Seguir o O MINHO

Braga

Detidos cinco suspeitos de tiroteio em guerra de gangues em Braga

Pertencem ao grupo das Enguardas

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A Polícia Judiciária (PJ) deteve, na manhã desta terça-feira, cinco homens, entre os 19 e os 31 anos, suspeitos de estarem envolvidos em tiroteios na cidade de Braga nos últimos meses. Os detidos farão parte do ‘gangue das Enguardas’. No decorrer das diligências foi detido outro homem, suspeito de tráfico de droga.

Em comunicado, a PJ refere que, “com a colaboração da PSP, no cumprimento de mandados emitidos pelas Autoridades Judiciárias, procedeu, hoje, à realização de nove buscas domiciliárias e detenção fora de flagrante delito, de cinco homens, entre os 19 e os 31 anos de idade, suspeitos da prática de vários crimes de homicídio na forma tentada, que deram origem a dois inquéritos-crime”.

Os primeiros factos ocorreram no dia 05 de setembro do ano passado, em Braga, tendo sido efetuados vários disparos de arma de fogo em direção a um grupo de pessoas.

Num e noutro caso, os disparos não provocaram a morte das vítimas por mero acaso.

“O móbil dos crimes está relacionado com disputas recorrentes entre grupos com moradas em aglomerados populacionais distintos, tendo vindo a resultar em agressões mútuas, algumas delas com recurso a armas de fogo”, acrescenta a PJ.

No decurso das buscas foram aprendidas armas brancas, produto estupefaciente e telemóveis e detido um indivíduo em flagrante delito por suspeitas do crime de tráfico de estupefacientes.

A Polícia Judiciária prossegue com diligências com vista a identificar todos os intervenientes nas diferentes situações ocorridas.

Os detidos, alguns deles com antecedentes criminais, vão ser presentes às autoridades judiciárias para aplicação de medidas de coação.

Já em abril, a PJ tinha detido três homens, entre os 21 e os 35 anos, envolvidos no tiroteio do passado dia 18 de março, em Braga, indiciados de vários crimes de homicídio na forma tentada, pertencentes ao chamado ‘Grupo do Fujacal’. Esses três detidos, ligados ao grupo do Fujacal, com idades entre 35 e 21 anos, estão em prisão preventiva.

Como O MINHO noticiou na altura, os tiros ocorreram no bairro das Enguardas e outro, pouco depois, em Nogueira.

Um grupo dirigiu-se a um apartamento no bairro Social das Enguardas e disparou vários tiros na fachada. E deixaram uma pintura numa parede com dizeres em que se intitulavam do bairro do Fujacal.

Minutos depois, os do grupo das Enguardas dirigiram-se para a zona de Nogueira, na Rua Garcia Orta, uma zona de vivendas, dado terem identificado um dos jovens agressores, que sabiam que ali vivia.

No local, e de acordo com um dos moradores, o grupo das Enguardas disparou oito tiros para a casa dos pais desse jovem, quatro de pistola com bala de 9 milímetros e outros quatro de caçadeira (shotgun). A casa ficou esburacada.

No entanto, o primeiro tiroteio aconteceu em setembro do ano passado, tendo feito três feridos na Praça dos Arsenalistas, no Fujacal.

Em maio, na zona dos bares da Universidade do Minho, a ‘guerra de bairros’ continuou com um jovem baleado, que era o quarto nome de uma “lista da morte” colocada a circular em grupos restritos de redes sociais.

Notícia atualizada às 12h51 com comunicado da PJ.

Populares