altas.

Está ainda prevista uma pequena subida de temperatura, em especial na região sul.

Continuar a ler

Ave

Famalicão inaugura ‘monobloco’ em dia de aniversário da cidade

Dia da Cidade

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, foi o cicerone da sessão solene do Dia da Cidade, que se realizou esta quinta-feira à tarde, na entrada principal do Parque da Devesa, junto à estação rodoviária.

O espaço, um dos grandes cartões de visita da cidade, passou a ser simbolicamente chamado de Praça da Cidadania e ostentará como elemento de homenagem aos famalicenses o símbolo do concelho e a palavra Famalicão em monobloco.

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Esta foi uma das formas que o município de Vila Nova de Famalicão encontrou para marcar o Dia da Cidade 2020, que se realizou realizou em circunstâncias muito especiais com uma grande homenagem coletiva do presidente ao território pela forma como Vila Nova de Famalicão soube reagir à pandemia da covid – 19.

“O que é justo este ano é medalhar todos os famalicenses”, disse o autarca aquando a apresentação da proposta para as comemorações do Dia da Cidade 2020.

“Os famalicenses deram e estão a dar uma resposta exemplar, não só ao nivel profissional – os profissionais da saúde, da segurança pública, os voluntários das corporações de bombeiros, mas também muitos profissionais de outras áreas, como a recolha do lixo, o setor alimentar, agricultores, indústrias e seus trabalhadores, transportadoras e seus motoristas de ligeiros e pesados, etc… -, mas também ao nível pessoal, pela forma como as pessoas souberam recolher-se ao confinamento familiar e sabem acatar as regras da DGS, ajudando desta forma a combater a propagação da covid 19”.

Continuar a ler

Braga

Feira do Livro virtual de Braga regista cinco mil visitas

Cultura

em

Foto: Divulgação

A Feira do Livro de Braga, que arrancou virtualmente na sexta feira, dia 03, contou já com a visita de mais de cinco mil pessoas. A este número juntam-se ainda 500 pessoas que assistiram, nestes primeiros seis dias, às várias sessões do programa cultural promovido pelo Município e pelo mecenas do evento, o dstgroup.

Fonte da empresa municipal InvestBraga adiantou, hoje, que a programação cultural da 29.ª edição conta com várias “Conversas em streaming” com autores nacionais e estrangeiros, passatempos, ofertas de livros e também iniciativas da responsabilidade do patrocinador principal, há mais de 25 anos, o dstgroup, dirigido por José Teixeira.

Nesta edição digital, e para o mundo, é possível visitar entre livrarias, editoras e alfarrabistas, 20 expositores presentes na feira através de um Virtual Tour, e adquirir diversos os produtos a partir da plataforma de vendas online, Dott, que conta com mais de cinco mil livros.

A viagem virtual pela feira inicia-se numa «street view» das avenidas onde a feira tinha usualmente lugar e é nesse espaço que é possível entrar em cada um dos stands dos diferentes expositores para consultar os seus catálogos de livros. Nessa fase, os  visitantes são direcionados para a loja online da Feira, onde podem efetuar todo o processo de compra dos produtos escolhidos. A entrega das encomendas fica, por sua vez, a cargo dos CTT.

De referir que a Feira do Livro é uma organização do Município de Braga e da InvestBraga em estreita colaboração com a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, com a The Book Company | Booktailors, os CTT e a DOTT e com o mecenato da dst group.

A feira virtual está disponível desde o dia 3 e prolonga-se até ao dia 03 de setembro de 2020.

Continuar a ler

Populares