Seguir o O MINHO

Guimarães

Detido por agredir homem de 80 anos em Guimarães

Moreira de Cónegos

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem, com cerca de 40 anos, foi detido, esta sexta-feira, no seguimento de uma alegada agressão a um homem de 80, em Moreira de Cónegos, apurou O MINHO.

Tudo aconteceu num terreno adjacente à Rua da Doca, a poucos metros do rio Vizela, que divide os distritos de Braga e do Porto.

Ao que apuramos, os dois homens estiveram envolvidos numa situação de agressão resultando no transporte do octogenário para o Hospital de Guimarães e na detenção do alegado agressor.

A circunstancias em que ocorreu a agressão estão ainda por apurar.

Fonte dos Bombeiros de Vizela, que deu primeira assistência à vítima e procedeu ao transporte hospitalar, disse a O MINHO que os ferimentos da vítima foram considerados “ligeiros”. O alerta foi dado cerca das 15:00 horas.

Militares do posto da GNR em Lordelo deslocaram-se ao local, após contacto telefónico, e deteve o alegado responsável pela agressão.

O MINHO sabe que o agressor terá de se apresentar ao Tribunal de Guimarães, na próxima segunda-feira.

Anúncio

Guimarães

95 condutores sem justificação para entrar em Guimarães voltaram para casa

Covid-19

em

Foto: O MINHO

Decorreu este domingo uma megaoperaçao levada a cabo pelo posto territorial da GNR de Guimarães, não só de fiscalização mas também de aconselhamento de condutores e passageiros face às regras de confinamento impostas devido à pandemia de covid-19.

A operação decorreu em quatro locais – eixos de entrada e saída do concelho – e serviu também para mentalizar os ocupantes das viaturas a ficarem em casa durante este domingo.

Foto: O MINHO

O MINHO falou com o capitão Orlando Rodrigues, comandante da GNR de Guimarães que liderou a operação rodoviária, de onde não resultaram condutores ou passageiros detidos.

Mas 95 condutores tiveram de acatar uma ordem de regresso, um acatamento, por não terem justificação válida para circular na estrada. Motivos de lazer não foram tolerados pelas autoridades.

“A nossa intenção era sensibilizar as pessoas para que fiquem em casa, não só os condutores mas também os passageiros”, explicou o comandante, revelando que foram fiscalizadas 804 viaturas e 1.026 passageiros.

Foto: O MINHO

“A maior parte ia às compras, às farmácias ou prestar assistência a familiares, mas mesmo a esses foi aconselhado que evitassem ao máximo as deslocações durante este período”, acrescentou o capitão Rodrigues.

“Apelámos também às pessoas para que se restrinjam às regras que estão a ser veiculadas pelas autoridades e pela comunicação social”, disse ainda.

Algumas viaturas seguiam com vários passageiros, pelo que lhes foi aconselhado a evitarem esse tipo de deslocação. “Quem ia às compras, foi recomendado que evitasse levar passageiros, até porque isso já foi várias vezes veiculado”, explicou a autoridade policial.

Foto: O MINHO

A operação dividiu-se em quatro pontos: rotunda de Silvares, junto à saída da A11, nas freguesias de Infantas e de Ponte (EN 101) e ainda na EN 105, na rotunda que dá acesso a Vizela.

De acordo com as restrições à circulação aprovadas por decreto do Governo sobre o Estado de Emergência, para além de motivos profissionais, só é permitida a circulação para aquisição de bens e serviços, por motivos de saúde, a estações e postos de correio, agências bancárias e agências de corretores de seguros ou seguradoras, para atividade física de curta duração e apenas sozinho e para passear animais de companhia.

Vão ser também proibidas deslocações para fora do concelho de residência no período da Páscoa, entre 09 e 13 de abril.

Continuar a ler

Ave

PSP identificou 2 suspeitos de furtos em garagens em Guimarães

Crime

em

Foto: PSP

A PSP identificou dois suspeitos de furtos em várias garagens anexas a residências na cidade de Guimarães e apreendeu diversos artigos alegadamente furtados, entre os quais cerca de três dezenas de garrafas de vinho.

Entre os artigos apreendidos, contam-se também garrafas de óleo, enlatados, embalagens de leite e toalhitas.

Segundo a PSP, os suspeitos, de 29 e 34 anos, “estão conotados” com a prática de “inúmeros” ilícitos de natureza semelhante.

Foram detidos na madrugada de quinta-feira, tendo-lhes sido apreendidos “diversos artigos cuja posse não souberam justificar, suspeitando-se da proveniência ilícita dos mesmos”.

A PSP diz que continuará a desenvolver diligências com vista à entrega dos bens aos seus proprietários.

Continuar a ler

Ave

Multiusos de Guimarães serve de hospital de retaguarda

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CMG

O Multiusos de Guimarães é o espaço definido para servir de Hospital de Retaguarda, resultado de um processo em análise pela Câmara Municipal de Guimarães, Hospital Senhora da Oliveira e ACES do Alto Ave. A criação desta estrutura de apoio passa por desenvolver tratamento de assintomáticos e acolher doentes com sintomas ligeiros e que necessitam de monitorização médica permanente, face ao surto pandémico da covid-19.

A autarquia adianta que o “Hospital de Retaguarda, que está em fase de análise para Guimarães, tem previsto 100 camas e com possibilidade de aumento de capacidade”.

Até ao momento, acrescenta o município vimaranense em nota enviada às redações, a Câmara “já criou duas unidades de alojamento com as condições exigidas para o isolamento social. Foram criadas duas unidades, nas instalações do Centro de Criação de Candoso, na antiga escola EB1 de Candoso S. Martinho, e Verbo Divino, com as condições exigidas pelas Autoridades de Saúde para a denominada quarentena”.

Os espaços, um com capacidade para 10 quartos e outro com capacidade para 23 quartos de diversas tipologias, podem ser utilizados pelos cidadãos que não têm possibilidade de o fazer em condições apropriadas nas suas habitações ou por aqueles que, por motivos económicos, vivam em condições de carência, numa medida executada em articulação com as Autoridades de Saúde e a Câmara Municipal, cumprindo todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde.

Além destas medidas, a Câmara de Guimarães criou ainda resposta aos sem-abrigo. “Numa parceria com a Cercigui, está já em funcionamento o espaço de alojamento para os sem-abrigo do concelho, com todas as condições de higiene, segurança e conforto, e que permitirá o distanciamento social adequado, bem como o acesso a refeições, contando com o apoio da Cruz Vermelha e voluntários”, refere a autarquia, notando que, “a todo o momento, mais medidas poderão ser tomadas para dar resposta aos problemas que forem surgindo, perante um quadro de saúde pública que se vai desenvolvendo de forma imprevisível”.

Continuar a ler

Populares