Seguir o O MINHO

País

Desemprego a descer no Norte pelo sexto mês consecutivo

IEFP

em

Foto: DR

A região Norte contabilizou em julho 139.940 desempregados inscritos nos centros de emprego, menos 20.002 pessoas comparativamente a fevereiro, registando uma tendência de diminuição pelo sexto mês consecutivo, segundo as estatísticas do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

De acordo com as estatísticas mensais por concelho do IEFP, consultadas hoje pela Lusa, a região Norte contabilizou em julho um total de 139.940 pessoas inscritas no desemprego, registando uma quebra de 12,5% comparativamente a fevereiro, mês em que contabilizava 159.942 inscritos.

Fevereiro foi o mês em que a tendência de crescimento do número de inscritos nos centros de emprego se inverteu, tendo a região Norte registado, desde então, uma diminuição do número de desempregados.

Nesse mês, a região Norte contava com 159.942 inscritos, em março com 158.483, em abril com 156.362, em maio com 149.074, em junho com 142.343 e em julho com 139.940.

Do total de inscritos nos centros de emprego da região em julho, mais de metade (58%) eram mulheres, tendência que se tem verificado ao longo dos últimos seis meses.

Comparativamente a fevereiro, o número de pessoas inscritas em julho à procura de novo emprego registou uma quebra de 12,9%, tendo passado de 146.506 para 127.554 o número de desempregados.

Já o número de pessoas inscritas à procura do primeiro emprego registou, comparativamente a fevereiro, uma quebra de 7,8%, ao passar de 13.436 para 12.386 desempregados em julho.

Comparativamente a julho de 2020, mês em que contabilizava 154.667, a região Norte registou menos 14.727 pessoas inscritas nos centros de emprego. No entanto, em comparação com o mesmo período homologo de 2019, contabiliza mais 15.694 desempregados.

Segundo as estatísticas do IEFP, no mês de julho, os concelhos de Vila Nova de Gaia e do Porto foram os que registaram o maior número de desempregados da região, com 16.230 e 12.319 pessoas inscritas, respetivamente.

A estes dois concelhos, sucedem-se Matosinhos (7.608 inscritos no desemprego), Gondomar (7.500), Braga (6.609) e Guimarães (5.887).

No país, o número de desempregados inscritos nos centros de emprego recuou em julho 9,5% em termos homólogos e 2,4% face a junho.

De acordo com o IEFP, no fim de julho, estavam registados nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas 368.704 desempregados, um número que representa 66,5% de um total de 554.797 pedidos de emprego.

O total de desempregados registados no país foi inferior ao verificado no mesmo mês de 2020 (-38.598 pessoas, o equivalente a uma quebra de 9,5%) e também inferior face ao mês anterior (-9.168 desempregados, uma queda de 2,4%).

Segundo o IEFP, para a diminuição do desemprego registado face ao mês homólogo de 2020 contribuiu o grupo dos que estão inscritos há menos de um ano (-76.715) e, em sentido inverso, contribuíram para o maior aumento no desemprego aqueles que permanecem inscritos há um ano e mais (+38.117).

Em termos setoriais, o desemprego oriundo do setor do alojamento e restauração diminuiu 5,4% em cadeia e 19,1% em termos homólogos.

Considerando os grupos profissionais dos desempregados registados no Continente, salientam-se os mais representativos, por ordem decrescente: trabalhadores não qualificados (25,4%); trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores (22,0%); e pessoal administrativo (11,8%).

Populares