Seguir o O MINHO

Região

Desmantelada rede internacional de contrabando de tabaco com bases em Braga e Guimarães

17 pessoas detidas

em

Dezasseis homens e uma mulher, com idades entre os 44 e 65 anos, foram detidos em Braga, Guimarães, Porto, Lisboa e Setúbal, numa operação internacional de combate ao contrabando de tabaco, anunciou hoje a GNR.

Em comunicado, a Unidade de Ação Fiscal (UAF) refere que, através do Destacamento de Ação Fiscal de Lisboa e sob a direção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Almada, entre os dias 7 e 12 de julho, em colaboração com o Corpo Nacional da Polícia Espanhola, a Agência Tributária Espanhola e com o apoio operacional da EUROPOL, em território nacional e espanhol, desencadeou uma operação policial que resultou na detenção de 16 homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 44 e 65 anos, em Braga, Guimarães, Porto, Lisboa e Setúbal.

A investigação que decorre há um ano desmantelou uma vasta rede organizada de dimensão internacional, com identificação dos suspeitos portugueses e espanhóis envolvidos, que se dedicava à comercialização ilegal de cigarros e outros produtos de tabaco em Portugal e Espanha, sem o pagamento dos impostos devidos aos respetivos Estados, como o IEC-IT e IVA.

A operação teve por objetivo desmantelar as bases logísticas de armazenamento, tratamento, embalamento e distribuição de cigarros e outros produtos de tabaco, bem como pôr fim à atividade criminosa que se encontra em curso, que se presume ter lesado os interesses económicos de ambos os países em cerca de quatro milhões de euros.

Para o efeito, foi dado cumprimento a 70 mandados de busca em território nacional e 12 em Espanha, dos quais 32 de busca domiciliária e 50 de busca não domiciliária (aos armazéns, garagens e veículos).

Foram apreendidos 454.000 cigarros manufaturados, oito toneladas de folha de tabaco e tabaco de corte fino (daria para produzir cerca de oito milhões cigarros), diversas máquinas utilizadas na secagem, trituração e acondicionamento dos produtos de tabaco, matérias-primas diversas utilizadas na produção ilícita, como tubos para cigarros, cartão de maços e sacos/caixas para embalar tabaco, sete armas de fogo, 116.000 euros em numerário, 100.000 euros arrestados em contas bancárias, 24 viaturas ligeiras, diversos equipamentos informáticos.

Durante a investigação que decorre há cerca de um ano, foram apreendidos um total de 1.825.120 cigarros e 11 toneladas de outros produtos de tabaco (folha de tabaco e tabaco moído) e detidas 23 pessoas, diretamente relacionas com a prática dos ilícitos em investigação.

No plano da cooperação judiciária internacional a operação contou com a intervenção da EUROJUST, para agilização da realização de diligências processuais.

Foram ainda constituídos 17 arguidos, com idades compreendidas ente os 44 e 65 anos, indiciados da prática de factos suscetíveis de consubstanciar o crime de contrabando, introdução fraudulenta no consumo qualificada, fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e recetação de mercadoria objeto de crime aduaneiro.

Os detidos portugueses foram presentes a primeiro interrogatório judicial nos dias 08 e 09 de julho, no Tribunal Judicial de Almada, tendo ficado sujeitos às medidas de coação de obrigação de apresentações semanais na posto policial da área da sua residência, bem como a proibição de contactos com os demais coarguidos.

Foram empenhados cerca de 160 militares da UAF, da Unidade de Intervenção (UI) e dos Comandos Territoriais do Setúbal, Lisboa, Porto, Braga, Viana do Castelo.

Populares